Brics destacam papel da imunização em larga escala na luta contra covid-19

Ministério dos Negócios Estrangeiros
Em reunião nesta terça-feira (1º), os ministros das Relações Exteriores dos cinco membros do bloco enfatizaram a urgência do desenvolvimento e aplicação de vacinas, especialmente nos países em desenvolvimento.

A imunização em grande escala da população contra o coronavírus é a solução para acabar com a pandemia, segundo declaração conjunta dos chanceleres dos países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), divulgada após videoconferência desta terça (1º).

“Os ministros reconheceram o papel da ampla imunização contra covid-19 como um bem de saúde pública global para prevenir, conter e interromper [a transmissão], para acabar com a pandemia e promover uma recuperação rápida, inclusiva e sustentável”, lê-se no documento. Os ministros destacaram a urgência do desenvolvimento precoce e introdução de imunizantes contra o coronavírus, sobretudo nos países em desenvolvimento, e insistiram numa colaboração mais estreita entre as partes para diversificar a carteira de vacinas.

Também foi evidenciada a necessidade de usar todas as medidas cabíveis durante a pandemia, entre elas a renúncia dos direitos de propriedade intelectual para vacinas de covid-19. “Eles também reafirmaram a necessidade de alocação de doses de vacina, transferência de tecnologia, desenvolvimento de capacidade de fabricação local e cadeias de abastecimento de suprimentos médicos e promoção da transparência de preços”, diz o comunicado. Os ministros pediram “a devida contenção na implementação de medidas que possam restringir o fluxo de vacinas, insumos de saúde e recursos essenciais”.

LEIA TAMBÉM: Por que poucos russos se vacinaram contra o coronavírus?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies