Com técnica de ‘espelho’, russa transforma bolos em obras-primas

Ksenia Penkina
Ksênia Penkina se tornou boleira por acaso, impulsionada pela grande paixão transmitida por sua irmã. Hoje, ela dá aulas de confeitaria para estudantes do mundo todo, compartilhando segredos de suas sobremesas ‘espaciais’ cobertas com glacê.

As criações de Ksênia Penkina fazem parte da categoria de doces muito bonitos para serem comidos, mas bons demais para resistir à tentação de cortar uma fatia. As fotos das sobremesas são publicadas regularmente em seu perfil no Instagram. 

Nascido em Tcheliabinsk, nos Urais, Ksênia estudou e trabalhou na Suíça, morou no Reino Unido, nos Estados Unidos e no Canadá e agora vive em Vancouver: “Fiquei apaixonada pela natureza do Canadá, pelos arranha-céus de Vancouver e seu povo.”

Mas quem a vê hoje em dia, não supõe que seu amor por doces nasceu ao acaso. A irmã de Ksênia, Aleksandra, costumava provar bolos inusitados e tão bonitos que dava até pena de comê-los. “Eu nunca vou esquecer o tempo que ela dedicou a mim e a grande ajuda que ela me deu”, diz Ksênia. “Desde então, a confeitaria se tornou a minha arte: a arte da massa, do sabor e das decorações”, continua. Ksênia decidiu então prosseguir seus estudos na French Pastry School, em Chicago, estudando com confeiteiros renomados internacionalmente.

Para criar um bolo com várias camadas, são necessários pelo menos três dias de trabalho, pois, segundo Ksênia, cada camada demora para secar.

As decorações, por outro lado, são sempre um desafio. “Nem sempre é possível prever o resultado obtido com o glacê espelhado, por isso, quando nos encontramos diante de uma obra-prima acabada, é sempre uma grande alegria”, diz.

“Minhas sobremesas são geralmente feitas com diferentes combinações de cobertura”, continua a doceira. “Eu sempre imagino o produto final e depois tento reproduzi-lo.”

Além dos bolos ‘espelhados’, Ksênia também se especializou em sobremesas em forma de pérolas. Todos os seus bolos são feitos com produtos naturais e são infinitamente saboroso. Mas não seria realmente uma pena comer essa obra-prima?

“É muito importante perceber o equilíbrio certo do sabor”, explica a doceira. “Doces multicamadas são menos populares hoje em dia porque, quando há muitos gostos, fica difícil reconhecê-los. Qual foi esse sabor que eu senti? Manga? Framboesa? Pêssego? Ou morango? ou coco? Pessoalmente, prefiro doces com um sabor único, que lhe permitem desfrutar plenamente o sabor excepcional da sobremesa”, continua Ksênia.

A confeiteira, que ministra master classes em todo o mundo, tem agenda cheia até o ano que vem. Quem não pode comparecer a uma aula física, há opção de fazer cursos on-line: mais de 3.000 alunos já aprenderam a fazer suas sobremesas pelo site.

“Estou muito feliz por poder compartilhar minha experiência com outras pessoas”, afirma Ksênia. “Estou sempre em contato com meus alunos e feliz em poder responder suas perguntas”, completa. Mas não acabou por aí: Ksênia confessa ter outros projetos em andamento e que em breve serão anunciados no Instagram.

Impressionante? Agora veja se você consegue adivinhar do que são feitos esses pratos russos.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies