Os 5 melhores aviões russos de todos os tempos

MiG-29

MiG-29

Mil.ru (CC BY 4.0)
De pulverizador de milho a jatos de combate de quarta geração, estas aeronaves russas ganharam renome em todo o mundo — e não é à toa!

1. Su-27

Su-27

O Sukhôi Su-27 foi a resposta soviética aos aviões de guerra F-15 e F-16, cuja produção foi lançada nos Estados Unidos na década de 1970. Quando o governo da URSS recebeu informações sobre os planos norte-americanos de desenvolver um novo caça a jato superior, o Estado-Maior Soviético emitiu ambiciosos requisitos e especificações para o novo caça a jato nacional. A aeronave deveria ter alcance incrível, ultrapassar a velocidade Mach 2+ (o dobro da velocidade do som) e ser capaz de transportar armamentos pesados.

O Su-27 realizou seu primeiro voo em 20 de maio de 1977 e entrou na linha de produção em 1982. Ele ficou atrás do F-16 em termos de raio de combate, mas ultrapassou os jatos norte-americanos em velocidade (a velocidade máxima do Su-27 é de 2.525 km/h).

Equipado com um canhão de 30 mm e mísseis ar-ar R-73 e R-27, o Su-27 foi projetado para missões de superioridade aérea e operações de guerra aérea. Desde a década de 1980, os militares russos criaram diversas modificações do caça que levaram mísseis ar-superfície. Hoje, esses aviões servem nas forças aéreas da China, Índia, Indonésia, Vietnã e diversos países da antiga URSS.

2. MiG-29

MiG-29S.

O Mikoyan MiG-29 foi o segundo caça a jato soviético desenvolvido para competir com os modelos F-15 e F-16 dos EUA. Embora o MiG-29, menor, não faça frente ao Su-27 em termos de velocidade e alcance de combate, ele supera o famoso jato em capacidade de manobra.

O caça a jato pode ser equipado com mísseis ar-ar e ar-solo. Fabricado pela primeira vez no início dos anos 1980, o MiG-29 permanece em uso ativo na Rússia e em vários outros países, entre eles a Índia, Sérvia, Peru, Polônia e outros.

O principal caça da Força Aérea da Rússia é a versão atualizada do MiG-29, que também é um verdadeiro laboratório voador para testar novas tecnologias. Ele está equipado com motores de empuxo vetorial que dão à aeronave novas capacidades de manobra.

Esse avião opera hoje em 28 países e pode ser encontrado até mesmo nas bases aéreas dos EUA, já que, em 1997, a Moldávia vendeu 21 desses aviões aos americanos.

Nas últimas modificações, a aeronave recebeu um sistema eletrônico de bordo de última geração, tanques de combustível extras e equipamento para reabastecimento em voo.

Em um futuro próximo, a Rússia pretende substituir os caças Su-27 e MiG-29 por novos caças Su-57 da quinta geração.

3. Yak-9

Yak-9

A criação, em 1942,  do Yak-9, um caça monomotor com lugar para um piloto e uma hélice na frente, significou o fim do domínio da Luftwaffe nos céus. No total, a URSS construiu 16.769 aviões desse tipo, o que fez do Yak-9 o caça soviético mais produzido da Segunda Guerra Mundial.

As longarinas de metal do avião permitiam levar mais combustível e armamentos e, assim, combater com sucesso contra os caças nazistas Focke-Wulf Fw 190 e Messerschmitt Bf 109G.

O Yak-9 foi uma plataforma ideal, usada para criar uma diversidade de outras aeronaves modificadas baseadas nesse modelo: caças-bombardeiros, aviões de reconhecimento, de passageiros e de treinamento.

Durante certo período, o caça pessoal de James Eric Storrar, comandante do 234º esquadrão da Força Aérea Real Britânica, foi um Yak-9.

4. An-2

An-2.

O An-2, conhecido como “Colt” na classificação da Otan, foi apelidado de “Ánnuchka” (diminutivo de Anna), ou simplesmente “fumigador” na URSS e na Rússia.

A aeronave foi desenvolvida em 1947 pelo escritório de projetos Antonov, que na época estava localizado em Novossibirsk (3.000 km a leste de Moscou). Ela foi originalmente concebida como um avião para realização de trabalhos agrícolas. No entanto, ao longo dos anos, descobriu-se que poderia cumprir várias outras funções.

O modelo tem sido usado para atividades esportivas, transporte e traslado de passageiros. Ele também foi reequipado para atender a determinadas necessidades militares e participou de diversas guerras.

O An-2 já foi operado por exércitos de mais de 50 países. Capaz de realizar voos rasantes e indetectável pelos radares, ele é também usado como avião de reconhecimento.

Sua baixa manutenção e alta efetividade fizeram dele o principal meio de transporte nos lugares mais inacessíveis da URSS: a Sibéria, o Extremo Norte e a Ásia Central.

O modelo foi incluso no livro “Guinness” dos recordes como o único avião fabricado por mais de 60 anos.

5. Tu-154

Tupolev 154M.

O Tu-154 é o modelo de avião civil soviético mais fabricado: 1.026 aviões desse tipo foram construídos no total. Capaz de atingir uma velocidade de 850 km/h, ele foi um dos aviões civis mais rápidos do mundo.

Em seus primeiros anos, o Tu-154 transportava metade de todos os passageiros da Aeroflot, a única companhia aérea da URSS.

Uma das características mais notáveis do avião comercial é sua capacidade de decolar e pousar em aeródromos não pavimentados. Ele foi amplamente utilizado no Ártico e em outras regiões setentrionais da Rússia.

Em 25 de dezembro de 2016, um avião Tu-154 caiu no Mar Negro, apenas 70 segundos após decolar. A bordo da aeronave se encontravam 92 jornalistas, militares e músicos do conjunto Aleksandrov, o coro oficial das forças armadas russas.

Como resultado do maior acidente aéreo de 2016, o Ministério da Defesa considera a possibilidade de substituir todos os Tu-154 por veículos mais modernos.

LEIA TAMBÉM: Os 5 melhores helicópteros russos de todos os tempos

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies