Rússia doa 250 ônibus no valor de US$ 17 milhões a Nicarágua

Ônibus russos na Praça Juan Pablo II, em Manágua, em maio de 2009. Naquele ano, governo russo doou 130 ônibus ao governo para transporte público.

Ônibus russos na Praça Juan Pablo II, em Manágua, em maio de 2009. Naquele ano, governo russo doou 130 ônibus ao governo para transporte público.

Reuters
País da América Central receberá os veículos KAVZ-4238-61 até o final de 2021.

Moscou doará 250 ônibus à Nicarágua em 2021, segundo ordem do governo russo publicada no portal oficial de informações jurídicas em 17 de março. De acordo com o documento, o Ministério da Indústria e do Comércio da Rússia receberá até 1,3 bilhão de rublos (cerca de US$ 17 milhões) para esse fim.

A Kurgan Bus Factory (KAVZ), membro do Grupo GAZ, foi designada como única fornecedora, de acordo com o documento publicado. Além dos ônibus KAVZ-4238-61, a Nicarágua também receberá kits de peças de reposição.

Como apontou o diretor de exportações do Grupo GAZ, Leonid Dolgov, ao jornal Izvêstia, a Rússia provê a Nicarágua com ônibus KAVZ desde 2009, ainda que sob contratos comerciais. Segundo ele, os veículos russos representam cerca de metade do parque de ônibus da capital nicaraguense, Manágua.

“Foi a parte nicaraguense que escolheu nossos ônibus KAVZ, pois há muito adaptamos esses veículos para funcionar bem no país, que tem clima quente, umidade, poeira vulcânica nas estradas, combustível de baixa qualidade, terrenos acidentados e sobrecargas frequentes. Durante a adaptação dos ônibus, foram feitas mais de 30 mudanças no seu projeto”, disse Dolgov ao Izvéstia.

Segundo ele, já está funciona na Nicarágua um serviço de manutenção técnica de alta qualidade para os ônibus russos que conta com a presença permanente de especialistas do Grupo GAZ. Além disso, a empresa já organizou o fornecimento de peças de reposição — resultando na lealdade de Manágua.

LEIA TAMBÉM: 15 projetos revolucionários de ônibus da Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies