Sete animais que existem só na Rússia

Lori/Legion-Media
De aves a mamíferos, criaturas nada comuns habitam os cantos mais remotos do país.

A Rússia contém diversas criaturas raras e incomuns, animais endêmicos cujo habitat se limita a áreas no próprio interior do país. Para vê-las, pode ser necessário embarcar em uma viagem para algumas das regiões mais remotas da Rússia. O tempo e a distância são, no entanto, recompensados também com a beleza das florestas e lagos.

1. Desman russo

Foto: East NewsFoto: East News

Milhões de anos atrás, quando os mamutes ainda não tinha surgido no planeta, o desman já estava por aqui. Esse animal é, inclusive, a própria incorporação da antiguidade. Sua visão limitada o torna semelhante a uma toupeira, mas o formato de sua cauda e seu estilo de vida lembram mais o australiano ornitorrinco.

Esse incomum mamífero semiaquático habita hoje as bacias dos rios Don, Volga e Ural. A pele do desman permanece seca até mesmo debaixo d'água por causa de uma substância oleosa liberada por suas glândulas. Aliás, foram as propriedades aromáticas de seu almíscar e a pelagem única do desman que colocaram o animal à beira da extinção há alguns séculos. Agora, porém, está sob proteção.

2. Focas de água doce dos lagos Baikal e Ladoga

Foto: Shutterstock/Legion-MediaFoto: Shutterstock/Legion-Media

Os únicos mamíferos que habitam o Baikal e o Ladoga são as focas. Os moradores mais charmosos desses lagos de água doce se tornaram seus símbolos não oficiais. O Baikal apresenta um ainda área reservada onde os visitantes para assistir a essas criaturas inteligentes exibindo seus movimentos graciosos.

As focas também são mencionadas em muitas histórias e lendas antigas da Rússia. Os povos de Tchukotka, no Extremo Oriente russo, tem por tradição um conto sobre uma grande mãe foca que deu à luz a todos os seres vivos na Terra.

3. Carneiros das neves de Putorana

Foto: Alamy/Legion-MediaFoto: Alamy/Legion-Media

O impenetrável Planalto Putorana é uma das áreas mais selvagens e menos acessíveis da Rússia: para se chegar lá, só é possível de barco ou avião. O local é lar do endêmico carneiro das neves. Se chegar ao planalto é um desafio em si, apreciar esse morador do planalto também requer uma boa dose de sorte. Simultaneamente brutal e gracioso, esse animal de chifres sinuosos e postura cautelosa pasta entre rochas íngremes a uma altitude de 1.700 metros.

É impossível saber por que os carneiros de Putorana escolheram esse planalto moroso, onde têm que sobreviver sob condições adversas e cercados por perigo de todos os lados. Talvez, essas criaturas tímidas apreciem o isolamento e a tranquilidades.

4. Gaivota de Ross

Foto: Alamy/Legion-MediaFoto: Alamy/Legion-Media

É difícil de acreditar, mas essa ave de aparência frágil pode ser encontrados em ambientes austeros do Ártico russo, da Sibéria Oriental e sobre os setentrionais e gélidos rios Indigirka, Kolima e Anadir. A gaivota de Ross, ou gaivota rosada, já foi alimento para esquimós, mas a caça desta belíssima ave é proibida agora. Sua plumagem combina a cor branca do gelo circundante com penas rosa pálido, que parecem ter absorvido os tons das auroras polares e luzes do Norte. Adoradores de frio, passam o inverno pelo Oceano Ártico, em vez de seguir ao sul com outras aves.

5. Lêmingue de Amur

Lori/Legion-MediaLori/Legion-Media

Habitante da taiga na Sibéria Oriental e em Kamtchatka, esse mamífero raro parece um porquinho-da-índia ou um hamster gigante com pele manchada. Para ver um lêmingue de Amur, talvez seja necessário passar horas vagando por regiões pantanosas e cobertas de musgo: esses roedores cavam buracos profundos e parecidos com labirintos. Embora os lêmingues comam em quantidade diária superior a seu próprio peso, o estilo de vida ativo desse animalzinho o ajuda a se manter forma.

6. Grou-siberiano

Alamy/Legion-MediaAlamy/Legion-Media

O grou-siberiano tem aparência majestosa, com plumagem branca e longo bico vermelho. Essas aves raras podem ser vistos na Iakútia e perto de Iamal, na Sibéria Ocidental. Aliás, o povo indígena local, de etnia khanti, venera-o como um pássaro sagrado. Cautelosos, no entanto, preferem evitar os seres humanos e alertam seus companheiros com um longo grito, de modo que só é possível vê-los em movimentos rituais impressionantes a uma distância segura – para eles.

Esse animal está incluído na ‘Lista Vermelha’ como uma espécie criticamente ameaçada de extinção. Tanto é que, em 2012, o presidente Vladimir Pútin participou do chamado Voo da Esperança, uma ação destinada a promover a proteção da espécie.

7. Zibelina de Barguzin

Foto: Lori/Legion-Media

Foto: Lori/Legion-Media

A margem oriental do lago Baikal é coberta por taiga densa, onde encontra-se uma criatura ágil com pele macia e de tom café – a zibelina de Barguzin. A espécie, que recebeu o nome emprestado do rio local, é muito curiosa e não tem medo de seres humanos. Turistas sortudos podem chegar perto o suficiente para tocar nelas e ouvi-las ronronar como um gato. Sua pelagem fina com tons prateados também conferiu à zibelina de Barguzin o apelido de “rainha das peles selvagens” ou “ouro macio”.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.