Como se comemorava o Ano Novo na URSS (FOTOS)

Papai de Gelo e a Menina da Neve em uma festa de Ano Novo para crianças em um centro cultural de Moscou, 1960.

Papai de Gelo e a Menina da Neve em uma festa de Ano Novo para crianças em um centro cultural de Moscou, 1960.

David Sholomovich/Sputnik
Os católicos sempre celebraram o Natal como a festividade mais importante do ano, mas, no país vermelho, os dias religiosas não eram comemorados, o que deu mais espaço para outras datas.

Na Rússia, o Natal não é uma celebração tão grande como em outros países cristãos e os motivos disso remontam à época da União Soviética. Em 1929, as autoridades baniram todos os feriados religiosos do calendário e por 70 anos quem morava nos países do bloco sequer comemorava o nascimento de Jesus.

Mas os banquetes e festas de fim de ano eram algo a que todos estavam muito acostumados, afinal, era preciso um pouco de alegria e uma pausa nos dias intensos de trabalho e inverno. Por isso o Partido Comunista decidiu organizar uma festa da árvore para os camponeses e proletários na véspera do Ano Novo. A primeira dessas festas ocorreu em 1935 e foi celebrada no Conselho de Sindicatos de Moscou (veja a foto abaixo)...

…e também por toda a União Soviética – incluindo as regiões onde não havia Natal por conta de diferentes tradições, como no Uzbequistão. Em vez de celebrarem a imagem de Cristo, as crianças costumavam agradecer a Stálin por sua “infância feliz” fazendo cartazes.

Para muitas pessoas, a véspera de Ano Novo continua sendo um feriado de família, assim como o Natal, o que torna as reuniões em torno de uma mesa farta algo tradicional deste dia.

As pessoas costumavam procurar pelas melhores iguarias e coisas que não tinham disponível durante o resto do ano, mas isso era um desafio, já que itens de luxo não eram fáceis de encontrar. Entre os pratos mais comuns da ceia de Ano Novo soviética estavam a salada Olivier (a salada russa), o arenque sob casaco de pele, aspics e tangerinas (pois a época delas era exatamente o inverno).

Uma das lojas mais famosas em que se compravam decorações de ano novo era a Detsky Mir – O Mundo das Crianças – a mais importante loja de departamentos destinada à crianças em Moscou. Se você topasse ficar em uma fila bem grande você conseguiria comprar algo realmente especial (muitos dos brinquedos e decorações era conservados e usados por décadas. E muitos ainda continuam decorando casas na Rússia de hoje!).

A maioria dos brinquedos de Ano Novo eram feitos à mão. As crianças tinham aulas de artesanato na escola para que preparassem a festa com antecedência.

No final de dezembro, todos os jardins de infância, escolas, fábricas e empresas preparavam uma festa com performances amadoras. Bailes de máscara estavam entre os tipos favoritos de festas, com as fantasias também feitas em casa.

Um dos símbolos mais importantes da data era o Papai de Gelo (Ded Moroz), considerado uma versão análoga russa do Papai Noel, mas há evidências de sua existência desde o século 19. Na década de 1930, a imagem de sua neta, Snegurotchka (menina de neve) também se tornou popular. Desde então, eles trabalham juntos para levar presentes e alegria a todos.

A principal árvore da cidade era montada na Praça Vermelha, enquanto no Kremlin havia eventos especiais para as crianças e trabalhadores homenageados. Nesta foto, Nikita Khruschov cumprimenta as pessoas no Kremlin.

Na Rússia de hoje, há uma pausa de 7 a 10 dias logo após o Ano Novo, enquanto na União Soviética o dia 2 de janeiro já era um dia útil normal de trabalho. A foto abaixo mostra uma cena típica no que foi o último Ano Novo soviético, em 1990.

LEIA TAMBÉM: 8 músicas de Ano Novo que vão fazer você se sentir na Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies