Por que a baixa máfia russa (e todo país) ama a Adidas?

Os chamados ‘gópniki’, a malandragem ou camada baixa da máfia russa, transformaram os uniformes da Adidas quase em um símbolo nacional.

Os chamados ‘gópniki’, a malandragem ou camada baixa da máfia russa, transformaram os uniformes da Adidas quase em um símbolo nacional.

Natalya Nosova
As relações da marca esportiva alemã remontam aos dias de União Soviética, e as três (que no país por vezes são apenas duas ou até quatro) listras fizeram um baita barulho do lado leste da Cortina de Ferro. Mas o que ninguém poderia prever era que a Adidas se tornaria uma marca registrada do submundo do crime russo.

Karl Lagerfeld, diretor criativo da maison Chanel, disse certa vez: “Calças de ginástica são sinal de derrota. Se você comprou algumas calças de ginástica, significa que você perdeu o controle da sua vida”. Se isso for verdade, então muitos russos perderam, sim, os controles de suas vidas.

Trajes esportivos muitas vezes não têm nada a ver com esporte no país – especialmente no interior. Pelo contrário. Muita gente veste este tipo de roupa como calças cotidianas, e elas viraram quase um símbolo nacional.

Veja só estes memes! Claro, nem todo mundo veste macacões da Adidas na Rússia (principalmente hoje em dia), mas as fotos são bem engraçadas.

Um gópnik olha para o retrato do poeta Aleksandr Púchkin.

Mas há apenas algumas décadas, os trajes esportivos não eram vistos dessa forma. Na realidade, eles eram considerados classudos. Por que a mudança?

Adidas nas Olimpíadas

No período da Guerra Fria, logo antes de Moscou receber as Olimpíadas de 1980, a Adidas assinou um contrato com o governo soviético para fornecer uniformes listrados à equipe esportiva nacional.

Não que Leonid Brejnev e seus camaradas estivessem muito agradecidos de ver os atletas soviéticos competindo em vestes ocidentais, mas a qualidade dos tecidos daquele lado da cortina era muito melhor.

A URSS fez seu melhor para apagar os sinais capitalistas dos uniformes, ocultando o logotipo da Adidas e trazendo duas listras (ao invés das três oficiais da Adidas).

Mas isto não impediu o público russo de simpatizar com o fato de que seus heróis estavam vestindo Adidas. A popularidade da marca deslanchou na União Soviética após os jogos.

Na moda

Assim, no começo dos anos 1980, os uniformes da Adidas se tornaram um sinal chiquérrimo. Claro, comprá-los ilegalmente era tão difícil que havia toda uma indústria falsificando-os. Assim, as famosas três listras foram incorporadas a todo tipo de roupa, e os sortudos que conseguiam o material original se sentiam vestindo ternos feitos sob medida.

As autoridades viam a marca sob a mesma luz do jeans, do chiclete e outros produtos ocidentais, mas não podiam fazer nada quanto a isso. Até um ditado surgiu: “Quem veste Adidas hoje venderá a pátria amanhã!”. Claro que ele rima em russo, parecendo menos tosco.

Gópnik

Após a queda da União Soviética, os agasalhos esportivos – inclusive de outras marcas além da Adidas – ficaram altamente populares no submundo do crime. Prisioneiros os vestiriam, já que muitas cadeias não proviam uniformes. Além disso, na década de 1990, ex-esportistas se voltavam ao crime para poderem se sustentar e vestiam as roupas esportivas a que já estavam acostumados.

Não importa sua idade, na Rússia você pode parecer um mafioso só vestindo trajes esportivos.

A moda também pegou alguns altos empresários (a maioria, ligada ao crime), e os “gópniki”, ou seja, a baixa classe do mundo do crime.

Claro que os últimos usavam muito as falsificações, que saíam como “Adidos”, “Abibas” e outros nomes.

Adidas vai com tudo na Rússia, até sapato de bico fino e textura de crocodilo.

A queda dos agasalhos esportivos

Em 2008, um usuário russo do site LoveHate.ru escreveu escreveu: “Você não pode usar uniforme esportivo para ir a um teatro ou a um casamento, mas no dia a dia, por que não?”. O tempo passou, porém, e a popularidade dos abrigos esportivos no dia a dia caiu.

Você não está vesgo! Tem três listras, dois “s” e um “o” no lugar do “a” mesmo!

Em outubro de 2017, Pável Gortchev listou no Quora.com os tipos de pessoas que usam, hoje em dia, abrigos esportivos (exceto aquelas realmente praticando esportes)> os “gópniki”, gângsters e pessoas dirigindo trens de longa distância.

Vieram para ficar

Sim, muitos russos usam abrigos esportivos nos trens, mesmo que não sejam “gópnik”. O professor de ciências sociais Víktor Wachstein explica: “O abrigo hoje é um uniforme meio público, e o vagão do trem, um espaço meio público. Por isso eles se completam, provavelmente. Além disso, tem o fato de que é simplesmente confortável vestir um abrigo esportivo”.

Piadas à parte, a obsessão russa quanto a abrigos esportivos não toma só as camadas mais baixas da sociedade. Veja mais:

O armário da Mônica, se ela fosse “gópnik”.
Homem vestindo abrigo esportivo no museu.
Por que não cantar em abrigo esportivo e sapato social hoje?
A versão feminina também existe: leggings Adidas e salto alto.
Na Rússia, até seu carro pode vestir Adidas...

... ou sua porta...

...e por que não seu gato? Mas, por favor, não maltratem os animais!

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais