Onde mais os russos vivem, além da Rússia?

Reuters
Estima-se que de 20 a 30 milhões de russos vivam fora de seu país de origem. E tem muitos no Brasil.

1. Ucrânia - 8,3 milhões

Como muitos outros Estados pós-soviéticos, a Rússia e a Ucrânia foram consideradas como parte de um único país, a URSS, desde seu início até 1991. Inevitavelmente, pessoas de etnias ucranianas e russas se mudaram livremente através da fronteira inexistente, misturando-se e estabelecendo-se em ambos os lados do que agora se tornou uma fronteira internacional.

De acordo com o último censo populacional realizado na Ucrânia em 2001, havia 8,3 milhões de russos étnicos vivendo no país. Segundo grupo étnico mais populoso da Ucrânia, os russos representavam 17,28% de toda a população do país, atras apenas dos 37,5 milhões de ucranianos.

2. Cazaquistão - 3,8 milhões

Para uma geração de russos étnicos nascidos no momento decisivo da história soviética, do final dos anos 1980 ao início dos anos 1990, crescer no Cazaquistão foi semelhante a crescer na Rússia, uma vez que estavam cercados por russos.

Mesmo hoje, 30 anos depois de o Cazaquistão se tornar um país independente após a queda da URSS, os russos ainda representam uma grande parcela da população local. Em 2009, por exemplo, os russos étnicos reuniam um quarto da população do Cazaquistão. Essa porcentagem tem diminuído gradualmente ao longo dos anos (novos dados estarão disponíveis após a conclusão do censo de 2021), mas ainda continua sendo o segundo grupo étnico mais populoso do país, totalizando aproximadamente 3,8 milhões de pessoas.

3. Estados Unidos - 3,1 milhões

Por incrível que pareca, os EUA estão entre os três principais países que mais possuem russos étnicos em números absolutos. Historicamente, houve quatro ondas de emigração russa para os EUA.

Os primeiros russos começaram a chegar nos séculos 18 e 19, contribuindo para o desenvolvimento do novo país, incluindo o estabelecimento do famoso Forte Ross na Califórnia. A segunda onda de imigração consistiu sobretudo de judeus que deixaram o Império Russo em busca de uma vida melhor nos Estados Unidos e oficiais do Exército Branco que fugiram do regime bolchevique no início do século 20. Os dissidentes soviéticos, que deixaram a URSS voluntariamente ou não, constituíram a terceira onda de imigração. A leva final de emigração russa para os EUA aconteceu após a queda da Cortina de Ferro em 1991, quando muitas pessoas insatisfeitas com a vida sob a bandeira soviética e desencantadas com suas perspectivas na Rússia recém-independente resolveram se mudar para os EUA.

Hoje, existem aproximadamente 3,1 milhões de russos étnicos vivendo nos EUA, embora este número seja uma estimativa imprecisa, já que o termo russo é amplamente usado nos EUA para descrever imigrantes de muitos outros Estados pós-soviéticos e da Europa Oriental, além da Rússia. Apesar do número expressivo, os russos representam apenas cerca de um por cento da população dos EUA.

4. Alemanha - 2,2 milhões

É difícil estimar o número exato de russos étnicos na Alemanha, porque muitos alemães que viviam na URSS - filhos de alemães étnicos que viviam no Império Russo e os realocados durante a Segunda Guerra Mundial - migraram maciçamente de volta para a Alemanha após a queda do Muro de Berlim, a reunificação da Alemanha e o colapso da União Soviética no final dos anos 1980 e início dos anos 1990. No entanto, estima-se que haja quase 2,2 milhões de russos étnicos vivendo na Alemanha - que, juntos, constituem uma das maiores diásporas de língua russa do mundo.

5. Uzbequistão - 0,7 milhões

Antes do colapso da União Soviética, cerca de 1,6 milhão de russos étnicos viviam permanentemente no Uzbequistão, que na época fazia parte da URSS. No entanto, depois que a União Soviética se dividiu em vários Estados independentes, muitos russos étnicos retornaram à sua pátria histórica, a Rússia. As autoridades uzbeques estimam que, em 2021, o número de russos étnicos que vivem no país diminuiu pela metade, de 1,6 milhão para 730 mil pessoas.

6. Bielorrússia, Canadá, Letônia, Quirguistão, Estônia e Brasil - 2,7 milhões

Esses seis países combinados são o lar de aproximadamente 2,7 milhões de russos étnicos. Em alguns lugares, eles representam uma pequena parcela da população, enquanto em outros - na Letônia e na Estônia, em particular - os russos étnicos constituem uma parte considerável da população - 24,5% e 24,3%, respectivamente.

LEIA TAMBÉM: Por que o russo ainda é falado nas ex-repúblicas soviéticas?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies