Surpresa na Rússia: como Steven Seagal se apaixonou por “caviar e Putin”

Getty Images
Em 2016, ator e mestre em artes marciais recebeu passaporte russo das mãos do presidente. Desde antes, porém, já expressava admiração pelo país e seu líder em diversas entrevistas.

“Eu posso dizer que sou russo. Tenho parentes russos. Eu amo Rússia e tenho orgulho disso”, declarou Steven Seagal, em 2014. “A família do meu pai é de Vladivostok.”

Em 2016, o ator e mestre em artes marciais pôde, enfim, assumir sua “russidade” após receber o passaporte nacional, concedido pessoalmente pelo presidente russo Vladimir Putin.

Quando pressionado durante uma entrevista por um jornalista russo que pedia mais detalhes sobre sua afeição pelo país, Seagal respondeu de forma ríspida: “Algumas pessoas adoram a África, o México, cores fluorescentes. [...] Simplesmente gosto da Rússia e não tenho medo de dizer isso. Há também outros países que eu gosto. Eu gosto do Japão e não há motivo para me envergonhar. Ninguém nunca vai me dizer lá: ‘Ele veio aqui porque quer alguma coisa’. Pessoas que dizem isso são simplesmente idiotas.”

“É óbvio que o meu amor pela Rússia não se deve apenas à bela geografia, à bela paisagem ou à bela arquitetura. Basicamente, tem a ver com o fato de que os russos compõem uma das maiores nações do planeta”, acrescentou.

O afeto pela Rússia também se deve, em parte, à sua paixão pela culinária local. “Eu odeio dizer isso, mas amo caviar. Adoro pelmêni. Eu amo chachlik e borsch”, contou.

Respeito nas quebradas

Em algumas entrevistas, Seagal afirmou ter projetos empresariais na Rússia. Há, por exemplo, boatos de um filme sobre Genghis Khan. Além disso, ele estrelou alguns comerciais de uma empresa russa de celulares, explorando sobretudo a imagem de durão.

Em um anúncio, ambientado no inverno, bandidos russos se aproximam de Seagal todo encapotado. Antes que acabem com as ameaças, o ator os interrompe e diz a eles, usando um tradutor on-line: “A neve fofa range sob meus pés, como os ossos de meus inimigos”.

“Pessoal, é um de nós”, dizem eles, retirando-se de fininho. O comercial foi veiculado pouco depois de Seagal obter oficialmente a cidadania russa.

Em outra peça publicitária da mesma série, Seagal está preso em um engarrafamento e responde a um motorista rude, que tenta cortá-lo no trânsito, com uma frase famosa da comédia soviética “Braço de Diamante”(à qual está assistindo via streaming no telefone naquele momento): “Eu vou bater em você com cuidado, mas com força”.

O irmão postiço

Seagal já se declarou várias vezes um grande fã de Putin. “Eu o considero um amigo e gostaria que ele fosse meu irmão. Eu acho que ele é um homem honesto, um homem de palavra, e o que é muito importante para mim – e que, diferentemente da maioria dos líderes mundiais, não pensa em si mesmo e em sua imagem, mas se preocupa com seu país e com seu povo”, disse o ator nascido nos EUA, em uma entrevista de 2014.

Em outro momento, Seagal afirmou que “admira Putin como um grande líder”, relembrando a situação na Rússia no final dos anos 1980 e 90. “Eu estive na Rússia quando não havia comida nem dinheiro, e as pessoas simples sofriam e morriam. [...] Eu vi como a Rússia estava desmoronando e vi como Vladimir Putin conduziu um país que estava em condições catastróficas e fez dele um país com uma grande economia, onde quase não há desemprego. A Rússia é uma nação próspera; as pessoas vivem bem aqui. E esse é o resultado das políticas de Putin. Teria sido difícil para qualquer outro chefe de Estado alcançar resultados semelhantes, e é por isso que eu amo a Rússia”, disse.

A proximidade entre os dois também foi demonstrada em setembro de 2015, quando Putin e Seagal visitaram um oceanário em construção em Vladivostok em companhia do vice-primeiro ministro chinês. Na ocasião, Seagal foi apresentado como “nosso amigo”.

Não se sabe se o ator se tornou próximo do oficial, mas a amizade parece de vento em popa com o vice-primeiro-ministro russo Dmítri Rogózin, também responsável pela Defesa e indústria espacial do país. Rogózin já convidou o ator para vários eventos, e o mais recente deles foi a visita de Seagal ao Museu da Cosmonáutica, em Moscou. 

Carreira diplomática

Em 2015, houve rumores de que Moscou pretendia nomear Seagal como cônsul honorário russo na Califórnia e no Arizona para aumentar o “potencial de mediação entre a Casa Branca e o Kremlin”. De acordo com BuzzFeed, o então presidente Barack Obama teria ficado “chocado” com a proposta, mas nunca houve qualquer confirmação oficial sobre tudo assunto. Por enquanto, no entanto, sua carreira diplomática parece estar em stand-by – ao contrário, aliás, da musical. Há algum tempo, o ator gravou na Rússia o single “Boogie Man” acompanhado do cantor russo de origem azeri Emin.

Achou curioso? Confira também o depoimento de Gérard Depardieu, que decidiu trocar a França pela Rússia em 2013.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais