Frango à Kiev, croquete de peito picadinho e suculento! (RECEITA)

Iúlia Mulino
Quer impressionar os convidados? Então não hesite em fazer o famoso “frango à Kiev”!

Parece que a origem desta receita, pelo nome, é simples. Mas a história é muito mais complicada que isso. Chefs franceses, emigrantes russos nos Estados Unidos e restaurantes soviéticos são todos considerados autores deste prato.

A primeira menção ao “frango à Kiev” em fontes russas remonta à “Revista Doméstica” dos anos de 1913-1914. Ele era feito com frango picadinho recheado com um pedaço de manteiga e coberto com ovo e pão amanhecido ralado. A receita foi esquecida no período do entre guerras e retomada somente após a Segunda Guerra Mundial, mas então era preparada com o filé de frango inteiro. Hoje, usar o filé inteiro do frango é a forma mais comum de prepará-lo na Rússia e em todo o mundo.

Mas a receita com o frango picadinho também é bastante popular, provavelmente porque dá ao “frango à Kiev” sua maciez especial. No passado, a carne era batida com um martelo de madeira e acompanhada de manteiga e smetana (creme de leite azedo ou “sour cream”). Hoje, basta usar o frango carne picada de frango para obter a textura tenra.

Também gosto de usar um brioche doce para ralar e empanar, para obter um sabor requintado. 

A receita original não leva muitos temperos. Mas a pimenta do reino, a noz-moscada e o alho em pó são um ótimo toque final.

Ingredientes:

400 g de peito de frango;

150 g de manteiga;

70 g de smetana ou creme de leite (com pelo menos 30% gordura);

2 brioches;

Sal;

Pimenta preta;

Noz-moscada;

Alho em pó;

Ervas frescas (endro ou salsa ou cebolinha ou coentro);

1 dente de alho;

Mistura de ovo (1 ovo, 4 colheres de creme de leite azedo);

Pão ralado ou farinha de rosca para empanar;

500 ml de óleo de girassol (para fritar).

Modo de preparo:

  1. Pique as ervas e o alho fresco, acrescente um pouco de sal e misture com 50 g de manteiga amolecida.
  1. Pegue um recipiente plástico retangular, coloque um filme plástico dentro e espalhe a manteiga por igual. Feche as bordas e coloque no freezer por cerca de uma hora. O resultado será um “tijolo” de manteiga de ervas.
  1. Pique o frango ou passe no moedor, adicione sal, pimenta, noz-moscada, alho em pó, 100 g de manteiga amolecida e creme de leite azedo.
  1. Misture tudo. O creme será absorvido na mistura. Coloque a tigela na geladeira por 30 minutos.
  1. Corte os brioches, seque-os no forno ou na torradeira e rale.
  2. Quando for hora de tirar da geladeira e do freezer a manteiga e o frango picadinho/moído, será preciso preparar três tigelas: uma com farinha, uma com a mistura de ovos e uma com o pão ralado/farinha de rosca.
  1. Retire um pedaço grande de manteiga e corte enquanto ainda estiver firme.
  2. Divida a mistura de frango em 8 partes (de aproximadamente 85 g cada). Use luvas para mexer no frango, pois ele ficará um pouco pegajosa. Coloque um pedacinho de manteiga em um croquete e feche bem - este é um ponto importante, porque a manteiga não deve escapar do croquete durante a fritura.
  1. Coloque o croquete na farinha e empane de maneira uniforme. Repita com o resto.
  2. Coloque cada croquete separadamente na mistura de ovos e empane no pão ralado/farinha de rosca.
  3. Os croquetes de “frango à Kiev” devem ser consumidos imediatamente após a fritura. Se você não pretende consumi-los imediatamente, coloque-os na geladeira até a fritura.
  1. Frite o “frango à Kiev” em óleo quente (140 graus Celsius) em uma panela funda e estreita. Os croquetes devem ficar cobertos com o óleo. Mantenha os croquetes na panela por 4 a 5 minutos. Use uma escumadeira para colocar os croquetes no óleo e retirá-los de lá. Não deixe que eles fiquem muito escuros e não deixe água cair no óleo quente – o que pode causar acidentes.
  1. Sirva o "frango à Kiev" e priátnogo appetita!

LEIA TAMBÉM: Aprenda a preparar o (verdadeiro) estrogonofe de carne russo

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies