Prateleiras vazias devido a coronavírus: pânico legítimo ou pura histeria?

Pavel Palamarchuk/Sputnik
Em meio a pandemia e ao isolamento social, russos discutem se devem estocar comida em casa ou manter a calma.

Fotos como esta estão pipocando nas redes sociais nos últimos dias. Segundo os autores, a imagem de prateleiras anormalmente vazias em supermercados de Moscou e outras cidades virou comum à medida que o surto de coronavírus se perpetua.

Alguns produtos são mais difíceis de encontrar nos mercados recentemente. De um modo geral, as prateleiras antes cheias de trigo-sarraceno, arroz, macarrão, farinha e papel higiênico parecem desertas.

Alguns moscovitas postaram as seguintes fotos no Instagram:

“Prateleiras vazias no mercado @pyaterochka_official em Presnia. Vocês acham que há mesmo escassez de alimentos ou as pessoas estão entrando em pânico em vão?”, questiona o usuário.

[Hoje, a situação nos mercados da capital é deplorável. Você bobeia, você perde. As pessoas pegam tudo: grãos, massas, farinha e etc. em grandes quantidades e, como resultado, você vem ao mercado para comprar um acompanhamento e, em vez disso, encontra prateleiras vazias. Em grande, esses são os pensionistas fazendo compras.]

[Passei ontem por um mercado para comprar comida e coisas e ver se os rumores sobre prateleiras vazias eram legítimos, e eu vi isso.]

[É realmente a primeira vez que vejo algo assim: no Auchan (rede francesa de hipermercados na Rússia), metade das prateleiras está vazia. Cereais, massas, carnes e lenços umedecidos desapareceram. O que está acontecendo?]

Uma mãe de três filhos em Moscou escreveu no Instagram que não achava que haveria escassez de alimentos e outros produtos nos mercados russos, mas acreditava que era melhor se arriscar e reabastecer seus suprimentos, pois teme que a escassez possa piorar se mais pessoas cederem à histeria em massa.

As autoridades estão fazendo o possível para garantir às pessoas que não haverá escassez de alimentos e outros produtos nos mercados em todo o país.

O presidente Vladimir Putin garantiu que não há necessidade de entrar em pânico e que o fornecimento ao mercados permanece estável. O governo também garantiu estar monitorando 24 horas a disponibilidade de mercadorias nos mercados e seus preços.

No entanto, nem todos se sentem confortados pelos esforços e declarações das autoridades e funcionários dos estabelecimentos.

Um indivíduo de Novosibirsk disse ter lamentado a decisão de ouvir as mensagens tranquilizadoras e não comprar os produtos necessários a tempo:

[Onde estão todos os produtos? Ontem, eles disseram que os armazéns estavam cheios e que deveríamos evitar comprar qualquer coisa para uso futuro. Esta é uma das muitas lojas da rede ‘Maria-Ra’ em Novosibirsk. Todos os produtos são fabricados localmente em Altai, e não importados. Não comprei nada – não ligo para trigo-sarraceno. Mas e os produtos básicos, como açúcar e sal? Também não há legumes em conserva. Ainda bem que comprei macarrão uma semana atrás…]

Em São Petersburgo, as pessoas notaram clientes que compravam grandes quantidades de mercadorias enquanto usavam máscaras protetoras. Não está claro se esse comportamento era uma piada ou se era genuíno.

[As pessoas estão ficando loucas.]

Enquanto algumas redes de supermercados passaram mensagens tranquilizando as pessoas e garantindo que não há motivo para se preocupar, outras empresas enxergaram uma oportunidade em meio ao desespero. Por exemplo, a já citada rede Auchan está oferecendo “pacotes”: carrinhos de compras carregados com uma variedade de produtos de primeira necessidade – grãos, papel higiênico, trigo sarraceno, macarrão, lenços umedecidos etc. – por um valor fixo (cerca de R$ 220).

Paralelamente, a rede de supermercados Piatorotchka publicou a seguinte mensagem em sua página no Instagram: “Garantimos que você sempre poderá comprar os produtos necessários em nossos mercados. Para tanto, aumentamos o volume de suprimento e a frequência de reabastecimento. Gostaríamos de pedir sua compreensão e para não se preocupar. [Reabastecer as prateleiras esses dias] exige apenas um pouco mais de esforço de nossos funcionários e pode levar mais tempo.

Nossos fornecedores estão entregando as mercadorias no prazo e temos estoque suficiente em nossos armazéns para atender todas as suas necessidades de produtos frescos e de qualidade. Se não houver produtos suficientes nas prateleiras, não se preocupe – amanhã eles serão reabastecidos com uma nova entrega do armazém. Pedimos que você avalie sobriamente suas reais necessidades de reabastecimento.”

LEIA TAMBÉM: Teatro Bolshoi, Hermitage e universidades fecham para conter avanço do coronavírus

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies