Apesar de pandemia, mais de 80% dos russos se dizem ‘felizes’, mostra pesquisa

Pixabay
Família, saúde e bom emprego figuram como principais motivos de contentamento.

Embora o ano de 2020 tenha sido marcado pela pandemia do novo coronavírus, a maioria dos russos (81%) dizem estar felizes, de acordo com uma pesquisa do Centro Russo de Estudo de Opinião Pública (VTsIOM).

Além do mais, 31% afirmam ter certeza absoluta de sua felicidade.

A pesquisa mostrou que o índice de felicidade é de 66, em comparação com 64 em novembro de 2019 e 71 em 2018.

Vinte e nove por cento dos cidadãos do país consideram que a maioria das pessoas à sua volta também estão contentes, e 46% consideram que o número de pessoas felizes e infelizes é igual. O índice social de desenvolvimento é de 51, o que representa uma queda de 3 pontos em um ano.

Mas o que deixa os russos felizes? Em torno de 34% se referem à família e seu bem-estar, 24% a ter boa saúde, inclusive de parentes, 20% a um bom emprego, e 18% aos filhos. Outros 10% afirmaram que estão felizes pela boa situação financeira em que se encontram atualmente e 10% porque estão satisfeitos com a vida.

Entre as causas de infelicidade figuram dificuldades financeiras (7%), problemas de saúde (6%), desemprego (5%) e instabilidade (7%).

A pesquisa foi realizada em 12 de novembro com 1.600 cidadãos russos maiores de 18 anos.

LEIA TAMBÉM: Quais foram as palavras mais usadas na Rússia em 2020?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies