Paraguai é o quarto país da América Latina a registrar vacina russa Sputnik V

Nikolai Gingazov/Global Look Press
Registro foi realizado em caráter de emergência, sem a realização de ensaios clínicos adicionais no país latino-americano.

O Ministério da Saúde do Paraguai registrou a vacina russa Sputnik V na semana passada, conforme anunciado pelo Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF).

O registro foi realizado por meio de procedimento acelerado, sem a realização de ensaios clínicos adicionais no país latino-americano – como exigido pelo governo brasileiro.

Seguindo o mesmo preceito, a vacina Sputnik V já havia sido registrada em outros três países latino-americanos – Argentina, Bolívia e Venezuela – além de Sérvia, Argélia e Palestina.

As entregas serão inicialmente feitas por meio dos parceiros internacionais da RDIF na China, Índia e Coreia do Sul. No entanto, há possibilidade de, futuramente, serem produzidos no Brasil para envio aos países vizinhos, incluindo Paraguai.

De acordo com o presidente do RDIF, Kirill Dmitriev, o “registro da vacina Sputnik V no Paraguai mostra o crescente interesse dos países latino-americanos por uma vacina russa segura e eficaz contra o coronavírus”. Espera-se que a Sputnik V obtenha aprovação em vários outros Estados da região em um futuro próximo, segundo Dmitriev.

Cabe lembrar que, recentemente, a Anvisa solicitou o envio de novos dados sobre a vacina russa, Sputnik V antes de considerar sua aprovação para uso emergencial no Brasil. Segundo a agência, brasileira a solicitação não atende aos critérios mínimos para aprovação imediata, o que não significaria a recusa de uma aprovação futura.

LEIA TAMBÉM: Rússia já realiza ensaio clínico de versão “light” da vacina Sputnik V

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies