12 projetos de engenharia faraônicos da União Soviética (FOTOS)

O próprio tamanho do país sempre exigiu projetos de construção de dimensões gigantescas, fossem pontes, edifícios residenciais ou instalações industriais.

1. Em 1862, uma estrada de ferro foi construída ligando Moscou a Kolomna, uma cidade não muito distante da primeira. A partir daí, a antiga cidade velha de Kolomna, que tem seu próprio Kremlin (que, aliás, em russo significa simplesmente “fortaleza”), tornou-se um centro industrial. Ali foi criada uma fábrica de locomotivas a vapor e uma grande ponte sobre o rio Oká.

2. A Ferrovia Transiberiana foi um dos maiores projetos de construção do Império Russo. Na foto, os trabalhadores estão construindo uma ponte na seção dos Urais da linha ferroviária. Sua construção se estendeu de 1885 a 1899.

3. O Canal do Mar Báltico-Branco foi construído em tempo recorde: 227 quilômetros erigidos em menos de dois anos (entre 1931 e 1933). Mas ele tornou-se também um dos projetos de construção mais infames da história soviética, pois levou à morte cerca de 12.000 prisioneiros do Gulag que o construíam.

4. Uma das primeiras usinas hidrelétricas da União Soviética foi construída no rio Dnieper. Sua construção se iniciou em 1927, e as autoridades soviéticas adquiriram equipamentos estrangeiros para a fábrica. Durante a Segunda Guerra Mundial, porém, quando as tropas soviéticas estavam em retirada, o NKVD decidiu explodir a usina. Ela só foi restaurada após a guerra.

5. A primeira linha de metrô moscovita foi construída na década de 1930, mas ela só ganhou uma ampla expansão após a guerra, na década de 1950. Um de seus projetos mais ambiciosos foi o da ponte sobre o rio Moskva na qual passa o metrô, conectando o calçadão Lujnikí e a Universidade Estatal de Moscou ao centro da cidade.

6. Os célebres edifícios "Sete Irmãs" foram o principal projeto de engenharia de Moscou na década de 1950. No plano original os edifícios seriam nove, mas, no final da contas, foram construídos apenas sete. A foto da esquerda mostra a construção do prédio no calçadão Kotelnítcheskaia, enquanto a foto à direita mostra o prédio da Universidade Estatal de Moscou, ambos integrantes das Sete Irmãs.

7. A imagem desta foto se parece com a construção das pirâmides egípcias, mas, na verdade, retrata a construção do Grande Canal Ferganski. Ele foi fundamental para a irrigação de vastas plantações de algodão nas repúblicas do Uzbequistão, o Quirguistão e do Tadjiquistão, que compunham a URSS. Entre 1939 e 1940, quase 160 mil trabalhadores de kolkhózes (fazendas coletivas) foram remanejados para trabalhar nesta construção.

8. Na década de 1950, começou a construção de um grande número de usinas de energia em todo o país. Esta foto mostra a construção da usina hidrelétrica do Volga, na região de Volgogrado.

9. Esta foto mostra a construção da célebre Usina Hidrelétrica de Bratsk, no rio Angara. Quando entrou em funcionamento, entre 1961 e 1966, foi a usina hidrelétrica mais poderosa não apenas da URSS, mas do mundo. Entretanto, em 1971, foi superada por outra usina hidrelétrica soviética, a Krasnoiarsk, no rio Ienissei.

10. Em 1935, Stálin aprovou um Plano Diretor para a Reconstrução de Moscou, que previa a construção massiva de edifícios residenciais, do metrô, a ampliação das ruas existentes e a criação de novas avenidas. Por exemplo, na rua Tverskáia, no centro da cidade, edifícios inteiros precisavam ser transportados e mudados de lugar (pasmem!). Mas a Avenida Kalininski (hoje, Nôvi Arbat) foi aberta já no início dos anos 1960, ou seja, depois da morte de Stalin.

11. A usina hidrelétrica Saiano-Chuchenskaya, no rio Ienissei, é atualmente a maior da Rússia. Sua construção nas montanhas Saian se iniciou em 1963 e foi concluída apenas em 2000. A foto abaixo é de 1972.

12. A ferrovia Baikal-Amur, no Extremo Oriente russo, é uma das mais longas do mundo, com 4,3 mil quilômetros. Sua construção se estendeu de 1932 até 1984. A foto abaixo mostra o projeto já em fase final. Inicialmente, foi criado um departamento de Gulag (campos de trabalho forçado) para a construção da ferrovia, e cerca de 160 mil prisioneiros, muitos deles, prisioneiros políticos, construíram a ferrovia em condições climáticas extremamente severas. É isto que torna tão verdadeiro dizer que a ferrovia foi construída sobre sangue

LEIA TAMBÉM: 5 joias arquitetônicas do “Gaudí russo”

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies