6 lugares incríveis pertinho de Moscou para visitar em Kaluga e suas proximidades

Sergei Bobylev/TASS
A agitação da capital russa está começando a desgastá-lo? Ou você está pensando em adicionar algo especial à sua viagem à Rússia? Passar um fim de semana - ou mais – longe de Moscou é moleza quando se tem ali pertinho a região de Kaluga (a apenas 180 quilômetros da capital) com muita natureza, cultura, arquitetura, cosmonáutica e ótimas opções gastronômicas. Tem até um “Inhotim russo”!

1. Parque de Arte Nikóla-Lenívets, o Inhotim russo

Nikóla-Lenívets, uma aldeia na região de Kaluga que fica 220 quilômetros a sul de Moscou, é uma combinação de coisas aparentemente impossíveis: arte moderna, paisagem russa tradicional com prados, rios e campos e uma trilha maluca de terra!

O parque fica localizado no território do Parque Nacional Ugra e tem mais de 30 objetos de arte ao ar livre que se misturam perfeitamente com os bosques e prados.

Muitos deles conseguiram sobreviver ao calor do verão, às fortes chuvas e à neve desde o incrível festival de “land art”ArchStoyanie, em 2006. Mas alguns deles, feitos em madeira, estão voltando, pouco a pouco, à natureza. E, é claro, todo verão novas criações surgem pelo território.

A área, de 980 quilômetros quadrados, tem MUITA arte mesmo, então se prepara para encher os olhos!

2. Fazenda do restaurante Twins Garden

Serguêi e Ivan Berezutski, a dupla dinâmica pioneira na nova culinária russa no restaurante Twins Garden, em Moscou, cansaram da busca constante por ingredientes de qualidade. Foi assim que eles se uniram à Academia Agrícola Timiriázev, uma das mais respeitadas do país, e compraram um terreno de 50 hectares na região de Kaluga, entre as mais ecologicamente limpas e a poucas horas de carro de Moscou.

Agora, 70% das verduras, frutas, laticínios, carnes, peixes e ervas usados ​​para preparar pratos no Twins Garden vêm da fazenda Kaluga, que permite aos gêmeos controlar pessoalmente todos os ingredientes que chegam a sua cozinha.

Serguêi e Ivan querem revolucionar o agroturismo em Kaluga e esperam começar com sua fazenda. No momento, existem pousadas em construção, além de infraestrutura para esse tipo de turismo.

Programe sua visita a Kaluga com a época de colheita (geralmente no início de setembro), pois é quando os gêmeos lançam seu festival gastronômico anual “Garden” ali na fazenda. Durante dois dias, chefes de cozinha russos e estrangeiros são convidados para a fazenda para preparar pratos deliciosos com os produtos frescos, a fim de mostrar aos convidados que a sazonalidade é o caminho a seguir.

Enquanto os chefs se preparam, os hóspedes são incentivados a explorar a fazenda, participar da colheita, pescar e aproveitar as atividades ao ar livre.

3. Museu Estatal de História da Cosmonáutica Tsiolkóvski

O primeiro museu do mundo dedicado à história da exploração espacial e o maior da Rússia até hoje abriu suas portas em Kaluga, em 1967. Foi nesta cidade que o grande cientista Konstantín Tsiolkóvski passou seus anos mais frutíferos e onde ele descreveu e provou a necessidade de se construir foguetes de múltiplos estágios.

O museu, que por si só é um monumento arquitetônico e se assemelha a uma nave espacial, tem objetos únicos relacionados ao desenvolvimento da cosmonáutica. Há também ali um protótipo da lendária estação espacial MIR e os visitantes podem ver com seus próprios olhos uma cópia do foguete Voskhôd - o mesmo que levou o primeiro homem ao espaço.

Não se esqueça de visitar o planetário, que do lado de fora parece uma enorme esfera de aço saindo do chão: é quase como se um óvni tivesse caído na Terra, bem ali!

Em 2018, o museu passou por uma grande reforma e foi ampliado. O complexo fica situado no topo de uma colina de se pode ter uma vista deslumbrante do rio Oká, do reservatório de água e de uma extensa floresta de pinheiros.

4. Floresta selvagem, ciclismo e wakesurf (bem no meio da cidade)

Se você nunca viu uma floresta selvagem como as retratadas nos contos de fadas russos tradicionais, então venha para cá! A floresta de Kaluga mantém o mesmo território desde o século 17 e a idade média de suas árvores é de 180 a 200 anos (algumas têm até 300 anos).

Isto é algo fora de série, porque um dos lados da floresta faz fronteira com um reservatório de água e, juntos, eles formam uma maravilhosa área de lazer.

Além disso, reza a lenda que, antigamente, o Falso Dmítri - impostor que estava de olho no trono do tsar - se escondia nessas matas e foi morto ali durante uma caçada a coelhos.

Hoje, este é um ótimo lugar para passear ou andar de bicicleta. Existem rotas de vários comprimentos e dificuldades: quatro, dez ou dezesseis quilômetros. Assim, você pode escolher a que for mais confortável e comece a explorar!

Desfrute do ar incrivelmente limpo, encontros com esquilos e cantos de pássaros - não há melhor maneira de relaxar o corpo e a mente após a vida agitada da cidade. Mas, se você não gosta de andar a pé, basta alugar uma bicicleta por 100 rublos (cerca de R$ 6,50).

E, para quem precisa de adrenalina extra, a cerca de 350 metros das margens do bosque, há uma estação de wakesurf que funciona desde do início de maio ao final de outubro: ali é possível alugar todo o equipamento.

5. Rua Voskressênskaia e Bar Tchástnaia Práktika

Em Kaluga, viajar no tempo é fácil. Existe no centro da cidade um Gostíni Dvôr (as tradicionais feirinhas russas) que foi construído no século 18 e é um dos poucos exemplos restantes do chamado estilo arquitetônico Naríchkinski Barroco do país.

A alguns quarteirões de distância, você encontrará a rua Voskressênskaia, uma via pequena e bonita que o teletransportará para o início do século 20, quando Kaluga estava na crista da onda graças às atividades comerciais.

Aqui você não encontrará um único edifício moderno ou mesmo soviético: desde 1983, a “linha vermelha” da cidade (a fachada dos edifícios) está sob estrita proteção e só são permitidas obras de restauração para devolver aos edifícios sua aparência histórica.

Nos séculos 18 e 19, as mansões deslumbrantes e luxuosas eram o lar de ricos comerciantes e nobres ali. Hoje, elas abrigam estabelecimentos de ensino. Na primavera, o ar se torna especialmente doce quando as macieiras e as pereiras começam a florescer nos quintais.

Para voltar ao século 21, adentre a mansão que abriga um dos estabelecimentos mais badalados da cidade: o resto-bar Tchástnaia Práktika. Os fundadores conseguiram criar um interior elegante e moderno dentro da antiga mansão e quanto a comida e os coquetéis são de babar!

6. Parque Ecológico Biosfera

Na margem direita do rio Oká, do lado oposto à parte central da cidade, você encontrará o recém-inaugurado complexo Biosfera. Ele é um parque com animais, passeios e restaurante.

Os animais não são mantidos em grades, podendo andar livremente por ali. Os visitantes podem observar lhamas, camelos, bisões, avestruzes, pavões e outros de cima, graças a um sistema de vias elevadas.

Assim, você pode se aproximar dos animais sem incomodá-los e sem temer. Este também é o maior parque de falcões da Rússia, e ali vivem cerca de 30 aves de rapina.

Recentemente, focas e leões-marinhos foram acrescidos ao parque em uma piscina especial - e desde então proporcionam aos visitantes uma overdose de fofura! Há também uma grande roda gigante no território do parque e, por apenas 200 rublos (R$ 9), você pode ver Kaluga de cima, como se fosse apenas uma maquete.

Para completar, recarregue as baterias no restaurante do local, na companhia de cisnes e flamingos que moram ali em piscinas e nos pequenos prados próximos! 

LEIA TAMBÉM: 5 coisas que costumam decepcionar turistas estrangeiros na Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies