Mamães russas empreendem para continuar trabalhando

Redes sociais são maiores aliadas de novas startups para divulgação e vendas.

Redes sociais são maiores aliadas de novas startups para divulgação e vendas.

Getty Images
De maratona de engatinhamento a kit de viagem para crianças, russas criam para ficar no mercado – não mais como empregadas, mas com suas próprias startups.

Um dos principais problemas que atingem as jovens mamães russas na atualidade é conseguir retornar ao trabalho após a licença maternidade.

“A chefia das companhias teme duas coisas, principalmente. Em primeiro lugar, que a mulher perca suas habilidades durante a maternidade, e, em segundo, que ela tenha que tirar constantemente folgas devido a doenças relacionadas ao bebê”, explica a diretora da agência de headhunying Aliôna Vladímirskaia.

Por isso, existe atualmente entre jovens mães a tendência de se criar seus próprios projetos, ao invés de buscar empregos fixos.

“Com um contra-estímulo como esse do empregador, a mulher acaba indo para áreas que têm mais proximidade de si naquele momento, como questões de criação do bebê e saúde, por exemplo, e acaba estabelecendo seu próprio negócio justamente nessa esfera”, diz.

Vladímirskaia ressalta, porém, que combinar uma startup de sucesso com a criação de uma criança é muito difícil.

“Uma startup é o mesmo que uma criança, que requer atenção 24 horas por dia, sete dias por semana. A mãe vai acabar tendo uma performance abaixo do requerido em uma das tarefas – ou nos cuidados da família, ou nos negócios. E, como mãe, é difícil acreditar que você deixará seu bebê sem atenção, motivo pelo qual é mais provável que seu projeto venha a sofrer”, diz.

Ela acrescenta, porém, que com a contratação de profissionais competentes, as chances de sucesso são muito maiores.

A Gazeta Russa falou com algumas dessas mamães sobre as alegrias e as dores de cuidar de um bebê e de uma startup ao mesmo tempo:

Elena Partsalis / Foto: Arquivo PessoalElena Partsalis / Foto: Arquivo Pessoal

Elena Partsalis, fundadora do projeto Orgamamzer (kits de viagem surpresa para crianças)

“Criei o projeto Orgamamzer com minha colega e amiga Anna Sverdlova. A ideia de kits para crianças que tivesses quebra-cabeças, um livro, brinquedos, massinha, miçangas etc. Aconteceu depois de uma viagem à Tailândia com minha filha em que ela só queria seu iPad e se recusava a dormir. Minha experiência como psicóloga me ajudou a criar o kit. Trabalhei em uma escola para crianças difíceis por dez anos. Uma amiga propôs que eu comercializasse a ideia do kit. Com a ajuda dela organizamos os cinco primeiros orgamamzers, que foram comprados, literalmente, uma hora depois que postamos no Instagram."

Modelo de Orgamamzer montado / Foto: orgamamzer.ruModelo de Orgamamzer montado / Foto: orgamamzer.ru

"Um ano após aquilo, aumentamos as vendas para 150 kits por mês, e no ano que vem esperamos que esse número salte para os 2.000.  Nosso principal meio de publicidade para os kits são as redes sociais. Além disso, testamos cuidadosamente os kits: costuramos diversas bolsas, mudamos o conteúdo e recebemos os feedback dos nossos clientes. E, apesar de terem surgido quatro projetos similares terem aparecido no mercado no mês passado, não vamos nos render. Planejamos nos expandir ativamente, tanto em termos de território como de parceria. Queremos entrar também em mercados estrangeiros, inclusive nos EUA, onde, surpreendentemente, não se encontram produtos similares. Na Rússia, nossos ‘orgamamzers’ são comprados de Kaliningrado ao Kamtchatka!”

A empreendedora Gulnaz Saguitdinova tinha experiência com companhias de financiamento. / Foto: Arquivo pessoalA empreendedora Gulnaz Saguitdinova tinha experiência com companhias de financiamento. / Foto: Arquivo pessoal

Gulnaz Sagitdinova, Centro QuantUM paea Matemática Mental Infantil para Crianças em Moscou

“Antes de lançar meu próprio projeto, trabalhei em uma companhia de investimentos. Mas, depois do nascimento do meu filho, o assunto da criação de um filho se tornou muito premente para mim. Eu também tive uma abordagem muito especial quanto à matemática desde minha infância. Comecei fazendo um curso e recebi certificado internacional nessa área. A preparação e perfeição dos programas infantis levou quase dois anos."

Criança estuda no Quant-UM / Foto: quant-um.ruCriança estuda no Quant-UM / Foto: quant-um.ru

"Um ano atrás, lançamos o QuantUM [em russo, “um” significa inteligência]. Nesse período, a quantidade de crianças que estuda com a gente decuplicou. Lançamos o projeto usando nosso próprio dinheiro e, para divulgá-lo, usamos as redes sociais. Além disso, conseguimos clientes graças ao boca a boca. Quando abri o centro, tive problemas, porque diferentes funções requerem diferentes habilidades: advogado, analista de mercado, especialista em recursos humanos. Além disso, o projeto não deve refletir na sua família, para a qual você tem significantemente menos tempo."

Demfira Grichina era jornalista e seu negócio começou como uma necessidade pessoal. / Foto: Arquivo pessoalDemfira Grichina era jornalista e seu negócio começou como uma necessidade pessoal. / Foto: Arquivo pessoal

Demfira Grishina, Centro Familiar MamKompania em Tula

“Antes de meu filho nascer, eu trabalhava como jornalista em um canal de TV local e, depois, em uma publicação on-line. Inicialmente, a MamKompania surgiu como uma necessidade para organizar algumas atividades recreativas para mim e para minhas crianças. Tive essa ideia com três amigas há oito anos. No final, criamos o centro de atividades para mulheres grávidas e crianças de 0 a 7 anos. Criamos a empresa com dinheiro que ganhamos organizando grandes eventos familiares, algo que fazemos além do centro. Essa foi – e ainda é – a fonte de financiamento do nosso negócio, porque fazemos muitas coisas no MamKompania sem gerar lucros, a nossas próprias custas."

Centro de atividades é voltado a mulheres grávidas e crianças de 0 a 7 anos. / Foto: divulgação.Centro de atividades é voltado a mulheres grávidas e crianças de 0 a 7 anos. / Foto: divulgação.

"Com a crise [econômica russa], o centro familiar continua a funcionar com seus altos e baixos. Por um lado, vemos um fluxo de clientes saindo: os pais. Uma parte deles leva as crianças para fazer cursos on-line, outra vai trabalhar e para de vir ao MamKompania. Por outro lado, também estamos nos adaptando, lançando novos cursos e fortalecendo nosso programa de atividades, que tem uma demanda. Por exemplo, agora estamos colocando nossas fichas na Maratona e Campeonato Pan-Russo de Engatinhamento, que será realizada simultaneamente em seis cidades russas, entre elas, Tula."

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.