Steven Seagal é nomeado representante especial para as relações EUA-Rússia

Porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Maria Zakhárova (dir.), e Steven Seagal

Porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Maria Zakhárova (dir.), e Steven Seagal

Maria Zakharova
Amigo pessoal de Putin, ator norte-americano terá missão de reduzir tensões entre os dois países. Anúncio feito pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo foi recebido com críticas e piadas na internet.

Na última segunda-feira (6), o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia anunciou uma nomeação incomum: o ator e mestre em artes marciais norte-americano Steven Seagal, que recebeu cidadania russa em 2016, será o novo representante especial para as relações Estados Unidos-Rússia.

No novo cargo, Seagal contribuirá para a cooperação bilateral no campo das artes, ciência, educação, esportes, público e intercâmbio de jovens, assim como participará de eventos na Rússia e no exterior e manterá contatos com parceiros americanos.

Espera-se também que o ator se envolva na preservação de locais memoráveis ​​ conectados à Rússia nos Estados Unidos e que promova o legado russo-americano e os capítulos da história comum dos dois países.

Apesar de a função não ser remunerada, Seagal demonstrou otimismo e disposição.

“Estou profundamente honrado por ter sido nomeado representante especial do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo encarregado dos laços humanitários russos e americanos. Espero que possamos lutar pela paz, harmonia e resultados positivos no mundo. Eu levo essa honra muito a sério”, escreveu o ator no Twitter. 

De Hollywood para a Rússia

O ator, nascido em Michigan, porém com raízes russas, recebeu em 2016 o passaporte russo das mãos do próprio presidente Vladímir Putin e elogiou publicamente o líder russo em diversas ocasiões, chamando-o de “um dos maiores líderes mundiais vivos”. Além disso, Seagal também defendeu diversas vezes a Rússia contra as acusações de suposta interferência nas eleições presidenciais dos EUA.

“Eu acho que a maioria das pessoas nos EUA e a maioria das pessoas na Rússia querem gostar umas das outras. Nós precisamos uns dos outros. Rússia e Estados Unidos devem ser grandes aliados. É assim que deve ser”, disse o ator em 2017.

Embora não viva permanentemente na Rússia (ele manteve a cidadania americana e adquiriu também passaporte sérvio), Seagal costuma visitar o país com frequência. Em 2013, por exemplo, ele conheceu o líder tchetcheno Ramzan Kadirov, e participou do Desfile da Vitória e do Fórum Econômico Oriental em 2015. Neste ano, Seagal esteve na cerimônia de tomada de posse de Pútin e mais uma vez no Desfile da Vitória. Além disso, ele lançou um show de artes marciais na Rússia.

Reação pública

A nomeação de Seagal, porém, provocou debate público. Especialistas ocidentais, como o ex-embaixador dos EUA na Rússia, Michael McFaul, classificaram a iniciativa como “desespero”, mas Konstantin Kosatchov, presidente do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação, achou a decisão “justificada”.

“A Rússia mostra que está fazendo o possível para evitar um ponto sem retorno nas relações Rússia-EUA”, afirmou. “E também mostra um entendimento de que, nas condições atuais (...), é necessário apelar para a opinião pública nos Estados Unidos, para aquelas pessoas que não estão interessadas em uma maior degradação nas relações e que podem sofrer com isso”, acrescentou.

A reação do público, no entanto, foi mais cética e sarcástica, e usuários de internet no Ocidente começaram a brincar com a possibilidade de usar outras celebridades.

Dennis Rodman e agora Steven Seagal se tornaram embaixadores da paz? Estamos todos loucos de LSD ou Ashton Kutcher vai sair do esconderijo e nos dizer que fomos punidos.

Dennis Rodman está cuidando das relações com a Coreia do Norte, e agora Steven Seagal está trabalhando com a Rússia. Nós só precisamos de Gary Busey para trabalhar com o Irã, e o eixo do ridículo estará completo.

“Seteven Seagal deve agora atenuar as relações entre os EUA e a Rússia? O que vem depois? Chuck Norris vai para a China  mitigar a guerra comercial?”

Enquanto isso, na Rússia, os internautas brincaram que as habilidades de artes marciais de Seagal serão úteis no trabalho diplomático, e que Hollywood é agora a principal fonte para especialistas no Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

“Steven Seagal tornou-se representante do MNE [Ministério dos Negócios Estrangeiros] na Rússia. A Universidade Mgimo vai ser desmantelada como inútil. Hollywood se tornará a principal fonte de especialistas para o MNE”.

“(…) Se um acordo nas negociações não for alcançado, ele pode lutar.”

“- O Sr. Seagal está chamando-o no tatame. - Você quis dizer “no tapete”. - Não, no tatame.”

“Steven Seagal foi nomeado representante especial do Serviço Penitenciário Federal para tortura”.

“Lavrov para Seagal: Vamos trabalhar como ‘bom diplomata/mau diplomata’”.

Mesmo antes de receber a cidadania russa, Seagal já expressava admiração pelo país e seu líder em entrevistas. Leia como o ator se apaixonou por “caviar e Putin”.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies