Quais foram os outros nomes da Rússia?

Global Look Press
Ela também se chamou, entre outros, “Terra das Cidades”, “Terra do Submundo" e “Terra dos Sarmats”, entre outros. E tem mais!

Sejamos claros: não estamos falando de supostas formações estatais do passado, como a Hyperborea da mitologia grega ou o Caganato de Rus, cuja existência nunca foi provada. Os nomes que listamos a seguir denominaram a Rússia no início dos tempos.

1. Gardariki

Rua em Kitái Górod, no início do século 17. Pintura de Appolinari Vasnekov, 1900.

Os escandinavos chamavam o norte da Rússia de Gardariki entre os séculos 12 e 13, principalmente da região de Nôvgorod. A palavra significa, literalmente, “terra das fortalezas (cidades)”.

Isto significa que, mesmo para os escandinavos, desenvolvidos e muito viajados, as terras russas eram impressionantes por sua infinidade de cidades e vilarejos.

  1. Sarmatia
Guerreiros sármatas.

Os sármatas eram iranianos e o auge de suas propriedades na Europa antiga durou do século 5 antes de Cristo ao 4 depois de Cristo. Seus territórios incluíam regiões que pertencem hoje ao centro e sudeste da Ucrânia, ao da Rússia, ao Volga russo e ao sul dos Urais.

Por volta do século 4 depois de Cristo, os sármatas se juntaram aos godos no povoado do Império Romano Ocidental e foram assimilados.

Mapa de Waldseemüller com indicação da localização da Sarmatia.

Para os antigos povos grego e romano, a Sarmatia era o nome de grande parte das vastas terras a leste deles e a norte dos mares Negro e Cáspio. O termo foi usado na Europa até o século 15, quando o povo da Rus’ já era conhecido.

3. Tartária

Mapa de Waldseemüller com a localização da Tartária indicada.

A palavra Tartária é proveniente do etnônimo “tártaro” e se popularizou na Europa após as conquistas de Guênghis Khan e seu exército. Mas o segundo "r" apareceu devido à contaminação linguística proveniente da palavra grega "tártaro", que significa "submundo" ou " inferno" na mitologia grega.

Entre os séculos e 12 a 13, a palavra "tártaro" (em vez de “tatár”) foi usada para denotar os habitantes do Tataristão, mongóis e praticamente todos os povos da parte oriental do mundo, entre o Mar Cáspio e o Oceano Pacífico.

O termo "Tartária" passou a ser usado com muita frequência para denotar a Rússia nos séculos 15 e16. No mapa de Waldseemüller, por exemplo, que é um dos primeiros com longitudes e latitudes precisas e foi o primeiro impresso do mundo a usar o nome “América. Nele, partes do território russo também são rotuladas como “Tartária”.

O nome "Tartária" foi usado até o século 19, quando Estados soberanos e seus nomes passaram a se destacar em mapas geográficos.

  1. Grão-Ducado de Moscou
Dmítri Donskôi (1350-1389).

O Grão-Ducado de Moscou e a Rússia não eram exatamente a mesma coisa. Antes e durante a invasão tártaro-mongol das terras russas, do século 13 ao 15, os príncipes locais governavam seus próprios ducados, que frequentemente batalham entre si.

Com o tempo, o Ducado de Moscou tornou-se o mais poderoso e sofisticado em termos polícos. Liderado por príncipes corajosos e astutos, o Ducado de Moscou assumiu a liderança na conquista dos tártaros.

O príncipe Dmítri Donskôi, que venceu a Batalha de Kulikovo em 1380, foi o primeiro governante de Moscou a se autodenominar Grão-Príncipe.

Já o famigerado Ivan, o Grande foi o Grão-Príncipe de Moscou que passou a se autodenominar "tsar". Durante seu reinado, no final do século 15 e início do 16, a Rússia se unificou como Estado: as fronteiras foram anuladas e adotou-se uma constituição obrigatória para aquele enorme território.

LEIA TAMBÉM: Você sabia que a Moscou do português brasileiro é mais próxima do original que a própria russa?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies