Os 11 bombons russos mais deliciosos de todos os tempos

Foi muito difícil para nossa redação produzir esta matéria, mas após acrescentarmos uns dez quilos a nossos tanquinhos, chegamos a um veredito!

11. Lastotchka

Os bombons “Lastotchka” também são conhecidos de todos os que cresceram na URSS. Eles eram baratos para a época tinham uma embalagem dourada com a silhueta roxa de uma andorinha. Eram a pedida perfeita para o chá ou para a decoração da mesa em ocasiões especiais. O “Lastotchka” consiste de um crème brûlée com cacau e geleia de laranja no recheio, tudo isso revestido com uma cobertura de chocolate.

10. Aliônka de crème brûlée

Outro ícone entre os doces soviéticos é o chocolate embalado com a imagem de uma garotinha com um lenço na cabeça e olhos azuis bem abertos. Os bombons que levam a mesma embalagem são tão saborosos quanto as barras de chocolate. Eles têm um recheio de calda de leite com sabor de cacau coberto de chocolate ao leite.

9. Marsianka

A fábrica de doces Sladky Oreshek, que faz esses bombons, foi fundada só no ano 2000. Mas seus doces já gozam de enorme popularidade na Rússia, principalmente devido ao interior crocante e aos recheios delicados, com sabores de algumas das sobremesas favoritas dos russos, que variam de tiramisu e cheesecake a pudim de coco. O bombom esférico “marsianka” é coberto com uma crosta crocante de chocolate.

8. Chapeuzinho Vermelho

O “Krásnaia chápotchka” (Chapeuzinho Vermelho) é conhecido não só dos fãs de contos de fadas, mas também dos de doces. Sob sua embalagem amarela com o desenho da menina do conto de fadas, há um bombom composto por camadas de wafer finas e crocantes. Entre as camadas, há uma pasta de praliné e o bombom é coberto com uma cobertura de chocolate ondulada.

7. Rulada

O “rulada” é ideal para quem gosta de delicadas sobremesas com leite ou nata. O bombom é coberto de chocolate ao leite e leva flocos de arroz e nozes. Uma mordida é o suficiente para sentir o sabor do chocolate. Alguns segundos depois, você sentirá o delicado creme de nata do recheio do “rulada”. E sim, os bombons têm um sabor muito leve, por isto há um grande risco de você comer mais do que deveria!

6. Korovka

A infância de toda criança soviética e russa está associada a este caramelo com recheio líquido e sabor a leite condensado. Se você gosta de recheios líquidos este é o seu doce – mas compre fresco! O “korovka” (em português, “vaquinha”) quando envelhece fica cristalizado, mas também é gostoso, com grânulos crocantes por fora e calda de caramelo no recheio.

5. Caramelos Kis-Kis e Zolotôi Kliútchik

Na União Soviética haviam duas marcas de caramelos, a Zolotôi Kliputchik (“Chave de ouro”), que era menor e mais macia, e a Kis-Kis, que tinha caramelos em forma de cubos duros de 1,5 cm de diâmetro.

Apesar do preço aparentemente alto dos ingredientes, os caramelos estavam entre os doces mais baratos, com preço equiparável ao das balas. Por isso, os caramelos estavam no topo do ranking dos doces mais adorados pelas crianças soviéticas.

Para começar, era preciso limpar o caramelo do papel de embrulho que ficava preso no doce, e ele grudava tanto que muitas vezes era preciso comê-los com pedaços de papel mesmo.

A fase seguinte da degustação era mastigar até que o caramelo ficasse macio. No processo, o doce grudava no dente, especialmente naqueles dentes de leite já moles. Em outras palavras, os caramelos podiam facilmente resultar em uma visita de emergência ao dentista.

Muitos desses doces ainda são facilmente encontrados nas lojas na Rússia, com  o mesmo sabor e as mesma embalagens lendárias, e emigrantes frequentemente pedem a suas famílias e amigos visitantes seus doces preferidos.

4. Vzliôtnaia

Estas balinhas tinham um sabor delicioso de limão e chupá-las até dissolverem demorava um bom tempo. Isso porque o vzliôtnaia era um doce feito para passageiros aéreos, para evitar que seus ouvidos ficassem tampados durante a decolagem devido a queda de pressão nos tímpanos.

Inicialmente, as balinhas não eram vendidas em lojas comuns, mas em meados dos anos 1970 sim, e eram o doce favorito das crianças nas escolas. Cem gramas custavam 11 copeques, um preço que as crianças podiam pagar.

Aliás, 100 gramas eram o suficiente para um dia inteiro chupando balas na escola, mesmo levando em conta que era preciso dividir com os amigos.

3. Rot Front

Estas barrinhas de pedaços de wafer com amendoim torrado eram uma iguaria amada por muitas crianças e adultos. Não era fácil, porém, encontrá-las nas lojas, então as pessoas que não conseguiam comprá-las sempre as guardavam para as festas. Mas, claro, as crianças sempre encontravam os doces antes e os comiam de tempos em tempos escondidas dos pais.

Os docinhos Rot Front eram um pouco mais baratos que seus concorrentes de chocolate, custando três rublos por quilo. Acreditava-se também que o melhor modo de comer Rot Front era tomando um chá quente, já que o doce, delicado e suave, simplesmente derretia na boca depois de uns poucos goles.

2. Kara-Kum

Não se sabe por qual motivo exatamente este delicioso doce foi batizado em homenagem a uma sobremesa do Cazaquistão. O doce não tem nada a ver com areia negra, que é o que “kara-kum” significa literalmente na língua cazaque.

O doce é feito de praliné de nozes e wafers cobertos com chocolate. Os soviéticos adoravam o gostinho de chocolate com nozes, e nos anos 1990 até fábricas norte-americanas produziam o Kara-Kum. O preço era parecido com o do Míchka Kosolápi.

1. Míchka Kosolápi

Apesar de os docinhos Míchka Kosolápi começarem a ser produzidos originalmente na Rússia tsarista, eles viraram uma espécie de símbolo dos confeitos da URSS. Ele consistia de dois wafers com praliné de amêndoas cobertos por chocolate.

Mas a iguaria tornou-se especialmente popular entre os cidadão soviéticos não só pelo gosto delicioso, mas pelo lindo papel azul em que era embrulhado com um fragmento de “Manhã em uma floresta de pinhos”, pintura de Ivan Chichkin e Konstantín Savitski retratando três ursos.

O doce era caro, custava quase quatro rublos por quilo naqueles dias, um equivalente hoje a cerca de sete dólares. Os soviéticos sempre se empenhavam em comprar o Míchka Kosolápi para o Ano Novo para decorar suas árvores.

LEIA TAMBÉM: Por que os russos bebem tanto chá (e quase sempre com limão)?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies