Como ir para a Rússia estudar: um guia passo a passo

Natalya Nosova
Está pensando em ir estudar na Rússia, mas não sabe como fazê-lo? Preparamos um guia que vai ajudá-lo a desempacar!

No ano passado, mais de 96.000 estrangeiros se candidataram a vagas para estudar na Rússia. Se eles conseguiram aplicar, você também consgeguirá! Aqui estão alguns passos importantes para iniciar o processo.

  1. Escolha um programa e universidade

Para começar, tenha uma ideia clara do assunto que você gostaria de estudar. Isto ajudará você a escolher a universidade que tem a melhor formação acadêmica em sua área.

Por exemplo, se você quiser estudar matemática ou engenharia, considere universidades como a Universidade Estatal de Moscou (Lomonosov/MGU), a Universidade Estatal de São Petersburgo ou a Universidade ITMO.

Quer se dedicar à paz internacional e apertar a mão do chanceler russo Serguêi Lavrov em algum momento no futuro? Fique com a Universidade MGIMO.

A Rússia tem mais de 800 universidades, com disciplinas variadas ensinadas em diversos níveis, por isso há uma grandes chances de você encontrar algo que lhe apeteça.

Para facilitar a tomada de decisões, confira o StudyinRussia, site oficial do Ministério da Educação e Ciência da Rússia. Ele traz informações gerais sobre cada universidade, entre elas os cursos oferecidos, localização e como é a vida estudantil.

Por meio do site, você também pode entrar em contato com representantes de cada universidade e aprender mais sobre como estudar na instituição e qual é o processo de inscrição.

2. Pense em obter financiamento do governo

A educação na Rússia é geralmente mais barata que a do resto da Europa e a dos EUA, por isso há muito estrangeiro que pode pagar pelos estudos no país - mesmo que não possa fazê-lo no país de origem.

Mas também existem boas chances de se obter uma bolsa de estudos do governo russo. As bolsas são destinadas a 15.000 candidatos estrangeiros todos os anos.

Para se candidatar a uma bolsa, basta se registrar no site Russia.Study, preencher o formulário e enviar uma foto e cópia de seu passaporte. Sua escolha não se limita aqui a apenas uma universidade - o site permite que você se inscreva em até seis instituições de ensino superior simultaneamente e faça um pedido de subsídio estatal.

Mas candidatar-se a uma bolsa de estudos não para por aí. Depois de enviar seu perfil, você deve entrar em contato com o Centro Russo de Ciência e Cultura ou com a embaixada russa em seu país e obter informações sobre o processo de seleção competitiva de dois estágios pelo qual todo candidato a subsídio deve passar.

3. Não esqueça do curso preparatório

Apesar de existirem cursos em língua inglesa em algumas universidades, a maioria dos programas na Rússia, principalmente de bacharelado, são ministrados em russo.

Por isso, se você não tiver competências linguísticas suficientes em russo, também terá que passar pela faculdade preparatória, que incrementará suas competências linguísticas e glossário em assuntos relevantes para seu futuro curso.

Se você pagar a faculdade preparatória por conta própria, poderá prosseguir com o curso superior na universidade em que se inscreveu. Mas se você for à Rússia usando uma cota do governo, é possível que você tenha que dar continuidade ao curso superior em si em outra instituição.

4. Passe pela seleção competitiva e envie os documentos

Quem planeja pagar os estudos terá que passar por todos os exames de admissão na universidade em que estiver interessado.

Para isso, será necessário enviar um pacote padrão de documentos por correio - uma cópia do passaporte com sua tradução, um histórico escolar e sua tradução e algumas fotos.

Para algumas universidades, pode ser necessário fazer os exames pessoalmente. Outras, como a Universidade ITMO, por exemplo, oferecem opções on-line.

  1. Pense na possibilidade de participar de competições

Uma maneira mais fácil e mais rápida de conseguir uma vaga em uma universidade russa é participando de um dos muitos concursos organizados pelo governo e pelas universidades russas.

Um deles é o Portas Abertas: Projeto de Bolsa Russa, organizado pelas principais universidades russas.

Ele está aberto a estrangeiros e permite que os vencedores façam o mestrado gratuitamente em qualquer universidade do país.

Você pode se dar bem e conseguir uma vaga, então, por que não tentar? Outras competições estão disponíveis também, e você pode encontrar uma lista delas aqui.

  1. Programas conjuntos de graduação

Se você achar tudo isso muito confuso e estressante, considere algum dos cursos oferecidos por universidades de seu país em conjunto com uma instituição parceira russa.

Por meio desses, você pode obter dois diplomas e não precisa se preocupar em passar nos exames de admissão na Rússia ou com a tradução de documentos.

Além disso, este pode ser um meio dese economizar dinheiro. Existe, por exemplo, um programa de mestrado com dupla diplomação da Univerisdade ITMO com a Universidade Aalto, na Finlândia, que custa 192.000 rublos por ano (2.535 euros) e dá direito a dois semestres de curso na Finlândia – isto considerando-se que fazer um mestrado somente em Aalto custará 15.000 euros por ano letivo. Uma grande diferença!

7. Receba o convite e solicite um visto de estudante

Depois de receber a carta-convite da universidade, não haverá grandes obstáculos para você obter um visto de estudante.

Agora só será preciso ir ao consulado e se preparar para a grande aventura da sua vida começar. Aprenda a viver em um obshaga russo (alojamento universitário), planeje a viagem, domine um pouco o idioma russo e veja o que os brasileiros têm a dizer sobre sua experiência na Rússia.

Uma coisa é certa: você não se arrependerá!

Me dêêêêêêê motivo... pra ir emboooooraaaa.... Não tem um? Não é bem um Tim Maia, mas o Russia Beyond arruma 7 motivos para você ir estudar na Rússia!

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies