Cientistas russos criam plantas brilhantes usando DNA de fungos; veja vídeo

Desenvolvimento encontrará aplicação não apenas para fins científicos, dizem autores. Venda de plantas ornamentais luminosas pode começar em dois anos.

Cientistas da Rússia, do Reino Unido e da Áustria conseguiram criar plantas que brilham no escuro durante todo o ciclo de vida. O estudo foi realizado em dois tipos de tabaco, cujos genes receberam DNA de um fungo bioluminescente.

“Existem muitos organismos luminosos na natureza, mas eles não estão no reino vegetal. Os genes para dois sistemas bioluminescentes – bactérias e fungos – foram totalmente decodificados. As bactérias estão, evolutivamente, longe das plantas, então usamos um sistema de cogumelos. Nós o decodificamos e inserimos nas plantas. Os genes dos fundos funcionam muito bem”, diz Iliá Iampolski, que liderou a pesquisa.

O estudo, que recebeu suporte da Fundação Russa de Ciência e do Centro Skôlkovo, foi recentemente publicado na revista “Nature Biotechnology”.

De acordo com os autores, graças à descoberta, os biólogos poderão observar o metabolismo e outros processos internos das plantas. Além disso, acredita-se que a experiência encontrará aplicação não apenas para fins científicos. As plantas luminosas recém-desenvolvidas poderão ser usadas também para criar flores ou outras plantas ornamentais brilhantes e alterar a composição dos vegetais que nos cercam.

LEIA TAMBÉM: 5 conquistas russas no espaço que você (provavelmente) não conhecia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies