Sabia que fora da Rússia também existem arranha-céus de Stálin?

Palácio da Cultura e Ciência, Varsóvia.

Palácio da Cultura e Ciência, Varsóvia.

Legion Media
Esses edifícios soviéticos ainda estão entre os mais altos e espetaculares de seus países.

As Sete Irmãs estão entre os edifícios mais conhecidos de Moscou. Eles foram construídos nas décadas de 1940 e 1950 por ordem de Stálin. Seguindo os projetos soviéticos, edifícios semelhantes, no “estilo império de Stálin”, logo foram construídos no exterior também. Entre eles, figuravam não apenas edifícios residenciais, mas também hotéis, prédios de escritórios e até uma Academia de Ciências.

Palácio da Cultura e Ciência, Varsóvia

Este edifício de 187 metros de altura (270 metros, contando a torre) foi construído, com base em projeto soviético, no centro de Varsóvia como um “presente do povo soviético”. Mais de 3.000 trabalhadores trabalharam na construção do Palácio da Cultura e Ciência, que se estendeu de 1952 a 1955.

Inicialmente, o arquiteto Lev Rudnev (que projetou também o prédio principal da Universidade Estatal de Moscou) planejou um prédio muito mais modesto, com apenas 120 metros de altura. No entanto, no final das contas, a liderança soviética optou por uma construção em escala maior. O andamento da construção teve ampla cobertura da imprensa na época.

Hoje, o prédio de 42 andares abriga um mirante, salas de exposições, escritórios, quatro teatros, quatro museus, a Academia Polonesa de Ciências, cinemas e até uma piscina. Ele continua a ser o edifício mais alto da Polônia.

Hotel “International”, Praga

Atualmente, você não chamaria um edifício de 16 andares de arranha-céu. Mas, em meados da década de 1950, ele se destacava no cenário de prédios baixos da velha Praga e, ainda hoje, é considerado um dos mais altos da cidade.

Originalmente, o prédio deveria acomodar apartamentos para militares e algumas instalações do governo. No entanto, mais tarde decidiram usá-lo como hotel. No interior, o átrio é decorado com mosaicos de motivos folclóricos tchecos e panoramas de Praga.

Aliás, o prédio ainda tem um abrigo de defesa civil com capacidade para abrigar cerca de 600 pessoas – atualmente, ele é usado como depósito de roupas para os funcionários do hotel.

Palácio da Imprensa Livre, Bucareste

Este arranha-céu dos anos 1950 abrigava a redação do jornal Skynteya, o meio oficial de comunicação do Partido Comunista Romeno. De 1960 a 1990, a praça em frente ao prédio ganhou uma enorme estátua de Lênin.

Até 2007, este era o edifício mais alto da Romênia: 92 metros, sem contar uma antena de 12 metros. Ele também figurava na maior nota romena, a de 100 leu. Atualmente, o prédio abriga a redação de várias publicações locais, e a estátua de Lênin foi substituída por um monumento representando asas e comemorando o movimento anticomunista.

Academia de Ciências da Letônia, Riga

Academia de Ciências da Letônia em 1962 (esq.) e hoje.

Este edifício para cientistas foi projetado por arquitetos letões no estilo dos arranha-céus de Moscou. Ele ainda abriga vários institutos da Academia de Ciências da Letônia e centros de estudo da língua e da cultura letã, assim como um mirante a 65 metros de altura.

O interior do edifício sofreu uma mudança radical em 1991: após o colapso da URSS, todos os baixos-relevos “ideológicos” de Lênin e Stálin foram removidos, assim como a estrela da torre.

Complexo Largo, Sofia

Estes três edifícios de “estilo Império de Stálin” foram construídos no centro da capital búlgara em meados da década de 1950 e eram destinados a abrigar várias agências governamentais. O edifício do meio é a antiga Casa do Partido, onde o Partido Comunista Búlgaro costumava ficar (hoje, abriga a Assembleia do Povo da Bulgária). Um dos edifícios adjacentes abriga o Conselho de Ministros e uma loja de departamentos, e o outro, a residência do Presidente, o Ministério da Educação e o hotel “Balcãs”.

No ano 2000, o monumento a Vladímir Lênin que fazia parte deste conjunto foi desmontado e substituído por uma estátua de Santa Sofia. Em vez da estrela, a torre agora tem um mastro, com a bandeira nacional hasteada.

A casa do coruchéu, Kharkov

Este edifício residencial no centro da cidade ucraniana de Kharkov tornou-se uma atração turística popular. O centro de Kharkov foi muito danificado na guerra e, na década de 1950, este bloco de apartamentos foi construído no local de prédios destruídos para os funcionários de uma usina de turbinas local. Curiosamente, uma ala do edifício é muito diferente do resto: isso porque ela foi concluída já na década de 1960, sob Khruschóv, que não era fã de excessos arquitetônicos.

Bônus

Centro de Exposições de Xangai

Em 1955, uma Casa da Amizade Soviético-Chinesa foi inaugurada em Xangai. Ela foi construída por engenheiros soviéticos, enquanto o design de interiores foi criado por arquitetos chineses.

Do lado de fora, o edifício lembra o pavilhão principal da VDNKh — o que não surpreende, já que o autor do projeto foi o arquiteto Víktor Andreiev, que também projetou o famoso complexo de exposições em Moscou. Recentemente, o edifício em Xangai é usado como local para exposições de negócios.

VEJA TAMBÉM: 12 projetos de engenharia faraônicos da União Soviética

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies