Turquia é cúmplice do terrorismo, diz Pútin

Presidente russo esteve na Turquia na semana passada, durante cúpula do G-20. Segundo ele, o fato de a Turquia ter avisado à Otan sobre o incidente em primeiro lugar é inadmissível.

Presidente russo esteve na Turquia na semana passada, durante cúpula do G-20. Segundo ele, o fato de a Turquia ter avisado à Otan sobre o incidente em primeiro lugar é inadmissível.

Getty Images
Derrubada de caça Su-24 terá consequências graves para relações bilaterais com país, segundo presidente.

Em encontro com o rei da Jordânia Abdullah 2° nesta terça-feira (24), o presidente russo Vladímir Pútin afirmou que a Turquia é cúmplice do terrorismo e que a derrubada de um jato das forças aéreas russas na fronteira do país com a Síria terá graves consequências.

"O acontecimento vai além da luta contra o terrorismo. Claro que nossos militares conduzem uma luta heroica contra o terrorismo, sem se poupar, sem poupar suas vidas. Mas a perda de hoje está ligada a uma punhalada que tomamos nas costas pelos cúmplices do terrorismo", disse.

O presidente ainda afirmou que a iniciativa turca no incidente com o avião russo parece ser a de colocar a Otan a serviço do EI.

"Ao invés de estabelecerem o contato necessário conosco imediatamente, pelo que sabemos, os turcos foram se comunicar com os parceiros da Otan para discutir a questão e o incidente, como se nós é que tivéssemos atingido um avião turco, e não eles o nosso", disse.

Pútin acrescentou que a Rússia "sempre se relacionou com a Turquia não apenas como um vizinho próximo, mas como um Estado amigo".

Além disso, o presidente ressaltou que a Turquia compõe a coalizão norte-americana.

"Já registramos há tempos o fato de o território da Turquia ser passagem de uma grande quantidade de petróleo e derivados provenientes de territórios ocupados na Síria. Daí o grande fluxo de dinheiro, a grande quantidade de capital para financiar grupos armados, e, agora, ainda a punhalada nas costas, atingir nossa aeronave, que lutava contra os terroristas. E isso apesar de termos assinado com os parceiros norte-americanos um acordo sobre avisos em caso de incidentes aéreos. A Turquia, como se sabe, está entre os que anunciaram que lutariam contra o terrorismo na coalizão norte-americana", declarou o presidente russo.

Ele afirmou ainda que o acontecimento de hoje terá consequências para as relações bilaterais.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.