Quanto custa criar uma criança na Rússia?

Konstantin Kokoshkin/Global Look Press
Criar filhos na Rússia não é barato, e a maioria dos russos precisa se esforçar para priorizar gastos em educação, roupas e comida. Segundo pesquisa da Rosstat, 18% das crianças russas são de famílias com baixa renda, 48% das que estão matriculadas em escolas não participam de excursões escolares e 31% não têm equipamentos esportivos (bicicleta, patins etc.) porque os pais não podem comprá-los.

Não há pesquisas oficiais sobre os gastos com crianças no país, mas, o Russia Beyond compilou dados de pesquisas diversas para entender quanto custa criar os filhos na Rússia.


A família russa média consiste de um casal de pais e dois filhos. Segundo a Rosstat (Agência de Estatísticas Federal da Rússia), a média, de filhos por mulher no país é de 1,7.

Quase 230 mil famílias na Rússia criam quatro filhos cada e 100 mil criam cinco ou mais. A renda média da família russa em 2017 foi de 71.800 rublos (R$ 4.125), segundo o instituto de pesquisas de opinião pública ROMIR. 

Recém-nascidos, novas despesas e ajuda estatal 

Gastos significativos começam logo após o nascimento da criança: carrinho de bebê, roupas, cosméticos para banho e higiene etc.

Um novo carrinho de bebê geralmente custa em torno de 10 mil rublos (R$ 570), mas muitas pessoas preferem comprar o equipamento de segunda mão.

Em Moscou, porém, as mães recebem ajuda estatal: algumas roupas, cosméticos, roupa de cama, termômetros para o bebê etc. podem ser retirados gratuitamente. 

Além disso, todos os russos, inclusive as crianças, têm seguro médico grátis e assistência médica gratuita ou com taxas reduzidas. Mas isso não exclui a necessidade de comprar remédios.

Cada visita a uma farmácia leva a uma média de gastos de 1.000 rublos (R$ 57).

Jardins de infância e escolas

Os pais podem levar seus filhos para a creche estatal a partir dos três anos de idade, mas normalmente é preciso que se inscrevam na fila logo após o nascimento da criança.

O preço das instituições de atendimento às crianças depende da região. Mãe de dois filhos, Tatiana Russakova, da região de Moscou, afirma pagar 3 mil rublos (R$ 170) por mês no jardim de infância de um dos filhos.

Maria Zagriádskaia, mãe de duas filhas pequenas, conta que sua creche cobra 2.700 rublos (R$ 155) por mês por aluno, mas algumas aulas não estão inclusas no valor.

 

Entre elas estão, por exemplo, aulas de desenho, que custam 1.500 rublos (R$ 86) por mês. Além disso, Maria precisa contribuir com "doações" com quase 9 mil rublos (R$ 520) por ano, e Tatiana, com 4 mil (R$ 230).

 

Os valores não são compulsórios, mas praticamente todas as famílias fazem as doações temendo um tratamento diferenciado em relação a seus filhos. Eles devem, supostamente, contribuir para a compra de equipamentos, excursões e brinquedos para as instituições, mas, em geral, há muitos desvios.

Também é possível encontrar diversas creches privadas que aceitam as crianças mais novas e não têm filas. Os preços dessas começam em 25 mil rublos (R$ 1.440) por mês na capital russa. Alguns russos também  optam por contratar uma babá – por vezes, fazendo-o em pequenos grupos para dividir a conta. O valor do serviço começa em 300 rublos (R$ 17) por hora em Moscou e 150 rublos (R$ 8,5) em outras regiões.

De acordo com a pesquisa do instituto ROMIR realizada em março de 2018, apenas um por cento das famílias russas prefere contratar babás, enquanto de 10 a 15 por cento dos pais recorrem à ajuda dos avós.

A constituição russa garante educação secundária gratuita para crianças. Assim, a maioria absoluta estuda em escolas públicas gratuitas. Apenas 0,7% dos russos frequentam escolas privadas, enquanto outros 0,7% estudam apenas em casa.

Ainda assim, as escolas podem sugar o orçamento de uma família. De acordo com uma pesquisa realizada pelo VTsIOM (Centro de Pesquisas de Opinião Pública da Rússia), em 2017, a família russa média gastou 12.745 rublos (R$ 736) apenas para preparar uma criança para a escola.

