Aprenda a receita do fudge soviético que supera qualquer doce capitalista

Vasilisa Malinka
Doce em forma de rosa sobreviveu à chegada de guloseimas estrangeiras e permanece tão popular quanto 100 anos atrás, quando apareceu pela primeira vez. Qual é o segredo?

Quando eu era criança, a forma de um doce – um pequena e elegante rosa – chamava minha atenção porque parecia quase um brinquedinho. Além do formato, adorava a caixa em que esses doces eram vendidos. As cores da caixa eram tão incomuns: bege e marrom. Embora não fosse uma embalagem muito colorida, era simples e acolhedora. Como na caixa estavam impressas imagens de “slivochnaya pomadka” e não havia “janelinhas”, abri-la era quase como uma surpresa toda vez.

À parte de todo o fascínio pela embalagem e formato, o sabor de “slivochnaya pomadka” era, em última instância, a parte mais gratificante.

Para a maioria dos russos nascidos e criados na União Soviética, esse fudge traz de volta memórias nostálgicas da infância e é sobretudo associado à Fábrica Outubro Vermelho, um dos mais antigos fabricantes de doces russos. A história desse confeito remonta a mais de 100 anos, e existem muitas variações diferentes no mundo hoje.

“Slivochnaya pomadka” apareceu na seleção da Outubro Vermelho na década de 1920 e tornou-se parte do “Fundo de Ouro” de sua coleção de doces. E a guloseima sobreviveu ao influxo de doces importados desde 1992, o que gradualmente tirou do mercado alguns confeitos tradicionais soviéticos. No entanto, esse fudge continua ainda hoje sendo popular entre pessoas de todas as gerações.

VEJA TAMBÉM: Receita soviética de tubinhos de waffle com recheio de doce de leite

O que torna este doce tão especial é a sua integridade – ou melhor, o seu sabor e textura. O interior do doce é tenro, viscoso e cremoso, enquanto o exterior tem uma crosta fina e macia. A presença de frutas cristalizadas e um toque de conhaque adicionam um aroma e leveza únicos. Trata-se de uma combinação bem interessante.

Além de seu sabor peculiar, “slivochnaya pomadka” sempre teve uma característica distinta – o formato de uma pequena rosa. Na década de 1920 e até os anos 1990, era comum decorar sobremesas com rosas ou flores feitas de creme de manteiga. A mesma figura passou a ser usada para este fudge. Hoje em dia, há maneiras diferentes e mais modernas de decorar doces, mas a forma de “pomadka” continua a mesma desde a primeira produção e é parte de sua marca registrada. Tente você mesmo (a) preparar esse confeito clássico e entenderá porque o esforço vale a pena.

Ingredientes

300 g de açúcar

200 ml de creme de leite fresco

60 g de manteiga

50 g de leite em pó

Pitada de sal

½ colher de chá de extrato de baunilha

½ colher de chá de suco de limão

1 colher de sopa de conhaque 

Modo de preparo

‪Meça todos os seus ingredientes. Em uma panela, adicione o creme de leite fresco e a manteiga, e leve a fogo médio. Mexa até a manteiga derreter.

Quando a manteiga derreter, acrescente o leite em pó e mexe novamente até dissolver por completo. É hora de adicionar a baunilha e o limão, o sal e todo o açúcar. 

Mantenha a panela em fogo médio e mexa constantemente para que não grude nas laterais e/ou queime. Quando estiver no ponto semelhante ao de um brigadeiro, retire do fogo.

Deixe o “pomadka” esfriar um pouco e então coloque-o em uma tigela ou bacia. Com a ajuda de uma batedeira, misture até ficar mais claro e estiver a temperatura ambiente.

Pegue um saco de confeiteiro com ponta em forma de estrela, e divida a mistura em três partes (para facilitar o processo e evitar que o saco rasgue).

Coloque os docinhos sobre uma assadeira ou tábua de corte e deixe secar a temperatura ambiente por, pelo menos, três horas – ou até 24 horas.

O passo seguinte? Devorá-los!

Priátnogo appetita!

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies