8 coisas que surpreendem os estrangeiros na Rússia

É hora de acabar com todos esses preconceitos da época da Guerra Fria.

1/ Sistema de transporte 

Muitos estrangeiros ficam surpresos com o quão limpo e organizado é o transporte público nas principais cidades russas. “O trem do aeroporto para o centro de Moscou é limpo, eficiente e rápido. Gostaria que tivéssemos uma conexão tão eficiente assim com o aeroporto de Paris”, diz Boris Hawthorgh.

O metrô de Moscou também causa boa impressão. “É um paraíso – limpo, barato e fácil de entender. As estações são grandes e algumas parecem palácios, com lustres e afrescos”, comenta Roelof Oosting.

2/ Atendimento VIP

Quando os russos encontram um estranho, eles geralmente não sorriem, mas por trás dessa aparência gelada, a grande maioria deles não morde.

“A senhora atrás do balcão, o garçom, os taxistas: todos parecem que você os atrapalhou enquanto faziam algo importante. É como se suspirar e parecer irritado fossem requisitos do trabalho. Mas, quando você é reconhecido como um cliente regular (o que pode levar algum tempo), eles de repente se tornam mais amigáveis ​​e começam a sorrir”, conta Oosting. 

3/ A secreta simpatia russa

No entanto, mesmo com a semblante sombrio, os russos geralmente ajudam as pessoas necessitadas, sem esperar nada em troca.

“Quando cheguei ao aeroporto de Sheremetievo, peguei o trem expresso para Moscou. Eu estava sentada ao lado de um russo com características asiáticas. Estava nervosa porque não tinha certeza se Moscou era o destino final ou não. Perguntei a ele em russo todo errado e ele simplesmente confirmou, com uma expressão fria no rosto. Quando chegamos, ele se ofereceu para carregar minha mala e me mostrou o caminho para a entrada do metrô. Não era o caminho dele, mas ele até entrou no metrô e me comprou passagem. Certificou-se de que eu havia entendido para onde seguir e não quis que eu pagasse pela tarifa. Ele acenou e se foi. Fiquei espantada”, lembra Suzan.

4/ Congestionamento pesado

Moscou é emocionante e, por vezes, assustadora. “Fiquei surpreso com a largura das vias no centro de Moscou. Algumas delas foram construídas para aviões pousarem durante a guerra. Dezesseis faixas de engarrafamento se parecem com o Diwali [festival hindu de luzes], mas não é tão legal quando se faz parte dele”, diz Rahul, da Índia. E, apesar dos engarrafamentos, os russos ainda compram SUVs gigantes.

5/ Não importa quem você seja

“Ao contrário de muitos países ocidentais, a Rússia é de longe o país menos racista para o qual viajei. Em geral, cor de pele, raça ou idioma não importa para os russos, desde que você seja legal com eles”, afirma Saikat, da Índia. 

6/ Polícia e guardas de segurança russos

“As forças de segurança estão por toda parte”, lembra Georg Drennig, da Áustria. E ele está certo: há muitos policiais e seguranças na Rússia, mas não há motivo para se preocupar caso você seja parado(a)

7/ Igrejas por todo canto

Na Rússia, o número de igrejas – nada menos que 40.000 – é quase igual ao de hospitais. “As igrejas não são a primeira coisa que vem à mente quando penso na Rússia. Mas elas estão por toda parte no país. Não sei por que isso me surpreendeu tanto (talvez, porque a religião foi banida durante os anos soviéticos...), mas eu fiquei absolutamente impressionada com todas aquelas belas igrejas, catedrais e mosteiros que vi na Rússia”, conta a norte-americana Amanda, de Ohio.

8/ Arquitetura muito além da URSS

São Petersburgo

“Muitos estrangeiros, sobretudo americanos, têm certos preconceitos sobre a Rússia. Associamos o país ao comunismo e à Guerra Fria, e acreditamos haver apenas edifícios feios da época soviética e em locais sombrios ”, comenta Harvey Smith.

Na verdade, ela está parcialmente certa – qualquer visitante irá se deparar com a “herança” da era soviética por toda a Rússia. Mas também é possível vislumbrar a arquitetura anterior à Revolução Bolchevique. “Em São Petersburgo, por exemplo, as ruas largas e os edifícios barrocos me lembraram Paris”, afirma Amanda.

LEIA TAMBÉM: Quanto custa viajar para Moscou e São Petersburgo? Saiba em R$

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies