Os cavalos mais resistentes à geada vivem na Iakútia (FOTOS)

Legion Media
Raça exclusiva vive no descampado a -50°C.

De corpo maciço e atarracado, e com a crina desgrenhada: conheça os cavalos da Iakútia que não têm medo das geadas mais severas.

Oficialmente, esta raça foi reconhecida apenas no final da década de 1980, mas os cientistas acreditam que ela exista há milhares de anos. Eles são considerados descendentes diretos dos antigos cavalos primitivos que chegaram à região oriundos da Ásia e mudaram de aparência, adaptando-se ao ambiente mais hostil.

Atualmente, na Iakútia, existem três subespécies da raça: o original do norte (chamado cavalo de Verkhoiansk, em referência a um dos lugares mais frios da Terra); o cavalo do sul, que é menor; e também o tipo grande do sul, que é resultado do cruzamento com outras raças.

Um cavalo da Iakútia comum tem apenas de 140 a 145 cm de altura, mas pesa quase meia tonelada. Eles são sobretudo marrons e cinza; outros tipos de cores são mais raros. Têm temperamento amigável, são calmos e curiosos – e especialmente bons para correr em terrenos acidentados.

O clima da Iakútia é continental. No verão, as temperaturas podem chegar a 35°C, enquanto no inverno caem para -50°C. Mas em Verkhoiansk e Oimiakon, no norte da região, já foram registradas temperaturas de cerca de -70°C. Para os cavalos da Iakútia, isso não é um problema – graças ao seu subpelo espesso, eles podem ficar ao ar livre mesmo durante os invernos mais extremos. Quando neva e faz frio, eles ficam cobertos com uma “camada” de gelo, mas não congelam. Até mesmo os bezerros passam noites ao relento. Também podem acumular gordura subcutânea rapidamente.

Os cavalos da Iakútia também são criados em haras, embora sejam bastante independentes. Eles podem obter a própria comida buscando com seus cascos a grama debaixo da camada de um metro de neve.

No norte, é difícil imaginar a vida sem esses cavalos: longe de cidades e sem estradas, este é o principal meio de transporte dos locais. Nos pontos onde até mesmo um SUV ficaria preso na neve, uma pessoa passa alegremente a cavalo.

Os pastores de renas da Iakútia usam esta raça para montar. Apesar de sua massa corporal, eles correm rápido, mesmo em neve profunda e em terrenos acidentados. No entanto, também se vê cavalos da Iakútia em um arreio. Em apenas um dia, os membros dessa raça podem caminhar até 100 km com uma carga de 300 kg no lombo. Tradicionalmente, antes das longas caminhadas pela tundra, o cavalo não é alimentado o dia todo para perder um pouco de gordura e assim correr mais rápido.

Os cavalos da Iakútia podem trabalhar ativamente por até 25 a 27 anos, enquanto a maioria das outras raças vive ativamente até 20 anos, em média.

O leite das éguas também é usado no preparo de uma bebida acidificada e fermentada chamada “kumis”.

Esta raça é considerada indígena, podendo viver apenas na região norte da Rússia, na Iakútia e no Extremo Oriente. O clima quente do sul não combina com esses cavalos.

LEIA TAMBÉM: 10 fatos sobre o assentamento mais setentrional da Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies