Vai viajar para Moscou? Eis as regras não escritas da capital russa (Parte 2)

Ilya Pitalev/Sputnik, Russia Beyond
 Revelamos aqui mais detalhes sobre alguns dos aspectos únicos – e muitas vezes bastante incomuns – da vida na capital russa.

1/ Não gostar muito dos novatos

Mas fazê-lo em privado e sem lançar discursos sobre como “Moscou não é infinitamente elástica”. Fato é que o que costuma ser chamado de esnobismo de Moscounão é realmente muito comum entre os verdadeiros moscovitas.

Em geral, os maiores esnobes da capital são pessoas que nem são originalmente de Moscou, mas chegaram à cidade recentemente. Quanto aos moscovitas nativos, é provável que ergam as sobrancelhas ao ouvir sobre os “provincianos brejeiros” que inundaram sua amada cidade (ainda que às vezes concordem com o sentimento).

2/ Preferir hambúrgueres artesanais a pizza

Se olharmos para a proporção de lanchonetes e pizzarias em Moscou, fica evidente qual é mais popular na cidade. Há muito mais lanchonetes – desde redes fast food até aquelas que oferecem hambúrgueres de carne Wagyu – do que existem pizzarias. Somente locais que vendem sushi e wraps – que os moscovitas aprenderam, inclusive, a fazer com salada russa – conseguem vencer as hamburguerias em números.

3/ Carros e iPhones não são indicação de status

Todo mundo sabe que todos ao redor estão endividado por causa de carros luxuosos e do modelo mais recente de iPhone. Portanto, o fato de alguém ter um ou outro não diz nada sobre eles. Pode ser alguém muito rico, ou pobre metido mesmo.

4/ Evitar a linha roxa de manhã, mas adorar a linha verde clara

A linha roxa é a mais movimentada do metrô de Moscou. Quem mora perto de uma de suas estações finais, sabe que o trabalho já começa na jornada pela manhã. Só para entrar no trem, você terá que botar o cotovelo em ação.

Paralelamente, a linha verde claro é uma das mais tranquilas e fazer uma viagem nela é pura satisfação, sobretudo quando comparado à roxa.

5/ Não ser muito fã de São Petersburgo

De tempos em tempos, moscovitas especulam sobre como seria bom mudar-se para Piter (apelido de São Petersburgo), também conhecida como “capital cultural” da Rússia. Mas, via de regra, os únicos moscovitas que dizem isso são aqueles que nunca ficaram em São Petersburgo por mais de uma semana no inverno nem moraram em um subúrbio local – ou, simplesmente, permaneceram sóbrios durante a última visita. Mas, se tivessem essa experiência, Piter seria o último lugar na Terra para eles.

6/ Textões de Facebook com incidentes do dia a dia

Até mesmo o acontecimento mais prosaico envolvendo um morador de Moscou pode se transformar em textão de Facebook. E, imediatamente, dezenas de outros usuários estarão prontos para se meter em uma discussão acalorada sobre o clima, ou o fato de os aquecedores serem muito quentes, ou o estado das calçadas, ou o quão rude todos são hoje em dia. Guerras de Facebook são comuns – e servem de alimento para mídia.

7/ Conhecer a pessoa certa resolve tudo

Seja encontrar um emprego, alugar um apartamento ou matricular seu filho em uma boa escola, as conexões são moeda inestimável em Moscou. É claro que você também pode gerenciar todas essas coisas sem a ajuda dos outros, mas é muito mais difícil.

8/ Nunca tirar fotos no muro do Kremlin e jamais ter visitado o Mausoléu

Os moscovitas não fazem esses tipos de coisa. Se você vir alguém com uma expressão impenetrável no rosto correndo pela Praça Vermelha, essa pessoa é certamente um moscovita. Provavelmente, eles estão apenas usando a Praça Vermelha como atalho, porque seria difícil encontrar ali um morador de Moscou sob outras circunstâncias (a menos que tenham parentes ou amigos de visita). Ir ao mausoléu para observar um cadáver é geralmente considerado um passatempo bizarro e suspeito.

9/ Moscou é a capital mundial dos cínicos

Às vezes, é assim mesmo que se sente em Moscou – embora, de vez em quando, os moscovitas concedam esse título a Nova York ou Paris (ou qualquer outra capital global). Mas todos sabem que, como diz o ditado, “Moscou não acredita em lágrimas”. Não há sentido em exigir simpatia se algo der errado. Da mesma forma, não faz sentido inventar desculpas. De fato, é melhor não dar desculpas – e é muito mais sensato fazer contra-acusações. Ninguém em Moscou se preocupa com seus problemas. Chorar no ombro de alguém por um longo período ou culpar as circunstâncias simplesmente não são opções. Caso contrário, você poderá receber uma resposta cínica como “Por que deveria me importar? Tenho problemas suficientes.”

10/ Duas horas no carro é melhor que 20 minutos no metrô

Provavelmente, existem muitas outras razões para Moscou ficar paralisada por engarrafamentos todos os dias. Mas estamos convencidos de que um dos principais é o seguinte: muitos moscovitas optam por se transportar de carro próprio, mesmo que isso demore muito mais do que pegar o metrô. Duas horas no carro em comparação com 20 minutos no transporte público? E há uma estação de metrô nas proximidades? Sim, mas vamos levar duas horas de carro embalados pela nossa rádio favorita.

LEIA TAMBÉM: Como é uma casa russa típica?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies