Por que São Petersburgo já se chamou Leningrado, entre outros nomes?

Cúpula da Catedral de Santo Isaac e rio Moika

Cúpula da Catedral de Santo Isaac e rio Moika

Vladislav Zolotov/Getty Images
Governo soviético buscou renegar passado imperial russo homenageando líder do proletariado. Mas essa não foi a única vez que a cidade mudou de nome...

Na Rússia, ela é chamada de “Píter”, “cidade do Neva”, “capital do norte”, “capital cultural”, “Veneza do Nievá”, “Palmira do Norte”, “cidade das três revoluções”... São Petersburgo tem muitos apelidos que refletem suas marcantes características, apesar de ser uma cidade relativamente jovem, com pouco mais de 300 anos. Fundada em 1703, ela teve vários nomes oficiais ao longo de sua história.

A cidade de São Pedro

Pedro, o Grande, foi o primeiro governante russo a demonstrar apreço pela Europa e seu progresso, viajando por Inglaterra, Holanda, Áustria e outros países. Ali, ele observou e aprendeu a construir navios e as ciências navais, assim como os costumes e o modo de vestir das cortes reais.

Ao fundar sua nova capital em um pântano no delta do rio Neva, no norte da Rússia, Pedro queria se aproximar de seus vizinhos suecos — e da Europa como um todo. Em seu famoso poema “O Cavaleiro de Bronze”, o poeta Aleksandr Púchkin escreve que o imperador queria abrir “o portão para a Europa” e obter acesso ao Mar Báltico.

Fundação de São Petersburgo

Para levar sua afirmação adiante, Pedro deu à cidade um dos nomes mais "europeus" possíveis. O título homenageia São Pedro, o Apóstolo, que o imperador considerava como seu patrono celestial. Como Pedro, o Grande, era fã da Holanda, ele inicialmente chamou a cidade de “Sankt Pieter Burkh” à moda holandesa. Por isso, desde então, as pessoas se acostumaram a abreviar seu nome, chamando a cidade de Pieter (que soa “Píter”) e que é até hoje o apelido mais popular da cidade entre os russos.

Em 1724, no entanto, o jornal oficial Vêdomosti, começou a se referir à cidade como Sankt-Peterburg, que era mais familiar aos tantos alemães que viviam ali, construindo a cidade e servindo à corte de Pedro.

A cidade logo foi associada a seu fundador, Pedro, o Grande, ao invés da verdadeira inspiração, São Pedro. Púchkin a descreveu, em vários poemas, como "a grande criação de Pedro" e "a cidade de Pedro".

A tomada do Palácio de Inverno. Cena do filme

Uma volta à ‘russificidade’

Dois séculos depois, a cidade mudou de nome pela primeira vez. Em 1914, a Rússia entrou na Primeira Guerra Mundial e a Alemanha era seu principal inimigo. O imperador Nicolau 2° decidiu se livrar do nome germânico da cidade e ordenou que ela fosse rebatizada de "Petrogrado" — que ainda significava, literalmente, "a cidade de Pedro", mas russificada. “Grad” é uma definição russa antiga de “górod”, que significa, literalmente, "cidade". Esta partícula era muito comum em nomes de antigas cidades russas, como “Novgorod”.

Manifestação na Praça do Palácio.

Uma cidade revolucionária

Os habitantes locais mal tinham se acostumado com o novo nome quando, 10 anos depois, ele foi alterado novamente! A cidade foi o berço da Revolução russa, mas, durante a Guerra Civil, perdeu seu status de capital, já que o governo decidiu se mudar para Moscou.

Em 1924, cinco dias após a morte do líder soviético Vladímir Lênin, a Câmara Municipal de Petrogrado propôs mudar o nome da cidade para Leningrado. A questão foi discutida no Segundo Congresso dos Sovietes da Pan-União, que, como era de se esperar, ratificou a mudança.

Durante os 70 anos de governo soviético, dentro e fora da Rússia, todos se acostumaram a chamar a cidade de Leningrado. Por exemplo, o bloqueio nazista da cidade durante a Segunda Guerra Mundial é chamado de “Cerco de Leningrado”, mas nunca de “Cerco de Petersburgo”.

Os poetas de Leningrado escreveram muitos poemas dedicados a sua cidade e à coragem de seus cidadãos. No dia em que o cerco terminou, a poeta Anna Akhmátova escreveu:

Em uma noite sem estrelas de janeiro.

Oprimida por seu destino incrível.

Arrancada das profundezas da morte

Leningrado saúda a si própria.

A partir de 1924, o nome do líder revolucionário estampava toda a URSS e, a partir de então, todas as cidades e aldeias russas têm uma rua ou uma praça com o nome de Lênin. Moscou, por exemplo, tem uma avenida com o nome de Lênin e uma avenida com o nome de Leningrado. É um verdadeiro pesadelo para motoristas inexperientes!

As autoridades soviéticas adoravam dar às cidades o nome de bolcheviques famosos: Kaliningrado, Stalingrado, Dimitrovgrado e muitos títulos como esses surgiram ao longo do século 20. Alguns foram alterados na década de 1990, mas muitos permaneceram.

De volta às raízes

Rio Moika

Em 1991, após a queda da União Soviética, era bastante lógico e simbólico que a cidade mudasse novamente de nome. As autoridades locais realizaram uma votação pública e mais da metade dos cidadãos apoiaram a iniciativa de devolver à cidade seu nome histórico, São Petersburgo.

Catedral da Assunção da Santíssima Vigrem Maria

Ao mesmo tempo, os títulos de muitas organizações mantiveram o nome de “Leningrado” por certo período, e a área ao redor de São Petersburgo ainda é chamada de “Região de Leningrado”, porque os moradores votaram por não alterá-lo (provavelmente para evitar os problemas burocráticos, como a alteração de documentos oficiais). Muitas pessoas das gerações mais velhas ainda chamam a cidade, às vezes, de Leningrado, só por costume.

Fortaleza de Pedro e Paulo

Uma das bandas pop-rock russas mais populares da cidade se chama “Leningrado”, e em uma de suas canções mais famosas, o vocalista, Serguêi Chnurov, canta uma letra em que diz não se lembrar de quando "se mudou" para São Petersburgo, então, provavelmente, estaria bêbado. “Hoje meu endereço é www.Leningradspb.RU”, ele canta, misturando o passado soviético com o presente russo e anunciando seu próprio site (embora não seja atualizado desde 2002).

LEIA TAMBÉM: Por que os bolcheviques jamais renomearam Moscou

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies