‘Brasil selvagem’ e outros mitos latinos na Rússia

ZUMA PRESS/Global Look Press
É preciso reconhecer que os russos, em sua grande maioria, não sabem muito sobre a América Latina. Embora a internet e o maior número de turistas tenha ajudado a elucidar algumas questões culturais antes desconhecidas, muita gente no país ainda acredita que há, por exemplo, “muitos” animais selvagens no Brasil, que o México é uma telenovela, e que Cuba é aquela ilha de revolucionários comunistas de outrora.

1. México, a vida é uma telenovela

Playa del Carmen, um dos principais destinos turísticos do México (Foto: Global Look Press)​Playa del Carmen, um dos principais destinos turísticos do México (Foto: Global Look Press)​

A primeira coisa que se passa na cabeça de um russo ao falar sobre a América Latina é que se trata de um “paraíso onde os ricos certamente não choram”, embora as telenovelas mostrem o contrário. Pensam também que o tempo é sempre maravilhoso, assim como o Sol e as praias são infinitas. A ideia comum é de que todos os problemas são facilmente resolvidos, e o que não é resolvido simplesmente não vale a pena se preocupar. Em suma, frutas tropicais, praias, rum, tequila e despreocupação.

Um dos países que reúne quase todos esses tópicos é o México, um país de telenovelas que continuam a ser muito populares na Rússia. O sucesso é tanto que ainda hoje há jovens que sonham em se tornar estrelas de novelas mexicanas.

2. Brasil, “onde vivem muitos macacos selvagens”

Macaco em reserva no Pantanal (Foto: Global Look Press)Macaco em reserva no Pantanal (Foto: Global Look Press)

A comédia musical “Hello, I’m Your Aunt!” (“Oi, Eu sou sua Tia!”, em tradução livre), baseada na peça teatral “A Tia de Charley”, do escritor britânico Brandon Thomas, estreou na URSS em 1975 e fez um sucesso impressionante.

No filme, um jovem malandro chamado Babs Baberley se esconde da polícia entrando em uma casa de ricos e tenta se passar por uma tia que acaba de chegar do Brasil, onde “vivem muitos macacos selvagens nas florestas”. A suposta milionária causa um fuzuê na família, especialmente quando a verdadeira tia aparece.

(Vídeo: YouTube/цитатник)

A frase favorita da protagonista “Eu sou sua tia do Brasil, onde vivem muitos macacos selvagens nas florestas” tornou-se um clássico – e, até hoje, alguns russos, ao ouvir a palavra “Brasil”, completam com “onde vivem muitos macacos selvagens”.

3. Os macacos e papagaios do Uruguai

Ideia de papagaios no Uruguai se popularizou com filme (Foto: Erhard Nerger/Global Look Press)Ideia de papagaios no Uruguai se popularizou com filme (Foto: Erhard Nerger/Global Look Press)

Embora os macacos nem habitem o Uruguai, os russos insistem na existência deles no país sul-americanos – e, para eles, o animal se tornou um símbolo uruguaio. Por quê?

Em 1984, o famoso geofísico e bardo soviético Aleksandr Gorodnitski compôs a música “Vou para o Uruguai”, cuja letra dizia: “Vou para o Uruguai/ A noite está muito fechada/ Ouve-se os berreiros de papagaios e as vozes de macacos.”

(Vídeo: YouTube/ratmir81)

4. Cuba, meu amor revolucionário

Cantor soviético Iossif Kobzon vestido no estilo militar de Fidel Castro (Foto: Arquivo)Cantor soviético Iossif Kobzon vestido no estilo militar de Fidel Castro (Foto: Arquivo)

Cuba foi para muitos soviéticos – e ainda é para muitos russos – um símbolo da liberdade e do amor à vida. As danças e as músicas sensuais, os charutos e o rum, Fidel Castro e Che Guevara transmitiram espírito revolucionário e energia.

No programa de véspera de Ano Novo em 1962, o cantor soviético Iossif Kobzon, vestido no estilo militar de Fidel Castro e usando barba falsa, apresentou sua música “Cuba, meu amor”, que se tornou um hit instantâneo na URSS.

(Vídeo: YouTube/Светлана Тимченко)

Os pioneiros (análogo dos escoteiros) costumavam cantá-la nos acampamentos de verão, assim como os adultos sentados à mesa durante festas regadas a vodca.

A imagem da Cuba revolucionária e alegre continua a existir na Rússia, e o título da canção “Cuba, mi amor” tornou-se frase feita no país.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.