10 coisas que você sempre quis saber sobre a Sibéria e nunca teve a quem perguntar

Kirill Kukhmar/TASS
Há motivos para temer os siberianos e por que eles foram assim chamados? E a Sibéria é uma colônia ou um país? O Russia Beyond resolveu terminar de vez com todas as suas dúvidas!

1. A Sibéria é um país? Ou uma colônia russa?

Nem um, nem outro. A Sibéria é uma região geográfica da Rússia, e a maior parte dos habitantes locais ali são, hoje, etnicamente russos. Na Idade Média, estes territórios eram habitados por tribos nômades dos antigos Estados da Ásia Oriental. Durante muito tempo, o território da Sibéria esteve em uma vassalagem de dependência da Horda de Ouro e, após o colapso desta, no final do século 15, formou-se em seu lugar o Canato da Sibéria.

Considera-se que a exploração da Sibéria pelos russos tenha se iniciado em 1581 e durado até o século 19. Os voievoda (na Rússia antiga, chefe militar e governador de província) da Moscóvia fizeram expedições de expansão, subjugaram terras e cobraram tributos deles.

Mas alguns historiadores não acreditam que a expansão russa para a Sibéria deva ser considerada como colonização – a união dos povos, via de regra, foi seguida também pela junção das elites locais com as russas.

Já nos séculos 16 e 17, os colonos russos fundaram suas próprias cidades no antigo território do Canato da Sibéria. 

2. Onde fica a Sibéria? A Sibéria tem fronteiras?

Geograficamente, a Sibéria está na Ásia. Mas ela é tão grande e ilimitada que nem todo russo sabe onde exatamente a Sibéria começa ou termina.

Suas fronteiras são nocionais, mas geralmente presume-se que a Sibéria comece nos Montes Urais (que também dividem os continentes europeu e asiático) e termina no Oceano Ártico, em seus mares costeiros e no Extremo Oriente Russo. Ao sul, este território russo faz fronteira com a China, a Mongólia e o Cazaquistão.

3. Quantos países caberiam no território da Sibéria?

A Sibéria ocupa 9,8 milhões de quilômetros quadrados, ou cerca de 57% do território da Rússia. Mas na realidade, isto é tão grande assim? Este território é grande o suficiente para que caibam ali 15 Franças. Ou 27 Alemanhas. Ou 32 Itálias. Ou 25 Japões. Ou toda a Europa. Resumindo, você entendeu.

4. Há gente vivendo na Sibéria?

Agafia Likova.

Grande parte da Sibéria é coberta por montanhas e taigas - florestas densas intocadas pelo homem. É possível se estabelecer lá apenas com um objetivo: se esconder da civilização – como fez, em 1936, uma família de velhos crentes (cristãos ortodoxos russos que se separaram da Igreja Russa há mais de 350 anos). Eles fugiam da perseguição religiosa e viveram isolados pelo resto de suas vidas. Hoje, resta apenas um membro da família, Agáfia Likova.

Mas nem toda a Sibéria é assim. Nos locais mais “amenos”, vive um total de 36 milhões de pessoas, ou seja, 25% de toda a população da Rússia. Existem 19 cidades na Sibéria com população superior a 100.000 habitantes e três outras com mais de um milhão de habitantes cada.

5. Por que as pessoas resolveram ir viver na Sibéria?

Grupo na Sibéria na década de 1900.

Por diferentes motivos. Por vários séculos, a Sibéria teve algumas ondas de migração. Na primeira metade do século 19, iniciou-se ali uma verdadeira corrida pelo ouro.

Após a abolição da servidão, camponeses foram enviados à Sibéria na tentativa de se resolver o problema da escassez de terras, assim como para desbravar novos territórios. Eles podiam tomar toda a terra que quisessem (é verdade, porém, que não havia nenhuma garantia de algo cresceria ali). Em geral, as pessoas instalaram-se lado a lado, como em comunas.

No século 20 iniciou-se a industrialização da Sibéria, que também aumentou o povoamento da Sibéria.

E, no final das contas, as pessoas iam à Sibéria a mando das organizações comunistas do Komsomol: era o partido quem decidia qual cidade podia oferecer trabalho. Às vezes, era muito longe de onde a pessoa mora - por exemplo, em algum lugar da Sibéria.

LEIA TAMBÉM: Como os ursos invadiam as ruas da Rússia

Além disso, você deve ter ouvido que milhões de pessoas foram exiladas na Sibéria. O “exílio na Sibéria” era, sem dúvida, o pior destino que uma pessoa poderia ter – exceto, talvez pela execução.

Prisioneiros e dissidentes foram enviados para a Sibéria para construir infraestrutura nova, como ferrovias, ou para trabalhar em minas, nas condições mais duras possíveis. O jovem Iôssif Stálin foi exilado na Sibéria seis vezes - cinco das quais ele conseguiu escapar. Nem todos os habitantes da Sibéria são, porém, descendentes de exilados.

6. Por que é tão frio na Sibéria? Existe verão na Sibéria?

No inconsciente popular, a Sibéria é símbolo de um inverno extremamente frio, ventos cortantes e terras remotas. Na verdade, porém, o clima siberiano é semelhante ao da Rússia ocidental, com invernos ligeiramente mais frios (20 graus Celsius negativos) e verões mais quentes (de cerca de 25 graus Celsius positivos).

O que se convencionou chamar de Sibéria (por exemplo, a Iakútia), onde as temperaturas invernais chegam aos 80 graus Celsius negativos, fica, na verdade, muito mais a leste de Moscou e é considerado como Extremo Oriente (e tudo lá é mais árduo, basta olhar para esta garota).

A confusão ocorre porque as fronteiras geográficas da Sibéria são realmente pouco definitivas. Por vezes, os russos generalizam descrevendo tudo o que existe a leste dos Montes Urais como Sibéria.

7. Pode-se ver a Aurora Boreal da Sibéria?

O Círculo Polar Ártico atravessa grande parte do país, por isto esse fenômeno natural surpreendente pode ser observado da Carélia até Tchukotka – inclusive em algumas cidades da Sibéria como Norilsk (2.878 km a nordeste de Moscou) ou da Península de Taimir (2.700 km a nordeste de Moscou). Você pode descobrir os melhores pontos da Rússia para observar a Aurora Boreal aqui.

8. A Sibéria tem capital?

Novosibirsk (3.365 km a leste de Moscou) é reconhecida como centro administrativo da Unidade Federal da Sibéria. Assim, a cidade é considerada a capital da Sibéria. Mas os habitantes de outras cidades siberianas, como Tomsk, Irkutsk ou, por exemplo, Omsk, pensam diferente.

Discutir sobre a capital da Sibéria é um traço típico dos siberianos. Além disso, a maioria dos siberianos acredita que a capital da Rússia deveria ser transferida para a Sibéria. "Por que não? Afinal, geograficamente, este é o centro da Rússia", argumentam eles. É também justamente na Sibéria que se encontra a maior parte do gás e do petróleo do país.

9. Por que as se chamam pessoas da Sibéria de ‘siberianas’ ao invés de ‘russas’?

Em grande medida, a razão é a mesma pela qual não nos referimos aos londrinos como britânicos ou aos berlinenses como alemães, embora eles também sejam ambas as coisas.

A experiência dos siberianos muitas vezes passou por duras condições de vida e trabalho. Assim, eles aos poucos desenvolveram uma mentalidade ligeiramente diferente dos habitantes da parte europeia da Rússia.

O caráter e a saúde siberiana inferem resiliência, resistência ao estresse e dureza. Considera-se que os siberianos não desperdicem sua energia em ninharias. Eles são objetivos em palavras e ações e, em geral, são muito diretos.

10. Isto significa que todos os siberianos são durões?

Por um lado sim, por outro, não. Os tempos mudam, e hoje um siberiano difere pouco de um petersburguense.

Eis o que diz, por exemplo, este internauta siberiano em um fórum: “Hoje, as pessoas nas cidades siberianas são as mesmas que em outras regiões da Rússia. Tiramos saúde de alimentos saudáveis e do ar fresco e limpo da natureza. Mas, atualmente, os siberianos ficam enfiados o dia todo em escritórios, sentados, comendo comida enlatada e respirando fumaça de escapamento”.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies