6 perguntas sobre vegetarianismo na Rússia

Legion Media
Sobreviver ao inverno russo sem comer carne e constantemente lembrar as pessoas sobre seus hábitos alimentares – como é a vida dos vegetarianos russos?

1. Qual o número de vegetarianos na Rússia?

Não há números exatos sobre os vegetarianos que vivem no país, mas acredita-se que correspondam a cerca de 3 a 5% da população; a maioria deles vivem em grandes cidades, especialmente Moscou e São Petersburgo. Os veganos – que não consomem nenhum tipo de produto de origem animal – também estão incluídos nessa estimativa.

As razões para escolher esse estilo de vida variam: algumas pessoas simplesmente não apreciam do sabor da carne, outras acreditam que se abster de comer animais é melhor para a saúde, enquanto outras o fazem por questões éticas.

“Eu não gostava do sabor de carne desde criança, mas continuei a comê-la porque me serviam pratos com carne por todo lado – em casa, na escola, na universidade, em cafés e restaurantes”, diz Olga, da cidade russa de Serov, que hoje é vegana. Ela então conheceu um vegetariano e decidiu seguir seu exemplo por algum tempo. Depois de um tempo, começou a comer carne novamente, mas descobriu que isso tinha um impacto negativo em sua saúde e, assim, optou por gradualmente excluí-la da dieta.

“O lado ético da questão veio um pouco mais tarde e repentinamente”, lembra. Quando estava morando na Índia, começou a reconhecer o valor da vida até mesmo dos animais menores, como as formigas, que a levaram a se abster de comer carne porque isso significava apoiar as indústrias que prejudicam os seres vivos. Ela parou de comer carne e, nos últimos anos, foi ainda mais longe – resolveu excluir todos os produtos de origem animal de sua dieta com base em razões éticas e de saúde.

Embora o número de veganos e vegetarianos continue pequeno na Rússia, algumas celebridades aumentam a conscientização. Entre os vegetarianos russos estão o fundador da principal rede social da Rússia, VK, Pável Durov, e o naturalista mais famoso do país, Nikolai Drozdov, de 81 anos, que não come carne há mais de quatro décadas. A propósito, você sabia que Lev Tolstói também já era vegetariano?

2. Existem cafés, restaurantes e lojas para vegetarianos?

Enquanto o vegetarianismo não seja comum na Rússia, o número de pessoas que evitam carne vem crescendo, assim como a quantidade de empresas que atendem às suas necessidades. Existem vários restaurantes vegetarianos/veganos em Moscou e São Petersburgo, além de mercearias onde se pode comprar um monte de substitutos de carne e alimentos saudáveis. Muitos desses estabelecimentos também realizam entregas e refeições prontas sem carne. Há até marcas ecológicas, como a fabricante de calçados Az-Art e a loja de maquiagem Biozka, que não vendem um item sequer feito com produtos de origem animal.

“Eu me tornei vegetariano há cinco anos e, alguns meses depois, me mudei para Níjni Novgorod por um ano. Lá era impossível encontrar qualquer coisa para manter esse estilo de vida, a não ser tofu, que eu encontrava em um supermercado francês”, lembra Erwann, da França. “No entanto, agora me dizem que a situação mudou para melhor, com a abertura de novas lojas. Em Moscou tudo é muito mais fácil: aqui é possível encontrar muitas lojas (Jagannath é o paraíso) e restaurantes vegetarianos.”

3. Existem produtos e pratos russos adequados para vegetarianos?

A culinária russa pode ser dominada por carne, mas, ainda assim, há muitos pratos deliciosos para vegetarianos.

LEIA TAMBÉM: Caviar vegetariano, uma iguaria promovida pela mulher de Khruschov 

Os membros da Igreja Ortodoxa Russa fazem jejum e se abstêm de carne, ovos, peixe, frutos do mar e produtos lácteos durante algumas épocas do ano: varêniki (massinhas cozidas em água com recheio de batatas, repolho, queijo cottage ou frutas vermelhas), versões sem carne das sopas schi e borsch, a salada conhecida como vinagrete (nada a ver com o vinagrete brasileiro) e tortas de cogumelos são algumas opções sem carne.

4. Qual é a atitude russa em relação aos vegetarianos?

Os russos, especialmente fora das grandes cidades, ainda nutrem uma visão bastante conservadora em relação ao consumo de carne. De acordo com uma pesquisa recente, 20% dos entrevistados acreditam que dieta sem carne é boa para a saúde, enquanto 39% pensam o contrário. Entre os últimos, a crença generalizada é que a dieta vegetariana pode causar problemas de saúde devido à falta de nutrientes e proteínas.

Os vegetarianos muitas vezes enfrentam questionamentos de parentes, amigos, colegas, ou mesmo de pessoas aleatórias interessadas em saber por que não comem carne. Também é comum as pessoas tentarem converter vegetarianos em comedores de carne, alegando que a carne de animais é parte essencial da dieta humana.

“Se houver um vegetariano em alguma reunião de amigos, os primeiros 30 minutos da discussão serão focados nele ou nela! É como dizer a alguém que você não bebe álcool: todo mundo acha que você está tomando antibióticos, é ex-alcoólatra, ou está grávida – nenhuma outra explicação funciona”, diz a jornalista Aleksandra, de Moscou. “Se você diz que é vegetariano, você acaba sendo considerado um psicopata ou alguém que está simplesmente seguindo uma modinha.”

As gerações mais velhas não costumam levar o vegetarianismo a sério e podem seguir em frente servindo a carne a seus netos, independentemente de quererem ou não.

“Meus vizinhos costumam me convidar para jantar, mas, embora saibam muito bem que sou vegetariana, continuam me oferecendo pratos com carne”, diz Erwann. “Recentemente, eles fizeram kholodets (um tradicional prato russo de gelatina com carne), e eu não tive outra opção a não ser recusar.”

5. É possível sobreviver ao inverno russo sem comer carne?

“É preciso comer carne para sobreviver ao inverno” é um dos argumentos mais populares que os vegetarianos ouvem no dia-a-dia na Rússia, sobretudo de gerações mais velhas. Segundo Maria Dobrovolskaia, da Academia Russa de Ciências, a agricultura no norte do país se desenvolvia lentamente durante os séculos 12 e 13, quando a Pequena Era Glacial estava começando, portanto, as pessoas não tinham outra escolha se não comer o que havia disponível: carne e peixe.

No entanto, várias pessoas mostram que sobreviver sem carne não é impossível nos dias de hoje. A professora universitária Tamara, de 32 anos, é uma delas. Antes viciada em carne, ela mudou para uma dieta vegetariana há dois anos por questões éticas e não teve nenhuma dificuldade em viver assim durante o inverno.

“Há todos os tipos de produtos disponíveis nos mercados de Moscou, mas o setor de roupas apresenta alguns problemas”, diz. “Recentemente, soube que até mesmo casacos de penas de ganso são feitos com pássaros cujas penas foram arrancadas enquanto vivos; por isso, agora tenho dificuldade em encontrar algo para o inverno.”

6. Quais os principais problemas que vegetarianos/veganos enfrentam na Rússia?

Além da falta de opções de roupas e a atitude pública um tanto intransigente, os vegetarianos também dizem ser preciso muito esforço para manter esse estilo de vida. Anna, de Moscou, que foi vegetariana por sete anos antes de voltar a consumir carne em 2015, lembra que foi um período interessante de sua vida, mas ela não quer voltar a isso porque simplesmente gastava muito tempo – e dinheiro – para planejar e cozinhar. “Não é algo com que uma pessoa de renda média possa arcar”, afirma.

Outros alegam que ser vegetariano na Rússia significa falar constantemente sobre seus hábitos alimentares. “Eu tenho uma amiga vegetariana que reclama da necessidade de lembrar as pessoas de que ela não come carne toda vez que está em público”, diz o moscovita Oleg. “Há pouco tempo, em uma festa, alguém pediu pizza, mas esqueceu que ela era vegetariana (ela estava em outra sala e não pôde lembrá-los disso), portanto, teve que tirar a linguiça antes de comer.”

Outro problema, levantado por Olga, que tem um filho de sete anos (“um garoto vegetariano saudável”, segundo ela), é lidar com a dieta do filho enquanto ele está na escola ou com parentes. “Pode ser difícil não surtar nem estragar relações pessoais.”

Apesar dos fatores acima, todos reconhecem que a situação está mudando para melhor. “Nas grandes cidades existem mais e mais cafés, restaurantes, lojas e livros para veganos e vegetarianos”, diz Olga. “O círculo dessas pessoas na Rússia está crescendo, e elas se inspiram compartilhando suas experiências e histórias on-line. De um modo geral, veganos na Rússia desfrutam de uma vida melhor (e mais divertida)”.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies