Kutiá, o principal acepipe da mesa de Natal russa

Victoria Drey
Se as pessoas na Rússia antiga pudessem escolher um único prato para qualquer banquete, este seria a “kutiá” – uma iguaria ritual lendária que era absolutamente essencial em todas as mesas de véspera de Natal.

A “kutiá” é um prato tão importante para os cristãos ortodoxos devido a seu profundo significado. Os eslavos orientais sempre levaram muito a sério cada ingrediente de todos os pratos. A “kutiá” é composta principalmente de trigo, o símbolo da ressurreição; mel, da eternidade; nozes, da saúde; e sementes de papoula, da fertilidade.

Na verdade, existem dois tipos tradicionais de “kutiá”: a “rica” e a “envergonhada”. A “kutiá envergonhada” é a preparada para a véspera de Natal.

Tradicionalmente, ela era feita com trigo, mel, frutas e bagas secas e sementes de papoula. O Natal Ortodoxo ocorre imediatamente após o nascimento de Cristo. Assim, este tipo de “kutiá” é um tipo de tributo ao jejum.

A chamada “kutiá rica” é preparada para outros feriados, como aniversários ou batizados, e pode ser feita com leite, creme de leite e grandes quantidades de manteiga.

LEIA TAMBÉM: Da antiguidade à tradição cristã, os ritos do Natal russo

A “kutiá” ainda é um prato obrigatório no Natal para algumas famílias religiosas na atualidade. A única diferença está no ingrediente principal, o trigo. Hoje, existem muitas variações de “kutiá”, feitas com cevada ou arroz.

A de arroz é a minha favorita! Eu adoro esta receita em particular porque ela é muito fácil: de quase todos os ingredientes será preciso uma medida de meio copo.

Ingredientes:

  • ½ copo de arroz;
  • ½ copo de sementes de papoula;
  • ½ copo de nozes;
  • ½ copo de uvas passas;
  • ½ copo de damascos secos;
  • 3 a 4 colheres de sopa de mel;
  • 1 pitada de canela;
  • 1 pitada de sal.

Modo de preparo

Primeiro, prepare as frutas secas: nesta parte, eu sigo a receita tradicional e uso passas e damascos secos, mas como fazemos a “kutiá” com um toque moderno, você também pode adicionar outro ingrediente de que goste. Oxicoco ou ameixas secas caem muito bem!

Cubra as frutas com um copo e meio de água quente e reserve – assim, você fará uma espécie de “kompot”. Quando as frutas secas tiverem absorvido água o suficiente, coe a água que sobrou em um copo transparente, mas não a desperdice: ela será útil mais tarde. Cubra com água fervente também as sementes de papoula e deixe descansar por cerca de 20 minutos.

Em seguida, prepare o arroz: lave-o em água fria e o coloque em uma panela. Você pode ferver o arroz em água normal, mas sugiro usar a infusão de frutas de uvas passas e damascos. Isto dará ao arroz um sabor delicioso.

Acrescente uma pitada de sal e cozinhe em fogo médio. Enquanto isto, usando uma faca, pique em pedaços médios as nozes, além dos damascos e das passas embebidos.

Escorra as sementes de papoula e triture-as em um processador de alimentos por alguns minutos. Adicione um terço das nozes picadas e moa novamente - a mistura deve ficar esbranquiçada e ter uma consistência macia. Para resultados ainda melhores, você pode bater ainda mais a mistura de papoula em um pilão.

Escorra as sementes de papoula e triture-as em um processador de alimentos por alguns minutos. Adicione um terço das nozes picadas e moa novamente - a mistura deve ficar esbranquiçada e ter uma consistência macia. Para resultados ainda melhores, você pode bater ainda mais a mistura de papoula em um pilão.

Deixe a sua deliciosa “kutiá” esfriar por pelo menos 30 minutos e sirva, fria ou quente, com um pouco de damascos secos picados, nozes e canela em pó por cima. Na verdade, quanto mais tempo você deixar a “kutiá” depois de pronta, mais saborosa ela ficará. Assim, não tenha medo de colocar uma parte na geladeira e comer só mais tarde.

Feliz Natal e priátnogo appetita!

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies