Rússia já realiza ensaio clínico de versão “light” da vacina Sputnik V

Xinhua/Evgeny Sinitsyn/Global Look Press
Imunizante tem efeito mais rápido, mas menor tempo de proteção. Objetivo seria usá-lo temporariamente em países cujo número de mortos se mantêm elevado.

Os ensaios clínicos de uma vacina “leve” contra covid-19, apelidada de Sputnik Light, começaram no último dia 8 de janeiro, sob a supervisão do Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya.

A Sputnik Light é uma vacina de dose única (em vez das 2 doses da versão integral da vacina) e pode oferecer até 85% de proteção, dependendo do caso.

De acordo com Aleksandr Ginzburg, chefe do Centro Gamaleya, a versão “leve” da vacina forma imunidade em três semanas, que dura cerca de 3 a 4 meses. O principal objetivo desse imunizante é diminuir a mortalidade por covid-19 em países onde o número de mortos por dia continua alto.

A Sputnik Light pode ser uma solução temporária eficiente “para muitos países no pico da nova taxa de casos de infecção por coronavírus e se esforçando para salvar o máximo possível de vidas de seus cidadãos”, segundo Kirill Dmitriev, CEO do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), que cobre os custos dos testes clínicos.

O presidente Vladimir Putin já havia destacado que a nova versão da vacina terá um efeito mais curto, mas dará oportunidade de vacinar uma quantidade maior de pessoas.

A Rússia, no entanto, realizará a vacinação tradicional com duas doses.

LEIA TAMBÉM: Vacinação terá impacto direto sobre economia na Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies