Rússia inicia censo aéreo de renas selvagens do extremo norte

Aleksandr Arkhipov/Global Look Press
Estudo permitirá, dentre outras coisas, a prever consequências de ameaças ao Ártico russo. Sondagem semelhante vem sendo conduzida com ursos polares.

O governo do distrito autônomo de Iamália-Nenets iniciou recentemente um censo aéreo das populações de renas selvagens na Península de Iamal, no extremo norte da Sibéria ocidental.

“Está previsto o estudo de seis rotas de contagem, com extensão total de mais de 2.800 km. Também há planos de marcar vários indivíduos com transmissores de satélite para determinar as rotas de migração de renas”, anunciou Oleg Istrati, diretor do Departamento de Gestão da Natureza e dos Recursos, Questões Florestais e Desenvolvimento do Complexo de Petróleo e Gás, instituição que conduz a iniciativa.

O estudo de campo fornecerá dados atualizados sobre a quantidade de renas, bem como sua distribuição e rotas de migração. Também facilitará a avaliação das consequências de ameaças ao Ártico, que é particularmente vulnerável a atividades humanas e ao aquecimento global, preservando, assim, diversidade biológica local.

Paralelamente, os especialistas darão atenção especial a ursos pardos, lobos e alces encontrados na região, para obter uma visão global da situação da fauna que habita a tundra e a taiga locais.

Também a partir deste ano, até 2024, estão sendo realizadas missões de censo aéreo de ursos polares no Ártico russo, com o objetivo de fazer um inventário deste animal emblemático e tirar conclusões sobre o futuro desenvolvimento da região norte.

LEIA TAMBÉM: Pastor de renas, um tipo em extinção

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies