Joias do metrô de São Petersburgo: 5 estações IMPERDÍVEIS na Linha Vermelha! (FOTOS)

Estação Avtovo.

Estação Avtovo.

Legion Media
Cansado de palácios imperiais ou o clima simplesmente não está ajudando seu passeio? Então desça às profundezas do metrô e explore estes palácios subterrâneos construídos para os trabalhadores soviéticos.

A “capital cultural da Rússia” ganhou seu sistema de transporte subterrâneo no ano de 1955, ou seja, 20 anos após a inauguração do metrô de Moscou. Leningrado recebeu menos dinheiro para a construção e a arquitetura de seu metrô. Mesmo assim, seu visual é algo único desde o início. Este é um dos metrôs mais profundos do mundo, com a maioria das estações a mais de 50 metros abaixo do solo. Além disso, os trabalhadores tiveram que lidar com uma geologia difícil e rios subterrâneos durante a construção.

Escolhemos as estações mais impressionantes para o seu passeio:

1. Avtovo

Considerada uma das 12 estações de metrô mais bonitas do mundo pelo jornal britânico “The Guardian”, esta estação pode competir com os salões de baile do museu Hermitage.

“É um palácio subterrâneo iluminado por lustres de bronze e belas colunas de cristal, absolutamente deslumbrante! Preste atenção aos mosaicos da Vitória no final da plataforma, eles são um símbolo de paz e esperança”, diz Jina Park, coordenadora de tours do International Women´s Club, em São Petersburgo.

Esta estação é a mais próxima da residência real de Petergof, nos arredores de São Petersburgo. Mesmo que você não planeje visitar Petergof, saia da estação para ver seu impressionante hall de entrada e escadaria. Será preciso comprar um novo bilhete para entrar: mas vale a pena! A melhor época para visitar o local é entre as 12h e 14h durante a semana, quando ela costuma estar quase vazia e você poderá tirar fotos que não conseguiria em nenhuma outra hora do dia.

2. Narvskaya

Este é outro exemplo perfeito da propaganda estatal que ditava a arquitetura e o design. A estação é decorada com esculturas de trabalhadores soviéticos: agricultores das fazendas coletivas, construtores de navios, selecionadores de plantas, médicos, soldados etc. À primeira vistaparece haver 48 baixos-relevos diversos, mas, na verdade, são apenas 12 profissões diferentes repetidas ao longo da plataforma.

A estação Narvskaya também ilustra perfeitamente o processo de “desestalinização”, que ocorria quando a linha vermelha estava sendo concluída.

“Sobre das escadas rolantes, há um imenso baixo-relevo que retrata os trabalhadores de Leningrado em uma manifestação comunista”, explica Lothar Deeg, guia alemão e autor de diversos guias sobre São Petersburgo.

Curiosamente, os visitantes geralmente expressam curiosidade sobre a figura de um homem desconhecido retratado de pé com uma faixa. “Os esboços desta obra mostram a figura de Stálin no lugar do homem. Mas à época em que ela foi concluída, o escultor teve que tirá-lo do trabalho final”, explica Deeg.

Havia outra imagem de Iôssif Stálin na estação, mas foi coberta em seguida com uma parede falsa, em 1962. Ainda hoje não se sabe se o mosaico continua intacto.

3. Tekhnologichesky Institut 

Esta é a única estação de baldeação de plataformas cruzadas em São Petersburgo, ou seja, com trens de duas linhas diferentes um de frente para o outro. Assim, os passageiros podem facilmente mudar da linha Vermelha para a Azul (e vice-versa).

Para ver a garagem original, inaugurada em 1955, é precisa pegar um trem da Linha Vermelha em direção ao sul do centro da cidade.

O tema da estação são as conquistas da ciência russa e soviética, já que o saguão da superfície fica localizado próximo ao Instituto Estatal de Tecnologia de São Petersburgo. Os impressionantes arcos são decorados com mármore dos Urais e 24 baixos-relevos trazem retratos de cientistas conhecidos. O ponto mais negativo é que uma única mulher figura entre esses cientistas: a matemática do século 19 Sofia Kovalióvskaia.

Se você partir de Avtovo para Ploshchad Vosstaniya, verá um saguão modesto, construído na década de 1960. Alguns moradores o comparam aos banheiros públicos soviéticos, zombando dos materiais baratos usados ​​na construção.

4. Pushkinskaya

Esta estação foi a primeira a ter um monumento subterrâneo – que, como era de se esperar, é dedicado ao poeta e “pai” da língua russa moderna Aleksandr Púchkin. É possível ir à cidade de Púchkin de trem a partir da estação ferroviária Vitebsky, que fica na superfície desta estação de metrô.

O jovem Púchkin estudou no liceu ali localizado, e glorificou-o em suas obras. O salão se parece com um “templo” ao escritor, com paredes de mármore branco, lustres neoclássicos e pisos com estampas antigas.

Para a estudante Alicia Adriani, a estação Pushkinskaya tem um toque especial: “Percebi que a estátua de Púchkin está sempre segurando um ramo de flores, o que significa que há pessoas que vêm aqui todos os dias e colocam as flores ali, o que não é comum em outras estações”.

5. Ploshchad Vosstaniya

Esta estação é obrigatória para quem quer saber sobre a Grande Revolução Russa. Seu nome pode ser traduzido como “Praça da Insurreição”, em homenagem aos eventos que ocorreram em sua superfície. Antes da revolução bolchevique, a área era conhecida como Praça Znamênskaia e a igreja Znamênskaia ficava ali.

Manifestações e protestos em massa ocorreram ali em 1917. Quando Vladímir Lênin e os bolcheviques assumiram o poder, a praça foi renomeada para celebrar sua vitória e destruíram a igreja. No lugar dela, surgiu o saguão da estação de metrô.

Existem ali todos os tipos de simbolismo soviético: estrelas, foices e martelos, assim como quatro baixos-relevos que retratam Lênin. Na cena do Palácio Tavritcheski, é notável a figura de Stálin: a única que sobreviveu à “desestalinização”.

LEIA TAMBÉM: 5 diferenças entre os metrôs de Moscou e São Petersburgo

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies