12 fotos de arquivo que contam a história do Baikal

O lago mais profundo do mundo, comparável em tamanho a Bélgica ou Holanda, também é o maior lago de água doce do planeta e possui paisagens de tirar o fôlego.

Início do século 20. A frota russa obtém seu primeiro quebra-gelo, que leva o nome do lago: Baikal. Essa embarcação navegou por suas águas até 1918.

1900. Este foi o primeiro trem que percorreu as margens do lago, como parte da Ferrovia Transiberiana. Infelizmente, não é mais possível viajar tão perto do lago a bordo do trem, mas ainda é possível ver o Baikal de longe ao longo do caminho. Uma seção da ferrovia Circum-Baikal foi inundada para construir a usina hidrelétrica de Irkutsk, e agora é um caminho independente que não leva a lugar algum.

1905. A pedra Trompa, no cabo Xamanski (dos xamãs). Costumava ser um local popular de culto e rituais xamânicos, e hoje é um dos tesouros perdidos do Baikal. A rocha foi erodida por causa da mineração de calcário durante a época soviética. No entanto, há rumores de que sua destruição foi um ato deliberado contra o ocultismo.

1959. Amanhecer no Baikal. Apesar da popularidade dessa região e dos diversos hotéis próximos ao lago, ainda é possível desfrutar de cenários como este. Aventurar-se em alguns dos lugares mais remotos ao redor do Baikal, onde é possível curtir paisagens deslumbrantes na solidão, também é bastante fácil.

1964. O lago Baikal tem clima único, inclusive ventos que só atravessam suas águas. Os invernos não são tão rigorosos como na Sibéria central, e os verões tampouco são insuportavelmente quentes. No entanto, de um modo geral, a água é bem fria; a única época do ano em que se pode nadar sem ficar tremendo e batendo os dentes é em agosto.

VEJA TAMBÉM Verdadeiro ou Falso? Faça o quiz e descubra mais sobre o Baikal 

1966. A aldeia Lístvenitchnoie (atual Listvianka) é o povoado mais próximo do lago. Em 1725, um homem chamado Nikola Kislitsin decidiu passar o inverno na costa do Baikal. Mais tarde, várias casas foram construídas no mesmo local.

1969. Navegação de verão no Baikal. Há muitas atividades que os turistas podem fazer no lago. Caminhadas, escaladas, espeleologia, passeios a cavalo, caiaque, pesca e passeios de helicóptero são algumas das opções de lazer.

1970. Crianças às margens do Baikal no inverno. O lago tem cerca de 636 km de comprimento e está localizado entre duas regiões da Rússia: Irkutsk e a República da Buriátia.

1982. A foca-do-Baikal, ou nerpa, é símbolo do lago. Além dela, existem cerca de 2.600 espécies de animais nativos do Baikal. Uma das iguarias locais é o peixe omul.

1983. Os geólogos ainda se dividem sobre a origem do Baikal. No entanto, todos concordam que o lago tem cerca de 25 milhões de anos. O primeiro russo a descobri-lo foi o cossaco Kurbat Ivanov em 1643.

1989. Outro lugar misterioso: a pedra do Xamã, na ilha Olkhon, bem no meio do lago. Há uma bela lenda sobre essa rocha. Um caudilho local chamado (surpresa!) Baikal teve uma filha, Angará (o nome do rio que nasce no lago). Angará se apaixonou pelo jovem Ienissei e fugiu de casa. Ienissei é também o nome do rio com o qual se funde o Angará. Após descobrir que a filha havia escapado, o Baikal furioso lançou-lhe a pedra xamânica.

VEJA TAMBÉM Aos 76 anos, vovó russa vive isolada à beira do Baikal e se locomove de patins 

1990. Quando o lago congela no inverno, é comum as pessoas praticarem hóquei, patinarem e esquiarem na superfície. No final da estação, é também organizada uma maratona no lago.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies