Cortar o cabelo? Veja o que os russos mais sonham em fazer quando o isolamento terminar

Legion Media, Alexánder Kryazhev/Sputnik
Pais que estão confinados com filhos pequenos também não veem a hora de brincar fora, ou sair para passear sem medo.

Os cidadãos russos, ou expatriados no país, enfrentam restrições de movimento desde o final de março, e o controle vem sendo regularmente reforçado ou estendido. Atualmente, só é permitido sair de casa para ir ao mercado mais próximo, trabalhar em atividades essenciais, ou levar o cachorro para um passeio rápido. Assim como no Brasil, muitos se queixam da falta do que fazer em casa.

O Russia Beyond resolveu então perguntar a algumas pessoas a primeira coisa que irão fazer quando as medidas de isolamento social começarem a ser relaxadas.

Roqueiros dos anos 70

“Assim que as restrições forem suspensas, vou cortar meu cabelo”, diz Roman, de Moscou, ao enviar, junto com a resposta, a foto de um poodle. “Estamos todos aqui agora com um monte de cabelo. E em maio estaremos como os membros da [banda de rock soviética] Pesnyary em 1978”, continua. “Mas esse penteado entrará na moda agora, já que todo mundo que sair da isolamento estará assim.”

Pesnyary

Valentina, de São Petersburgo, sonha não apenas em passar no salão de cabeleireiro, mas também fazer mãos, que, segundo ela, estão descuidadas desde março: “Irei a meu cabeleireiro do lado de Petrogrado e dali andarei até a rua Dostoiévski. Ao longo do caminho, vou comprar um café e um donut. E depois irei à rua Rubinstein e tomarei uma taça de vinho com espaguete. Depois vou a Moscou para continuar meus estudos e farei um churrasco na casa de amigos”. Já seu namorado, está ansioso para voltar à academia, ou pelo menos se exercitar fora de casa, já que agora é proibido.

Confinados com crianças

Grande parte dos moscovitas em isolamento com crianças parecem querer somente uma coisa: sair para brincar no parque infantil.

“As crianças estão presas em casa, é a coisa mais difícil”, diz Nadejda, mãe de dois filhos. “Eles não entendem o que é o coronavírus, o que os proíbe de sair.”

“Quando esse tempo passar, espero parar de olhar com nervosismo ao redor, com medo de ser multada”, acrescenta Maria, também com dois filhos. As multas para quem viola as regras de isolamento começam a partir de 5.000 rublos (375 reais).

Virar as noites fora

“Vou andar de skate no parque Górki, o que mais gosto de fazer em Moscou”, diz Tamara, de Vidnoie, nos arredores de Moscou. “E assim que for permitido, eu vou sair de férias. Hoje trabalho remotamente; dou palestras em uma universidade”.

“Primeiro, vou tomar um café e depois ir a uma loja de roupas, atravessando todo o centro de Moscou”, prevê Svetlana. A fotógrafa Daria se juntará a ela. “Vou passear no parque Tsarítsino, onde fotografo patos. Então vou pegar meu amado metrô e irei a uma loja. Vou experimentar todas as roupas! E convidarei todos para um churrasco.”

“E eu vou caminhar pelo parque VDNKh até cair, terei que voltar mancando... tomando um café em cada esquina”, diz Iúlia, acrescentando que, em segundo lugar, irá a Níjni Nôvgorod para visitar sua família e cortar o cabelo, porque já está o cabeleireiro em quem confia: “E meu pai planeja comprar um pacote de férias na Turquia, pois durante esse período ele já teve que cancelar dois”.

Outra jovem russa, chamada Svetlana, irá imediatamente a um parque com cordas para praticar na floresta, “sentar-se junto a fogueira, beber vinho quente, devorar o chachlik [churrasco] e tocar violão”. E no dia seguinte irá subir pelas cordas de novo. “Nos preparamos para escalar montanhas, e os preparativos incluem diferentes treinamentos de resgate, como descer e subir em cordas. Temos sacos de dormir e tudo o que precisamos”, conta.

Por enquanto, as restrições de movimentação permanecem em vigor até o dia 11 de maio, mas as autoridades não descartam prolongá-las caso seja necessário.

LEIA TAMBÉM: Os 5 MAIORES (em tamanho mesmo!) livros russos para você devorar na quarentena

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies