Por que os russos são tão supersticiosos?

Kira Lissítskaia (Foto: Legion Media)
Se você pisar no pé de um russo, ele tem que “retribuir o favor”... e esta é apenas uma das incontáveis superstições que nos ajudam a entender a alma russa!

Nunca lamba comida de uma faca, nunca aperte as mãos de alguém à soleira da porta, nunca deixe uma mulher carregando um lixo vazio cruzar seu caminho... Se você deixar escapar qualquer uma dessas ações, espere que algo terrível lhe aconteça! Pelo menos, isso é o que dizem os russos...

Por mais irracionais que possam parecer à primeira vista, algumas superstições russas têm bastante lógica por trás delas.

Inclinado a acreditar

Uma pesquisa realizada pelo Centro Levada (organização sem fins lucrativos taxada como “agente estrangeiro” por receber fundos do exterior) em 2017 para averiguar o quão supersticiosos os russos são mostrou que 55 por cento da população do país dizia acreditar em superstições, enquanto 16% achavam difícil responder com certeza. Apenas cerca de 30% duvidavam ou rejeitavam claramente as superstições.

E, para muitos russos, inclusive aqueles que se declaram céticos, seguir rituais supersticiosos já faz parte da rotina, mesmo sem perceber.

“Não costumo acreditar em superstições, mas outro dia vi um gato preto cruzar a rua na minha frente e percebi que, inconscientemente, evitei seguir meu caminho até alguém fosse antes”, conta o moscovita Dmítri, 32 anos, de Moscou.

Crescer em um ambiente supersticioso é uma das razões por que as gerações mais novas se pegam seguindo ideias em que não acreditam na prática.

“Eu sei que é irracional acreditar em superstições. Mesmo assim, lá no fundo, começo a me preocupar se, por exemplo, derramar sal acidentalmente (presságio de uma briga). Eu sei que o sal não causa brigas, mas fico assim de tanto que ouvi essa história desde a infância”, diz a moscovita Iúlia, de 21 anos.

Fé e religião

A crença em superstições entre os russos parece andar de mãos dadas com a difusão da fé: quanto mais religiosa uma pessoa é, mais ela parece acreditar em superstições.

Walter Smith, um estrangeiro que vive na Rússia e visitou o país pela primeira vez ainda na década de 1990, disse ter ficado surpreso com o fenômeno. “Vi muita superstição, irracionalidade, credulidade, falta de lógica, falta de fé na ciência, falta de referência a estatísticas e evidências do mundo real. Por exemplo, existe ali a crença absurda de que um ícone religioso protege as pessoas de acidentes de carros, apesar de o país ter uma taxa de acidentes de trânsito e de mortalidade muito maior que a de países europeus onde ninguém coloca santos nos carros”, diz Smith.

A pesquisa do Centro Levada também corrobora para a hipótese de que religião e superstição andam de mãos dadas na Rússia.

“Entre os que se disseram ateus na pesquisa, era muito menor a proporção de supersticiosos que entre os ortodoxos”, lê-se na pesquisa do Centro Levada.

Irracional útil

Mesmo que irracionais, as superstições russas são de extrema valia ao estrangeiro no país. Por exemplo, a crença de que presentear com um número par de flores é mau presságio é tão comum na Rússia que quem o fizer pode colocar tudo a perder — quem receber esse presente ficará realmente irado!

Na raiz dessa superstição está uma antiga crença eslava de que números pares representavam o fim do ciclo de vida. Na Rússia moderna, um número par de flores está totalmente associado a funerais. Assim, conhecer e seguir essas regras torna a vida de qualquer pessoa mais fácil no país.

Segundo outra superstição russa, todos os membros de um grupo devem se sentar antes de embarcar em uma viagem. Vendo pelo lado positivo, é uma excelente oportunidade para se acalmar em um momento de pressa e lembrar de alguma coisa que acabariam se esquecendo na correria.

Além disso, para os russos, quebrar copos ou pratos de vidro acidentalmente significa boa sorte — o que torna a perda material mais suportável para o proprietário.

Já vangloriar-se de um futuro sucesso traria azar — e, de fato, não fazer isso mantém as pessoas mais humildes. Se seu olho direito coçar, isso também simboliza que algo vai te fazer feliz em breve — então não fique muito chateado se parecer ser apenas um começo de conjuntivite!

 

LEIA TAMBÉM: As perguntas mais estranhas que os estrangeiros fazem aos russos

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies