Como os russos planejam comemorar o Ano Novo em meio à pandemia

Getty Images
Bares e restaurantes funcionando até 23h, pistas de patinação no gelo fechada e festas públicas proibidas.

De 31 de dezembro de 2020 a 15 de janeiro de 2021, a maioria das regiões da Rússia irá impor uma série de restrições relacionadas para evitar a disseminação do coronavírus. Cafés, bares e restaurantes ficarão fechados à noite, as festividades de massa e eventos públicos serão suspensas, e as festas e programas infantis de Ano Novo serão realizados apenas on-line. Os cinemas e salas de concerto continuarão funcionando, mas apenas com 25% da capacidade de público.

Em São Petersburgo, as pistas de gelo em shopping centers, cafés, restaurantes e teatros não ficarão abertas, e os fogos de artifício de Ano Novo também serão cancelados. Muitas outras regiões da Rússia introduziram restrições semelhantes.

Shopping centers e Papai Noel

Oitenta e cinco por cento dos russos pretendem comemorar o Ano Novo em casa, de acordo com uma pesquisa do serviço de e-ticket Yandex.Travel. Desse montante, apenas 13% temem contrair o vírus, enquanto 9% se sentem desanimados com as restrições na Rússia e no exterior. Pouco mais de um terço (34%) não tem dinheiro para celebrar, e 29% dizem estar acostumados a passar o Ano Novo em casa.

“Nos últimos anos, celebrei o Ano Novo em diferentes cidades russas. Este ano, comprei um carro a prestações, por isso não posso pagar uma viagem para a Crimeia ou Sochi, devido ao pagamento de juros. Não consigo comprar nem uma árvore. Estou esperando o pagamento para comprar uma, além de comida para a mesa de Ano Novo”, conta Anastassia, gerente de relações públicas na região de Moscou.

Konstantin Kokoshkin/Global Look Press

Já a moscovita Aleksandra, celebra anualmente o Ano Novo com sua família e amigos na datcha (casa de campo) e durante as férias de Ano Novo eles visitam parentes. Mas a pandemia atrapalhou os tradicionais planos.

“Agora parece um pouco arriscado convidar amigos. Alguém pode infectar alguém. Metade dos meus parentes está doente, então não vou conseguir vê-los também. Além disso, tentamos comprar comida e champanhe com antecedência para evitar as lojas lotadas na véspera de Ano Novo”, diz Aleksandra.

Devido à pandemia, as solicitações por Vovô Gelo (Ded Moroz) e sua netinha-ajudante Donzela de Neve – os dois principais personagens do Ano Novo na Rússia – também entraram em colapso. A atriz moscovita Elena Chamanova, que costuma fazer o papel de Donzela da Neve, teve 40% menos trabalho neste ano que em 2019.

“Não há muitos pedidos, mas às vezes recebo um ou dois por dia, às vezes mais. Alguns pedem um teste negativo de covid-19, e eu sempre envio os meus resultados. Além disso, já fiquei doente [por infeção pelo coronavírus] e agora tenho anticorpos, por isso é mais fácil para mim encontrar clientes”, diz Elena.

O também ator Evguêni Abramov, que costuma incorporar o Vovô Gelo, também reclama da falta de trabalho.

“Este ano, só recebi pedidos de clientes regulares para 30 e 31 de dezembro. Nos anos anteriores, ganhei bastante fazendo aparições em creches e centros de desenvolvimento, agora não tem nada. O mesmo com os bares – toda véspera de Ano Novo eu trabalhava em um bar como Dez Moroz. Mas agora, pela primeira vez em cinco anos, vou comemorar o feriado em casa”, conta Evguêni.

Segundo ele, os clientes “não se importam tanto” com os testes de covid-19,  e os atores que já tiveram a doença “a usam como argumento de venda”. 

“Mas, embora eu já tenha pegado o vírus e me recuperado, um de meus clientes regulares me pediu para cumprimentar as crianças não dentro de casa, como de costume, mas pela escada à distância. Eles ainda estão preocupados”, explica o ator.

Viagens não canceladas

Os 15% restantes dos russos farão viagens de Ano Novo pelo país, de acordo com a pesquisa do Yandex.Travel. Apesar das restrições, as pessoas irão comemorar o Ano Novo em Sochi, Moscou, São Petersburgo, Kazan e Ialta – entre as quais, muitas reservas haviam sido feitas antes de as restrições serem anunciadas. Outras, como a jornalista Daria Labutina, irão se limitar a viagens pelo chamado Anel de Ouro, um conjunto de vilas e cidades antigas ao nordeste da cidade de Moscou.

“Sempre comemorei o Ano Novo com meus pais em casa, mas desta vez decidimos fazer um tour por Rostov, Iaroslavl e Kostromá. Compramos o passeio antes da segunda onda do coronavírus e as passagens não podem mais ser devolvidas, por isso a família inteira está preocupada com os riscos à saúde, principalmente minhas avós. Se não fosse pela covid-19, Deus sabe o que eu estaria fazendo este ano”, diz Labutina.

A gerente de produto Irina Prokhodova planejou uma viagem para as cidades setentrionais de Vologda, Velíki Ustiug e várias outras.

“Comecei a planejar a viagem recentemente, justamente pelo aumento do número de casos. Eu irei com meus amigos de carro. Ficaremos com amigos no campo e apenas ocasionalmente em hotéis. Tentaremos ter menos contato possível com outras pessoas. Pensando pelo lado positivo, veremos o verdadeiro inverno russo. Portanto, o clima festivo é garantido”, diz Prokhodova com otimismo.

Poucos russos planejam comemorar o Ano Novo no exterior, mas para aqueles que o farão, os destinos favoritos incluem Turquia, Abecásia e Emirados Árabes Unidos. Kirill Savinov, que trabalha para o Yandex, passará o Ano Novo em Istambul, embora os cafés e restaurantes locais só estão estejam abertos para entrega ou viagem. Além disso, durante os feriados de Ano Novo, de 31 de dezembro a 4 de janeiro, estará em vigor na capital turca um toque de recolher de 24 horas.

“Eu vou com minha esposa e amigos. Pelo que entendi, eles têm quase as mesmas restrições que na Rússia, apenas com regras mais rígidas para as máscaras. Mesmo se tudo estiver fechado, passear pela deserta Istambul ou passar o tempo em um apartamento alugado será divertido”, diz Kirill.

LEIA TAMBÉM: Por que a árvore de Natal na Rússia não tem nada a ver com Natal?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies