Morte de Gagárin completa 50 anos nesta terça

Acidente de avião com cosmonauta ainda é cercado de mistérios.

O cosmonauta Iúri Gagárin, uma das pessoas mais amadas da URSS e o primeiro ser humano a viajar para o espaço exterior, morreu há exatas cinco décadas.

O explorador espacial sofreu um acidente aos 34 anos durante um voo de treinamento nos entornos de Moscou. O avião MiG-15, no qual estava viajando, caiu repentinamente, causando a morte do cosmonauta e do instrutor Vladimir Serioguin.

Gagárin era tão amado pelo povo que, mesmo após o anúncio oficial da tragédia, muitos não acreditaram que pudesse ser verdade.

Ao longo de sua trajetória como cosmonauta, iniciada com o primeiro voo ao espaço em abril de1961, Gagárin ganhou diversas condecorações e onde quer que fosse era recebido com furor pelas massas; além da admiração dos companheiros.

As causas da morte do cosmonauta, porém, nunca foram esclarecidas. Alguns relatos sugerem que o avião de Gagárin entrou no rastro de um avião de passageiros, gerando uma atitude precipitada. Outros estão convencidos de que o MiG colidiu no ar contra um objeto não identificado, como uma sonda meteorológica, que quebrou os vidros da aeronave. Uma terceira versão indica ainda falha como causa do acidente.

Há boatos também de que sua morte teria sido encomendada, uma vez que o cosmonauta estaria começando a questionar algumas decisões do Politburo soviético.

O funeral de Gagárin foi realizado na Praça Vermelha, em Moscou, e teve a presença milhares de pessoas. Seus restos mortais estão enterrados nas muralhas do Kremlin.

Em 1968, após a sua morte, a cidade em que nasceu (então Klúchino, na província de Smolensk) foi renomeada em sua homenagem.

Confira o vídeo abaixo sobre a trajetória de Iúri Gagárin:

Em meados de 2017, Iúri Gagárin foi selecionado como o russo ‘mais influente’ em 100 anos, segundo lista divulgada pela edição russa da “Forbes”. Leia mais

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais
Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies