A evolução do uniforme escolar russo nos últimos 200 anos

Alunos da escola de Tiumen (1889)

Alunos da escola de Tiumen (1889)

wikipedia.org
Historiadora de moda descreve mudanças no guarda-roupa de estudantes,

Até o início do século 19, não havia propriamente um uniforme escolar na Rússia. Seu surgimento está relacionado ao tsar Alexandre I, que decidiu criar um funcionalismo público altamente qualificado, cuja formação teria início nos bancos da escola.

Assim, em 19 de outubro de 1811, foi aberto com grande solenidade o famoso Liceu de Tsarskoe Sieló. O uniforme dos primeiros alunos do liceu, garotos de dez a 14 anos de idade, parecia uma farda militar: uma casaca azul com gola vermelha e detalhes prateados, calças brancas de camurça e botas de cano alto.

Em 1834, Nicolau I resolveu paramentar com um novo uniforme todos os funcionários subordinados ao governo – desde os alunos de colégio até os servidores de alto escalão. Os alunos deviam usar uma sobrecasaca de gola alta, com galões e botões dourados, presa por uma correia com chapa de metal. Além disso, eram obrigados a vestir um capote com botões prateados – exatamente como os militares.

Por muitos anos, a mochila de militar foi um acessório obrigatório entre os estudantes. Os jovens se orgulhavam do uniforme, permaneciam com ele o dia todo e usavam a vestimenta inclusive nos feriados.

Trajes mais leves

Em 1860, em substituição à severa sobrecasaca, surgiu a guimnastiorka – uma camisa leve e larga, presa na cintura por um cinto com fivela, na qual se inscrevia o brasão do colégio.

Alunos do colégio (1913) Foto: Karl Bulla / RIA Nóvosti

Com o tempo, a guimnastiorka tornou-se parte obrigatória do uniforme não só em instituições de ensino como também no Exército. No verão, os jovens usavam uma guimnastiorka de linho e de cor clara; no inverno, usavam uma peça de lã, com um cinto preto de fivela prateada. A farda de insíração militar passou a ser usada apenas nas celebrações.

No mesmo ano, em Kiev, foi criado um colégio para moças, para as quais desenharam um uniforme especial: vestido sem decote, de lã marrom, sobre o qual se vestia um avental preto. Nos vinte anos seguintes, surgiram vários desses colégios, e em todos eles as moças usavam o mesmo traje.

Alunas do Instituto Smolny Para Jovens Donzelas (1860) Foto: foto do aquivo

Apenas no final do século 19 as alunas ganharam um uniforme de gala, com um avental branco de gola e punhos rendados. Em situações especiais, as moças usavam uma pelerine branca e adereços nos punhos.

Passado esquecido

A Revolução de Outubro de 1917 mudou o uniforme escolar em toda a Rússia. Os colégios foram fechados, sendo mantidas apenas as escolas comuns, onde não havia um traje obrigatório.

Entretanto, já em 1922, foi criada uma nova instituição escolar, e com ela surgiu um novo uniforme, cujo modelo era a vestimenta dos marinheiros usada no final do século 19. O traje era composto por uma blusa clara de gola listrada e calças escuras. Todos os estudantes se vestiam assim, mas em vez da gola listrada, amarravam um lenço vermelho no pescoço.

Pioneira e Iossif Stálin (1935) Foto: Ivan Chaguin / RIA Nóvosti

O duro período entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial obrigou os russos a esquecerem novamente o uniforme escolar. Ele voltou à cena somente em 1948, quando os garotos passaram a usar uma guimnastiorka paramilitar, com gola aberta e insígnia no peito.

O cinto com fivela e o quepe de aba de couro deixavam os estudantes parecidos com soldados. Para as meninas, fabricavam vestidos de lã marrom com avental preto. O traje de gala feminino era composto de avental branco, com gola e punhos rendados.

Aluno moscovita (1959) Foto: Mikail Ozerski

Naquela época, ninguém pensava nas inconveniências dessa roupa, que precisava ser lavada com frequência, uma vez que ninguém comprava duas peças.

Futuro de paz

Em 1962, a guimnastiorka paramilitar foi trocada pelo casaco de flanela cinzenta. O traje das meninas permaneceu o mesmo. Os tecidos eram ruins, pois na confecção das roupas era usado o refugo da produção, e o uniforme se estragava muito rapidamente. Além disso, a maioria das crianças soviéticas não tinha um segundo par de calças nem casacos extras, de modo que o uniforme escolar era usado, literalmente, até se esgarçar.

Em 1973, os garotos passaram a vestir paletó azul de lãzinha. As jaquetas e calças do uniforme lembravam os jeans, então na moda, e as jaquetas tinham bolsos no peito e dragonas. Na manga, inscreviam o emblema da escola.

Uniforme em 1978 Foto: Aleksandr Graschenkov/ RIA Nóvosti

Em 1983, o uniforme das últimas turmas passou a ser um terno de paletó azul, de tecido bastante confortável – lãzinha com tergal. Para as meninas, era confeccionada uma espécie de terno também azul, de três peças: jaqueta com bolsos, colete e saia-trapézio. As meninas das primeiras classes usavam o traje típico russo chamado sarafan, um tipo de vestido sem mangas, com uma blusa branca por baixo.

Na primavera de 1994, foi abolido o uso obrigatório do uniforme na Rússia. Algumas instituições de ensino introduziram os seus próprios uniformes, em geral no estilo inglês: saia xadrez e jaqueta. Hoje em dia, a questão do uniforme é assunto particular de cada escola e seu uso é decidido pelo conselho escolar.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.