6 itens de vestuário intrinsecamente russos

O guarda-roupa russo mudou muito desde os tempos antigos, mas alguns itens básicos ainda estão em voga. Confira quais itens de vestuário continuam a imprimir o "estilo russo" por aí.
  1. Uchanka

Atualmente, este é um dos suvenires mais populares da Rússia - que poderia, quem sabe, competir com a boneca matriôchka. Na realidade, existem muitos tipos diferentes de chapéus na Rússia (o que não é de surpreender, devido ao clima), mas os chapéus tipo uchanka são simplesmente cultuados.

Grosso e quente, este chapéu russo passou por inúmeras modificações e mudanças de status. No início, ele era usado por camponeses na Rússia. No início do século 20, a uchanka fazia parte do uniforme do Exército Branco, que lutou em defesa do tsarismo. Depois, na década de 1930, ele se tornou parte do uniforme do Exército Vermelho soviético.

Um dos maiores fãs da uchanka foi o líder soviético Leoníd Brejnev. Sem causar surpresa, ele logo se tornou popular com a elite do Partido Comunista e as massas. As abas na orelha eram usadas como bolsos (podia-se, por exemplo, guardar o dinheiro ali), e as uchankas mais caras eram guardadas na geladeira, para preservar melhor sua pele.

Onde usar? Em todo lugar, mas particularmente na Sibéria ocidental e oriental. Uma uchanka pode ajudá-lo a sobreviver a qualquer inverno.

  1. Kokôchnik

Na antiga Rus, as mulheres não usavam chapéus, que eram para homens. As mulheres vestiam na cabeça o kokôchnik, uma tiara russa tradicional feita de tecido (por vezes, usada junto com um lenço que cobria a cabeça, o pescoço e os ombros). Só mulheres casadas podiam usar o kokôchnik.

Existem muitos tipos de kokôchnik, já que quase todas as regiões da Rússia tinham sua própria versão desta popular tiara. Aliás, foi no governo de Pedro, o Grande, que as mulheres aristocratas foram proibidas de usá-lo.

O tsar queria que a Rússia adotasse uma moda europeia, assim esperava-se que as mulheres usassem vestidos decotados (o que deve ter sido uma grande mudança para as mulheres casadas).

Na década de 1920, a tiara russa se tornou a última moda na Europa (por exemplo, a mulher de George 5°, Maria von Teck, usou um kokôchnik em seu casamento). Desde então, o kokôchnik passou por inúmeras transformações.

Onde usar? Em um show (se você for ums estrela do rock como Courtney Love); em uma partida de futebol, se você torcer pela seleção russa; em uma festa, como acessório fashion.

  1. Válenki

Estas são as tradicionais botas de feltro russas (as “Uggs” à moda russa), que durante séculos foram um elemento essencial nos guarda-roupas do país. Isto, no entanto, não significa que você verá pessoas de válenki em um passeio por Moscou no inverno.

Hoje em dia, as botas de feltro são usadas só em climas extremos. Mas, por exemplo, em algum rincão da Sibéria, seria bom você sair de casa com uma válenki, porque, caso contrário, a neve entraria imediatamente em seu calçado frágil da cidade.

Aliás, até o século 18, a válenki era feita só na Sibéria e em várias outras regiões do norte. O resto da Rússia só percebeu a grandeza desta invenção mais tarde. Atualmente, a válenki faz parte do uniforme de quem trabalha na indústria de petróleo e gás e nas ferrovias.

Onde usar? Em todos os lugares onde estiver frio e houver muita neve.

  1. Caftan

Esta é a pedra angular do guarda-roupas de qualquer homem na Rússia! A partir do século 10, ela era usada somente por membros das classes privilegiadas. Mas, com o tempo o caftan da “elite”  evoluiu de tal forma que até os garis passaram a vesti-la...

LEIA TAMBÉM: Por que a baixa máfia russa (e todo país) ama a Adidas?

Na verdade, o caftan não é uma invenção russa. Os russos o tomaram emprestado dos persas antigos. Semelhante a um casaco, ele se revelou adequado para todos os tipos de homens: dava uma engordadinha nos magrelos, uma emagrecidinha nos gordinhos e conferia importância aos que pareciam insignificantes. Existe uma teoria de que todos os outros tipos de casacos na Rússia são derivados do caftan.

Onde usar? Ele é, de certa forma, uma alternativa ao terno, então você pode tentar usá-lo em uma reunião de negócios.

  1. Lenço de cabeça russo

Existem dezenas de maneiras de usar um lenço (ou xale) russo e não parecer uma pessoa nascida há um milênio. Sim, o xale russo tem séculos de idade, mas sua produção ainda está floresca toda (em grande, parte graças a fashionistas modernos como Denís Simatchev).

Os lenços russos são produzidos em Orenburg, na região de Moscou, nos Urais, em Vologda e em outros lugares. Mas são todos baseados no mesmo tipo de artesanato russo antigo, que pode levar uma vida inteira para se aprender.

Onde usar? Na cidade, durante a primavera e outono, já que estes lenços também são bastante quentes. Eles servem como chapéu e cachecol de uma só vez.

  1. Uniforme escolar

Na União Soviética, as crianças tinham seu próprio uniforme escolar. Para os meninos, ele era um terno escuro, quase militar, e para as meninas, um vestido marrom com um avental preto ou branco. O uniforme tinha ainda um acessório adicional: uma gravata vermelha de pioneiro, que assinalava a filiação ao movimento, um equivalente dos escoteiros, mas mais aprofundado na ideologia.

Apesar de a ideia de um uniforme escolar remontar à Rússia tsarista, é a versão soviética que se tornou kitsch na Rússia moderna. O uniforme escolar foi abolido na Rússia, em 1994, como velharia dos tempos soviéticos, mas algumas crianças o vestem atualmente para a cerimônia de formatura (sem, é claro, quaisquer sentimentos nostálgicos pela escola da era soviética).

Nos dias 24 e 26 de maio, você pode encontrar garotas adolescentes em aventais brancos em qualquer cidade russa.

Onde usar? Em um baile de formatura na Rússia. Ou em uma festa de Halloween. Atualmente, o uniforme está disponível em centenas de lojas on-line.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies