O espírito da nobreza russa vive em Murânovo

A maioria dos objetos aqui é memorial e pertenceu aos proprietários de Murânovo e a seus parentes. Esta é uma das coleções mais ricas de móveis da Rússia, além de conter uma grande variedade de obras de arte e uma grande biblioteca com mais de 90 mil livros.

Uma viagem fotográfica pelo interior da "Propriedade dos Dois Poetas"

Bem-vindo à propriedade Murânovo, uma grande residência próxima a Moscou que abriga os pertences do poeta russo Fiódor Tiútchev e que preserva o espírito da nobreza russa.

O poeta e diplomata Fiódor Tiútchev talvez seja mais famoso por um poema curto em que pergunta: “Quem agarraria a Rússia com a mente?” Ele sugere ainda: “A alma dela [da Rússia] é de um tipo especial / apreciada somente pela fé” (tradução livre). / Na foto, o retrato oval no centro é de Fiódor Tiútchev.

A propriedade foi fundada em 1816 e, desde então, pertenceu a quatro famílias, entre elas as dos parentes dos poetas russos Fiódor Tiútchev e Evguêni Baratínski.

A coleção do museu inclui mais de 28 mil peças.

Em agosto de 1920, a propriedade foi transformada no Museu Tiútchev, fundado pelo neto do poeta, Nikolai Tiútchev.

Em 1873, após a morte de Fiódor Tiútchev, seu filho levou os pertences e arquivos dele a Murânovo. A pesada mesa do poeta com tampo verde também foi levada para lá.

Entre as diversas propriedades nos arredores de Moscou, Murânovo ocupa um lugar especial. Muitas vezes descrita como "casa dos poetas", ela remonta à agitada vida social e literária da Rússia do século 19.

A maioria dos objetos ali é memorial e pertenceu aos proprietários da propriedade e a seus parentes. Ali se encontra uma das coleções mais ricas de móveis da Rússia, uma grande variedade de materiais de arte e uma grande biblioteca memorial com mais de 90 mil livros.

Fiódor Tiútchev morreu em 1873, na propriedade de Tsárskoie Selô (a 24 quilômetros de São Petersburgo). A cama verde na qual ele passou os últimos minutos de vida também foi levada à propriedade Murânovo e fica agora no quarto verde.

As paredes estão cobertas de retratos que mostram os amigos e os familiares mais próximos de Tiútchev.

O retrato na parede (terceiro da esq. para dir.) mostra a mulher do poeta, Ernestina Tiútcheva, "mulher de esplêndida beleza e intelecto", como foi descrita por seus contemporâneos. O retrato foi pintado por Friedrich Durk, em 1840.

A sala principal é a maior e a mais cerimonial da casa. Ela está cheia de peças de arte decorativa e de belas artes dos séculos 18 e 19.

Como chegar: Pegue um trem suburbano da Estação Ferroviária Iaroslávski de Moscou (consulte a programação) para Achukinskaia, depois o ônibus 34 ou um micro-ônibus local (por 100 rublos ou cerca de 8 reais) até a parada "Museu Murânovo".

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

LEIA TAMBÉM: Afinal, quem (ou o quê) é a intelligensia russa?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies