Por que a URSS construía estações de metrô dentro de edifícios residenciais? (FOTOS)

Dária Sokolova
Quem mora nesses prédios moscovitas não perde tempo caminhando até a estação de metrô mais próxima, já que há uma entrada no térreo de seus edifícios...

Você gostaria de morar mais perto do metrô? Mas e se a entrada do metrô ficasse, literalmente, dentro do seu prédio? A maioria dos edifícios em Moscou que têm entradas para o metrô surgiram entre o final dos anos 1930 e os anos 1950. Foi um período de expansão da nova capital soviética, com foco em estruturas monumentais do “estilo Império Stalinista”.

Arquitetos pioneiros surgiram com muitas soluções diferentonas em seus projetos, geralmente com o objetivo de reunir o máximo possível de coisas. Uma maneira de fazê-lo era incorporando os saguões de entrada das estações de metrô a edifícios residenciais.

Prédio que tinha apartamentos para aluguel em Okhotniy Ryad

Tudo começou no centro de Moscou, quando uma das primeiras estações de metrô, a Okhotniy Ryad, foi inaugurada, em 1935. Ao projetar os saguões de entrada, os engenheiros tinham que enfrentar um problema: a área estava densamente construída.

A solução encontrada foi usar o térreo de uma antiga mansão do início do século 19 como entrada e saída de passageiros. Eles simplesmente não tinham outra solução – as outras possibilidades foram descartadas, pois exigiam o fechamento desta rua central de Moscou ao tráfego ou a demolição de edifícios.

Antes do metrô, o edifício abrigava apartamentos para aluguel, uma loja de espelhos e um açougue. O edifício foi reconstruído na década de 1930 e os pisos superiores perderam as varandas, enquanto o piso térreo foi transformado no hall de entrada do metrô. Hoje, os escritórios administrativos de um teatro ocupam a maior parte do edifício.

Arranha-céu na Praça Krasnye Vorota

Este edifício residencial é uma das “Sete Irmãs”, como são conhecidos os arranha-céus construídos no estilo do “Império Stalinista” em Sadovoye Koltso (Anel dos Jardins), entre 1947 e 1957.

No período soviético, a parte central do edifício abrigava o Ministério da Construção de Transportes, junto com cerca de 270 apartamentos nas duas alas laterais. O piso térreo do arranha-céu é ocupado pelo hall de entrada da estação de metrô Krasnie Vorota.

O poço de ventilação, elegantemente camuflado como um terraço com colunas, fica no pátio. Todas as partes do edifício, inclusive os próprios escritórios do metrô, são ligadas por um porão comum.

O arquiteto Aleksêi Duchkin planejou incorporar halls de entrada do metrô dentro de todos os “arranha-céus de Stalin”, mas a ideia só foi realizada no edifício na Praça Krasnye Vorota. O hall de entrada da estação e as fundações do prédio foram construídos simultaneamente para economizar tempo.

Para evitar que o edifício desmoronasse no poço de construção do hall de entrada, o solo ao redor do local de construção foi congelado artificialmente e o próprio edifício foi erguido de propósito com um pequeno ângulo para que pudesse endireitar à medida que o solo assentava. Um milagre da engenharia!

“É conveniente ter a entrada do metrô dentro do prédio”, diz a moradora Ássia Soskova. “Saio pela porta do prédio, viro a esquina e pronto. Moro no terceiro andar e as janelas têm vista para o pátio. Há uma creche no pátio, e quase não se ouve o barulho da rua.”

Edifício residencial na rua Prospekt Mira

A estação Prospekt Mira, na Linha do Anel, foi inaugurada em 1952. Sua entrada e saída foram incorporadas a um edifício residencial na Prospekt Mira, 38. Até 1966, a estação, que era originalmente decorada com motivos agrícolas, era chamada de Botanitcheski Sad (em homenagem ao Jardim Botânico da Universidade Estatal de Moscou).

A fachada do edifício foi construída um ano depois e é decorada com baixos-relevos com ornamentos florais. Seu visual combina muito bem com o hall de entrada.

O prédio era destinado a abrigar os próprios construtores do metrô, de acordo com reportagens da época. Sua parte central tem 13 andares e as alas laterais têm oito andares. O edifício na Prospekt Mira foi um dos últimos exemplos da arquitetura stalinista em Moscou.

Edifício na rua Avtozavodskaya

Em 1943, o hall de entrada sul da estação de metrô Avtozavodskaya foi inicialmente construído separadamente na rua, mas o plano era incorporá-lo ao prédio de apartamentos para que fosse mais conveniente para os moradores.

Prédios de apartamentos para os trabalhadores da Fábrica de Veículos Stálin já estavam sendo rapidamente construídos na área e, nas plantas do arquiteto Aleksêi Duchkin (que também trabalhou no arranha-céu na Praça Krasnye Vorota), o hall de entrada foi incorporado ao novo edifício em 1961.

A construção durou vários anos e, se você olhar bem de perto, verá que o edifício é constituído por três seções: duas alas laterais e a parte central que inclui a entrada do metrô. O próprio hall de entrada, localizado acima da entrada da estação, inclui instalações para funcionários do metrô.

A proximidade com a estação do metrô não cria nenhum incômodo especial, assim como os moradores não sentem as vibrações dos trens, já que grande parte do hall de entrada encontra-se no pátio do edifício.

Moradia para ferroviários

Há tantas saídas de metrô na praça perto da estação de trem Kursky, que esta geralmente passa despercebida.

A estação de metrô Kurskaya, na linha Arbatsko-Pokrovskaya, foi inaugurada em 1938, e uma das saídas foi colocada em um prédio residencial construído para os trabalhadores ferroviários em 1932, no estilo construtivista. Hoje, o prédio abriga não apenas apartamentos residênciais, mas também escritórios.

Casa com torre no bulevar Smolensky

Este “castelo” para a elite soviética foi construído no bulevar Smolensky, na década de 1950, pelo lendário arquiteto Ivan Joltovski. Ele foi censurado pelo excesso de “ornamentação” e construiu a torre com seus próprios meios. Antes desse grande projeto, ele trabalhou em prédios de apartamentos padronizados, mas queria que a arquitetura atraísse os moscovitas comuns.

Além disso, o hall de entrada da estação Smolenskaya, na Linha Filevskaya, fica no térreo. Segundo os residentes locais, a proximidade com o Metro não incomoda. “Não se ouve o menor ruído do metrô, que passa literalmente debaixo do prédio. A altura do teto do porão é de sete metros. Ele foi feito com postes de reforço e amortecimento para controlar as vibrações, o que permitiu construir a saída da estação Smolenskaya no interior do edifício”, diz um morador.

Pátio com um estação secreta de metrô Paveletskaya

O hall de entrada da estação de metrô Paveletskaya, na Linha do Anel, ocupa o térreo de um prédio na rua Novokuznetskaya.

Construído na década de 1950, o prédio abriga o Instituto Estatal Metrogiprotrans de engenharia e planejamento do metrô e fica ao lado de um prédio residencial comum. Uma grande parte do hall de entrada está localizada no pátio, mas isso só é visível a distância.

LEIA TAMBÉM: Abrigo, cinema e até biblioteca: o metrô de Moscou durante a 2ª Guerra Mundial

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies