Estudantes russos descobrem nova ilha no Ártico

E. Gusev/Global Look Press
Massa terrestre foi identificada no Círculo Polar Ártico usando satélites de sensoriamento remoto. Mas seu surgimento não é uma boa notícia para o planeta.

Uma nova ilha se materializou em dezembro passado, após o derretimento de uma geleira no arquipélago Nova Zembla, de acordo com a agência espacial russa Roscosmos.

A ilha, localizada onde o geleira Vilkitski-Iujni certa vez serviu de ponte para o arquipélago, foi descoberta em 31 de janeiro em Samara, durante uma conferência de jovens estudantes.

As sequências dos satélites russo Kanopus-V e europeus Landsat 7/8 e Sentinel-1/2 capturaram em imagem a nova massa terrestre, que possui apenas 0,2 quilômetros quadrados. Os documentos que reconhecem oficialmente o novo pedaço de terra foram enviados à Sociedade Geográfica Russa para aprovação oficial.

Os estudantes também fizeram algumas descobertas preocupantes durante a pesquisa, incluindo a taxa alarmante em que as geleiras da região estão derretendo. O fenômeno aparentemente dobrou durante o período 2001-2015, em comparação a 1959-2001.

Em resposta, o Instituto Siberiano de Física Terra-Solar da Academia Russa de Ciências lançou uma rede de satélites para estudar a ionosfera sobre o Ártico. A rede será capaz de analisar com mais precisão as mudanças nas condições do planeta.

LEIA TAMBÉM: O que pode acontecer se o permafrost derreter?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies