7 fortalezas fascinantes em ilhas russas (FOTOS)

Já imaginou um “forte do coronavírus”? Pois a Rússia tem seu “Forte da Peste”. E ele não tem nada a ver com um “cabra arretado da peste”, mas com a peste bubônica mesmo.
  1. Sviajsk, Tartaristão

A cidade fortificada na ilha homônima foi construída sob ordem de Ivan, o Terrível, em 1551, em apenas 24 dias, por 75 mil pessoas. Esta foi a primeira cidade ortodoxa do Tartaristão, que deveria se tornar um posto avançado russo contra o Canato de Cazã. Inicialmente, Sviajsk estava no topo de uma montanha chamada Krúglaia ("Redonda"). O lago surgiu apenas em 1957, devido à construção de uma central elétrica do distrito estatal.

A Igreja da Assunção, feita de madeira no século 16, ainda está preservada na ilha - o único edifício restante da época de Ivan, o Terrível -, assim como várias igrejas antigas de pedra. Em 2017, a Unesco incluiu Sviajsk em sua lista de Patrimônio Mundial.

  1. Chlissenburg (Orechek), São Petersburgo

Inicialmente, esta fortaleza na ilha de Orekhovi foi construída para proteger a Rússia dos suecos em meados do século 14. Foi construída em uma rota comercial marítima, e a fortaleza passou para os suecos algumas vezes, até ser retomada no governo de Pedro, o Grande, e ganhar fortes fortificações defensivas e seu nome atual. Há ali algumas ideias arquitetônicas militares interessantes: por exemplo, a entrada fica em ângulo reto com as paredes, de modo que o inimigo tinha que virar o lado direito, desprotegido, ao entrar.

Chlissenburg é frequentemente chamada de "Bastilha Russa". Desde o século 17, ela abriga uma prisão para condenados políticos, entre os quais esteve a primeira mulher de Pedro, Ievdokia Lopukhina, e o irmão de Vladímir Lenin, também revolucionário.

  1. Forte Aleksandr 1° (Forte da Peste), São Petersburgo

Construído em meados do século 19, no subúrbio de Kronstadt, em São Petersburgo, o Forte Aleksandr 1° nunca esteve envolvido em nenhuma batalha. No entanto, ele era o lar de uma guarnição da marinha na qual serviam até 1.000 soldados.

Em 1896, o forte foi considerado desnecessário e fechado, voltou a ser ocupado no ano seguinte, devido à pandemia de peste bubônica. O forte foi transformado em um laboratório onde trabalhavam 20 médicos em busca de uma cura para a peste. Foi assim que ele ganhou o título de “Forte da Peste”.

Após a Revolução, o laboratório foi fechado e os patógenos da peste e da cólera foram transportados para Sarátov, onde foi aberto o primeiro instituto contra a peste do país. Durante a era soviética, o forte foi usado como armazém de equipamento militar, mas foi abandonado novamente na década de 1980. Nos anos 1990, o local se tornou popular por delitos. Atualmente, ele está aberto para visitas guiadas.

  1. Forte de Vladivostok

Uma das fortalezas mais poderosas do país está localizada no Extremo Oriente russo. Ela foi construída na Ilha Russki, perto da cidade de Vladivostok, no final do século 19 e início do século 20. A principal linha de defesa foi construída após a Guerra Russo-Japonesa de 1905. Existem 16 torres ligadas por túneis e galerias ali: uma obra-prima da arquitetura militar!

A Ilha Russki já foi a principal base da frota russa do Pacífico, mas foi fechada até o final do século 20. Recentemente, foi reaberta aos turistas.

5. Por-Bajin, Tuva

Nas profundezas da República de Tuva (sul da Sibéria), há uma ilha-fortaleza chamada “Por-Bajin” ("casa de barro") no meio do lago da montanha Tere-Khol. Os primeiros exploradores da Sibéria encontraram essa fortaleza no século 17. No entanto, devido à inacessibilidade deste lugar, ele era pouco conhecido.

Os arqueólogos modernos acreditam que Por-Bajin tenha pertencido ao povo uigur e poderia ter sido construído entre os séculos 8 e 9, quando não havia lago ali. A formação teria surgido devido a um terremoto, que também forçou os uigures a abandonar a fortaleza. Apenas a fundação e a fachada permanecem.

6. Castelo de Viborg, região de Leningrado

Esta fortaleza na ilha de Zamkovi (“castelo”) foi construída pelos suecos no final do século 13, durante sua cruzada contra as tribos finlandesas na Carélia. O castelo devia proteger os suecos dos ataques da República Russa de Nôvgorod, que não planejava ceder a região ao rei sueco. O castelo e a cidade de Viborg se tornaram russos em 1710, após a Grande Guerra do Norte. Hoje, este é um dos raros castelos medievais da Rússia, e vale a pena visitá-lo!

7. Ilha Solovetski, região de Arkhânguelsk

Esta era a fortaleza mais setentrional da Rússia na época de sua construção, no século 16, por ordem de Ivan, o Terrível. Ela foi construída para proteger o mosteiro de Solovetski dos suecos. As paredes feitas de pedras do Mar Branco têm 7 metros de espessura na base. É incrível como os monges foram capazes de erguê-la naqueles anos!

A fortaleza foi atacada duas vezes: durante a revolta dos Velhos Crentes contra a reforma da igreja do século 12 e durante a Guerra da Crimeia (1853-1856), em 1854. Nas décadas de 1920 e 1930, o campo de trabalhos forçados de Solovetski estava localizado ali.

VEJA TAMBÉM: ‘Cidade dos mortos’ vira ponto turístico no Cáucaso do Norte

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies