10 animais raros que ainda dá para encontrar na Rússia (FOTOS)

A maioria deles já está no Livro Vermelho devido à caça ilegal e agora está em risco de extinção.

1. Gato-de-Pallas

Dá uma olhada nesse carinha! Ele é o gato mais sério do mundo e o protagonista de uma porrada de memes russos.

Este felino habita apenas nas regiões de Altai, Tuva, Buriátia e Transbaikal - ou seja, nas estepes. Também conhecido como Manul, ele não se impressiona com a neve, já que seu casaco de pele permite sobreviver a qualquer nevasca. Ele tem o pelo mais espesso e macio entre todos os gatos, e é exatamente por isso que os caçadores não deixam este gato selvagem em paz.

2. Leopardo-das-neves

Este animal é um grande gato malhado. Ele vive no sul da Sibéria, nas montanhas Saian. A natureza lhe deu patas macias para caminhar na neve, cor manchada e um rabo cheio de presença, com cerca de um metro de comprimento – mais ou menos o comprimento de seu corpo.

O leopardo-das-neve tem o curioso hábito de carregar cauda nos dentes, e há várias razões para isso: os músculos da cauda do gato se cansam e isso o alivia. Além disso, o leopardo-das-neves aquece o nariz dessa forma. É quase impossível ver esses animais ao vivo: além de raros, eles também são muito discretos e evitam as pessoas.

3. Tigre de Amur

Maior gato selvagem do mundo (um tigre adulto pesa cerca de duas toneladas), ele vive no Extremo Oriente e é oficialmente o tigre mais setentrional do mundo.

O tigre de Amur não teme o frio, mas sofre não apenas com a fuga dos caçadores, como com a derrubada da taiga, seu habitat natural. Restam apenas algumas centenas desses animais na natureza.

4. Morsa atlântica

Este gigante marinho vive no mar de Barents, de Kara e no Mar Branco. Ele pesa quase uma tonelada. Sob sua pele, há uma camada de 15 centímetros de gordura, e ele tem presas de meio metro com as quais pode se apoiar no gelo. Essas presas, infelizmente, geram enorme cobiça dos caçadores.

5. Narval

Estes são outros habitantes originais do Ártico que estão em perigo. O narval é uma baleia com presa longa que a faz parecer um unicórnio marinho, algo único no gênero. Ele sofre não apenas com a pesca, mas também com a poluição das águas. E mais más notícias: tentativas de recriar a população em cativeiro não foram bem-sucedidas.

6. Cão-selvagem-asiático

Você se lembra que Rudyard Kipling tinha matilhas de cães vermelhos nas histórias, os habitantes mais perigosos da selva? É assim que eles são. De longe, os lobos vermelhos parecem raposas e têm o mesmo pelo bonito e fofo. Na Rússia, ele é muito raro e habita a região do Altai e de Khabarovsk Krai, mas os especialistas acreditam que esses animais sejam provenientes principalmente do território da China ou da Mongólia.

7. Cervo-almiscarado-siberiano

O cervo-almiscarado-siberiano é, na verdade um animal, muito fofo e inofensivo. Apesar das presas assustadoras, ele se alimenta exclusivamente de plantas e nunca ataca seres humanos. Mas eles estão na mira dos caçadores, já que as glândulas dos machos produzem almíscar, uma substância de cheiro forte usada em perfumaria.

8. Coruja Bubo Blakistoni

Uma das maiores corujas do mundo, ela vive no Extremo Oriente e pesa até 4 quilos, com envergadura que atinge dois metros. Esta coruja, ao contrário do habitual, tem hábitos não apenas noturnos, mas também diurnos: à luz do dia, caça peixes e arranca-os com suas garras diretamente da água.

9. Castor-europeu

A subespécie siberiana ocidental do castor-europeu vive apenas na Rússia. Até o início do século 20, eles não eram tão raros, mas a pesca não lhes deu opção. Hoje, restam apenas algumas centenas desses animais, que vivem em lugares desabitados do rio Konda.

10. Raposa Azul de Cobre

Esta raposa vive exclusivamente na Ilha de Cobre, na região das Ilhas Comandante, no mar de Bering. Na década de 1970, muitos filhotes começaram a morrer de sarna, e a população estava em perigo de extinção. Hoje, restaram apenas cerca de cem raposas azuis de Cobre.

LEIA TAMBÉM: Quem venceria a briga: um tigre siberiano ou um urso pardo?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies