10 curiosidades sobre a troika russa

Mikhail VoskresénskI/Sputnik
Por que os russos arrearam três cavalos juntos? E como os cavalos arreados conseguiam olhar para diferentes direções?

A troika é uma maneira muito russa de aproveitar um trio de cavalos. É algo que não existe no resto do mundo - e é muito rápido! Ela é um símbolo russo reconhecido mundialmente, lado a lado com as bonecas matriôchka, as balalaikas e as geadas de inverno.

  1. Só o carro seria mais rápido (se naquela época existissem carros!)

A troika russa é uma formação com três cavalos com diferentes andaduras. O cavalo do meio (o "korennik" em russo) se move a trote e deve ser o maior e mais forte. Os dois cavalos de nas laterais (chamados de"pristiajnie") mantêm o galope, levando o cavalo do meio com eles, mas ficando menos cansados ​​do que se puxassem tudo sozinhos. A troika pode percorrer grandes distâncias a uma velocidade de 45 a 50 quilômetros por hora. Quase tão rápido quanto um carro moderno que vai dentro dos limites de velocidade urbanos!

  1. Os cavalos olham em direções diferentes

Se você observar uma troika russa em movimento, perceberá um detalhe curioso: os cavalos das laterais mantêm a cabeça virada para o lado e, ao mesmo tempo, seguem em frente. Como eles fazem isso? A razão é que o cavalo arreado à direita galopa conduzindo com a pata esquerda, enquanto o da esquerda conduz com a pata direita. E, assim, eles viram a cabeça para direção oposta para obter equilíbrio. Eles o fazem instintivamente (mas é tão elegante!).

  1. As melhores troikas têm cavalos da mesma raça
Borís Kustodiev, Máslenitsa, 1919.

Acredita-se que as melhores troikas são aquelas puxadas por cavalos trotadores do mesmo tipo (raças especialmente criadas para desenvolver velocidade). Ao mesmo tempo, o cavalo localizado no meio da troika deve ser maior que os outros dois. Os cavalos Viatka, conhecidos por sua resistência, são considerados os mais confiáveis, enquanto as troikas compostas por grandes trotadores Orlov são vistas como as de maior prestígio.

  1. As Troikas eram para três passageiros

A palavra "troika" ("trio" em russo) entrou em uso no século 18 como modo de descrever uma equipe de três cavalos - ou, segundo algumas fontes, no final do século 17. Naquele momento, o número de cavalos dependia do número de passageiros e da carga - um único cavalo seria suficiente para um passageiro, mas se fosse necessária mais "potência", mais cavalos seriam arreados.

Mas essa maneira de aproveitar os cavalos não pegou na Rússia devido à baixa qualidade das estradas (ou melhor, à ausência completa de estradas, em muitos casos). Mas quando os cavalos começaram a ser aproveitados lado a lado as coisas melhoraram.

  1. O correio teve grande influência para o estabelecimento da troika
Com três cavalos para puxar sua troika, o carteiro russo pode fazer seu trajeto com velocidade e conforto. Postal emitido por volta do ano de 1900.

Na verdade, não se sabe ao certo quem inventou a troika ou quando. Muito provavelmente, o desenvolvimento do serviço postal contribuiu para o surgimento da troika como uma equipe de cavalos que viajavam em diferentes andaduras.

Na Rússia, as distâncias entre centros populacionais são enormes. As entregas de correio e frete levaram vários dias, mesmo entre Moscou e São Petersburgo. E poderia levar semanas para chegar a outras grandes cidades, principalmente durante a primavera e o outono, quando tudo estava coberto de lama.

Tanto a resistência, como a velocidade eram importantes para os cavalos que transportavam correspondência. No início do século 19, os carteiros já estavam sendo levados por troikas na Rússia.

Mais tarde, as troikas passaram a ser usadas para transportar entregadores e passageiros e também como um tipo de entretenimento caro em vilarejos e cidades. Por exemplo, em casamentos, um camponês rico consideraria absolutamente obrigatório contratar uma troika - e, de preferência, mais de uma - para levar sua noiva, familiares e convidados para passear.

6. Arreios personalizados para afastar forças malignas

Viagem em troika russa tradicional.

As troikas mostram que a paixão por tunning existe desde os tempos em que... não existiam carros! No passado, os cocheiros também personalizavam os arreios. Eles pintavam o arco do cavalo de dourado ou o adornavam com motivos decorativos e entalhes sofisticados.

Em meados do século 19, arcos de eixo incrustados em latão entraram na moda, e várias décadas depois era costume decorá-los com fitas coloridas. Os cocheiros acreditavam que esses adornos serviam não apenas a propósitos estéticos, mas também os protegiam contra ladrões e mau-olhado.

  1. Campainhas no lugar de som

"Andamos em uma troika com sinos de trenó", dizem os versos da música popular "Pela longa estrada". Realmente, uma troika se aproximando podia ser ouvida a um quilômetro de distância! Os cocheiros usavam os sinos para garantir que a estrada à frente fosse liberada a tempo de a troika passar, alertando a todos que a correspondência estava chegando.

Mas, depois, os proprietários privados de troikas desenvolveram um gosto pelos sinos, e eles começaram a ser usados ​​não apenas pelo serviço postal, mas também por qualquer pessoa que passeava. Claro, as pessoas dirigindo pela cidade com seus sinos tocando apenas por diversão e, portanto, na segunda metade do século 19, o governo proibiu o uso privado desses tipos de equipamento.

Em resposta, proprietários particulares tiveram a ideia de usar pequenos sinos de bronze presos a tiras de couro e arreios que produziam um som mais delicado. Os sininhos eram selecionados de acordo com o tom e, como resultado, cada troika tinha seu próprio acompanhamento musical durante uma jornada.

8. As troikas mais rápidas em exibição

Iu. Ievsiukov

A primeira vez que uma troika russa foi levada ao exterior foi em 1911, a uma exposição mundial em Londres. Ela consistia de um cavalo trotador Orlov com Strelets laterais. Depois disso, as troikas russas se tornaram uma característica constante em exposições internacionais. A tradição continuou no período soviético, mas, nessa época, as troikas eram compostas principalmente de imponentes trotadores Orlov.

  1. Ainda se pode ver troikas hoje

Com o surgimento de ferrovias e carros, a demanda por troikas (e transporte puxado por cavalos em geral) diminuiu. Mas eles ainda podem ser vistos hoje em competições esportivas e eventos especiais em cidades turísticas russas, como Súzdal e Vladímir.

Desde a década de 1840, as troikas competiam no Hipódromo de Moscou não apenas em corridas de velocidade, mas também em ensaios de adestramento. Em meados da década de 1990, foi inaugurada, em várias cidades russas, uma competição anual da Copa da Rússia de troikas. As finais são realizadas em Moscou.

10. Uma troika inspiradora

Troika no festival da cidade em Nertchinsk.

A "Troika" é um russismo: uma palavra ou frase que não é traduzida para outros idiomas e permanece russa. E, definitivamente, tornou-se um dos símbolos da Rússia! Inúmeras pinturas, poemas, histórias e músicas são dedicadas à troika.

A passagem seguinte de "Almas Mortas", de Nikolai Gógol, é considerada o exemplo mais famoso: "Rússia, você não está avançando como uma troika espirituosa que ninguém pode passar? A estrada faz fumaça sob você, as pontes trovejam e tudo cai e fica para trás."

Aliás, tão emblemática é a troika, que ela dá nome ao passe de viagens múltiplas do sistema de transportes  da capital: é o cartão Troika.

LEIA TAMBÉM: 10 instrumentos musicais folclóricos russos que você precisa conhecer

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies