Relações com Turquia estão afetadas por tempo indeterminado, diz Pútin

Pútin: “Blatter é um homem respeitável (...) É a ele que deviam dar o Prêmio Nobel.”

Pútin: “Blatter é um homem respeitável (...) É a ele que deviam dar o Prêmio Nobel.”

Konstantin Zavrajin/RG
Presidente fez declaração em coletiva anual que durou três horas nesta quinta-feira (17). Além de outros temas espinhosos tratados, como o do Estado Islâmico, ele sugeriu que o presidente da Fifa Joseph Blatter recebesse o prêmio Nobel.

Em uma coletiva de pouco mais de três horas nesta quinta-feira (17), o presidente russo Vladímir Pútin tratou de temas espinhosos - das relações bilaterais com a Turquia a uma sugestão de premiação com o Nobel ao presidente da Fifa, Joseph Blatter. A Gazeta Russa selecionou os melhores momentos da transmissão:

Criseeconômica

“As previsões anteriores sobre a saída da crise foram feitas partindo do pressuposto de que o barril de petróleo alcançasse os US$ 100 (...) Mas o pico da crise, apesar dos preços atuais do petróleo, ficou para trás. Disse o pico, não a crise em si.

Apesar de todas as dificuldades, a Rússia cumpre totalmente com suas obrigações diante das organizações credoras internacionais.

Dizem-me que mais adiante as taxas serão mais baixas. Claro que serão mais baixas, mas os problemas são outros. Temos a ameaça da inflação e, aí, o problema da deflação: os produtores produzem, mas não podem vender. Para diminuir as taxas, o que precisamos não é silenciar o Banco Central, e sim ajudar o governo a diminuir os riscos aos investimentos.”

Relações com a Turquia e caça derrubado

“Com o atual governo turco nos é difícil, ou praticamente impossível, chegar a um acordo. Quando dizemos que concordamos, eles nos apunhalam nas costas ou de lado. Não vejo possibilidade de alinhar as relações no âmbito governamental.

Se algum representante do governo turco decidiu lamber algum lugar dos americanos, não sei dizer se fez o certo ou o errado, e se os americanos precisam disso.

As ações do governo turco não são amigáveis, mas um ato hostil. (...) Por acaso era difícil pegar o telefone ou algum canal de comunicação e ligar? Ninguém disse coisa alguma. E o que conseguiram? Pensaram que fugiríamos? A Rússia não é esse tipo de país. Aumentamos nossa presença bélica: agora temos S-400 lá.

Se, anteriormente, a Turquia sempre voava e invadia o espaço aéreo sírio, agora eles que o façam.”

EstadoIslâmiconaRússia

“Era preciso atrair a bucha de canhão sob slogans islâmicos que, na realidade, só defendem interesses econômicos. Foi assim que nasceu o EI (Estado Islâmico).

Quando olho para isso tudo, me parece que o EI já não tem tanta importância. Em seu tempo, entraram no Iraque e o destruíram - e se isso é bom ou mal, não importa.

Não achamos que esta coalizão terá um caráter anti-Rússia. (...) Temos diferentes concepções na resolução da crise da Síria, mas também há pontos de vista que coincidem.”

Relações econômicas com a Ucrânia

“Buscamos manter relações econômicas com a Ucrânia. Mas a Ucrânia, em um regime unilateral, sai desse regime e se une à UE. Não se faz algo assim. (...) A Ucrânia não terá cotas e preferências no comércio com a Rússia. Não é escolha nossa. Nós resistimos.

Não pretendemos introduzir nas relações com a Ucrânia quaisquer sanções, quero que isso fique claro. Apenas passamos a negociar com nações que nos favorecem mais no mercado.”

Lesteucraniano

“Em primeiro lugar, nunca dissemos que não há gente tentado resolver as questões bélicas. Isso não significa que lá aja tropas regulares. Perceba a diferença.

Em segundo, a troca [por soldados ucranianos] não deve ter o mesmo peso. É preciso libertar as pessoas que são mantidas presas por ambos os lados. Não é segredo que o governo ucraniano considera aqueles que são mantidos no Donbass sujeitos a troca. Já aqueles que foram detidos em Kiev e mantidos em prisões são ignorados.”

CorrupçãoeescândalonaFIFA 

“Nenhum país tem o direito de ampliar sua jurisdição sobre outros. É preciso lutar com a corrupção. Mas essa ação, quando existem cidadãos estrangeiros por todo o lado, e se alteram os resultados, é inadmissível.

Se existe corrupção na Fifa? A investigação mostrará. Blatter é um homem respeitável, que fez muito para o desenvolvimento do futebol mundial. Sua contribuição para a esfera humanitária no mundo é colossal. (...) É a ele que deviam dar o Prêmio Nobel.”

Doping

“Somos contra o doping. Ele destrói a saúde das pessoas. É um veneno. Se alguém usa doping, deve ser punido.”

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Leia mais