Metade do valor é gasto em roupas e sapatos, 1.700 rublos (R$ 100) em uma mochila escolar, outros 1.700 (R$ 100) em lápis, canetas, papel; 1.200 rublos (R$ 70) em livros didáticos; 1.000 rublos (R$ 57) em taxas escolares e cerca de 600 rublos (R$ 35) em presentes para professores (na Rússia, as crianças costumam levar flores no primeiro dia escolar todos os anos).

Além disso, como já mencionado, muitas famílias russas pagam as “doações” escolares.

Aulas de canto e patinação artística (mediante pagamento)

Na Rússia, as atividades complementares para crianças são muito populares.

Na época soviética, havia um sistema estatal de aulas extras gratuitas para as crianças, e muitos pais que lembram disso costumam buscar o mesmo para os filhos. Hoje, porém, eles precisam que pagar.

Tatiana gasta cerca de 6.000 rublos (R$ 345) por mês em aulas de taekwondo e de futebol para o filho. Já a filha, de 11 anos, gosta muito de biatlo e, assim, Tatiana precisa comprar equipamento profissional (cerca de R$ 2.890 por ano) e pagar por eventos esportivos (R$ 5.750 por ano). 

Brinquedos, roupas e entretenimento

Tatiana gasta quase 2 mil rublos (R$ 115) por mês em brinquedos para o filho, enquanto a filha prefere brincar com o smartphone e laptop da mãe. Tatiana não dá dinheiro aos filhos.

Maria diz que quase não gasta dinheiro em brinquedos, mas, às vezes, vai ao teatro infantil ou a parques de diversões. Um ingresso para uma pessoa para parques e teatros custa em torno de 500 rublos (R$ 9).

Em contraste com o entretenimento, considerado barato, as roupas infanto-juvenis são caras na Rússia. Enquanto Tatiana coloca 20 mil rublos (R$ 1.150) em roupas para seus filhos por ano, Maria investe quase 60 mil rublos (R$ 3.460) em roupas para os filhos por ano, já que no país é preciso ter vestimentas para os climas muito diversos que se faz em diferentes estações do ano.

Segundo a pesquisa da Rosstat, 18% das crianças são de famílias de baixa renda, 48% das crianças matriculadas em escolas não participam de excursões escolares e 31% não têm equipamentos esportivos (bicicleta, patins etc.) porque os pais não podem comprá-los.

Comida

Na Rússia, há lojas e setores de mercados inteiros dedicados à alimentação infantil. Maria gasta pelo menos 3.000 rublos (R$ 173) e Tatiana 5.000 rublos (R$ 288) em comida por mês para as crianças.

Os benefícios de ter filhos na Rússia

Existe um programa no país de subsídios estatais aos pais. Durante a gravidez, as mulheres recebem uma quantia calculada a partir de seu salário (entre R$ 1.900 e  R$ 16.700 mensais).

Após o nascimento, o Estado paga outro subsídio mensal durante os primeiros 18 meses de vida da criança, que depende do salário da mãe e gira entre R$ 173 e R$ 1.385.

As mulheres têm o direito de tirar uma licença do trabalho durante primeiros três anos após o nascimento da criança, mas muitas preferem voltar ao trabalho mais cedo.

Os homens também podem tirar licença-paternidade - mas apenas dois por cento dos jovens pais russos o fazem.

Além disso, existe na Rússia um programa estatal de ajuda financeira para famílias com mais de duas crianças, por meio do qual a mãe, após o nascimento do segundo filho, pode receber um valor.

O programa foi criado em 2007 e vigora  por todo o território nacional.

O valor do benefício é significativo: 453 mil rublos (R$ 26.150). Mas só é possível recebê-lo três anos após o nascimento do bebê e apenas com fins específicos. Com o dinheiro é possível, por exemplo, pagar uma hipoteca ou a educação dos filhos. Em algumas regiões, o volume total do chamado “capital materno” pode cobrir até 70% do custo da habitação.

Após o nascimento do terceiro filho, a mãe recebe novos benefícios como transporte público gratuito e férias adicionais.

Gostou? Então leia “8 tendências e tradições das mamães russas”.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais